Faróis de Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização dos principais faróis.

Portugal tem uma notável história marítima. Velejadores Portugueses, lançaram e lideraram a Idade das Descobertas Europeias, e navios Portugueses, têm vindo a encontrar o seu caminho de regresso a casa a partir dos longínquos cantos do mundo desde à cerca de 600 anos. Não surpreende que os faróis tenham desempenhado um papel importante na cultura Portuguesa, e que sejam hoje monumentos nacionais muito acarinhados.

Localização dos faróis da região de Lisboa.

Desde 1892 que está atribuída à Marinha Portuguesa a responsabilidade pela manutenção da rede de faróis na costa de Portugal.

A Direcção de Faróis (DF) foi criada em 1924. É o organismo da DGAM que tem por missão a direcção técnica das ajudas à navegação, coordenando o estudo, instalação, manutenção e extinção das mesmas a nível nacional.

Património de ajudas à navegação[editar | editar código-fonte]

  • 50 faróis
  • 338 farolins
  • 148 boias
  • 26 balizas
  • 35 sinais sonoros
  • 56 enfiamentos
  • 4 estações DGPS (Differential Global Positioning System)[1]
Direcção de Faroís, Paço de Arcos - Estação de Controlo
  • Farol do Cabo Carvoeiro, Peniche, inaugurada a 9 de Dezembro de 2002
  • Farol de Sagres, inaugurada a 9 de Dezembro de 2002[2]
  • Porto Santo, Madeira, operacional desde 13 de Outubro de 2005
  • Horta, Açores, operacional desde 13 de Outubro de 2005[3][4][5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Direcção de Faróis». Marinha Portuguesa. Consultado em 1 de Abril de 2009. 
  2. «Informações». Associação Náutica da Marina do Parque das Nações. 20 de Dezembro de 2002. Consultado em 1 de Abril de 2009. 
  3. «Entrada em Funcionamento Experimental das Estações Differential GPS (DGPS) de Porto Santo e da Horta». Marinha Portuguesa. 8 de Novembro de 2004. Consultado em 1 de Abril de 2009. 
  4. «Informações». Associação Náutica da Marina do Parque das Nações. 7 de Dezembro de 2004. Consultado em 1 de Abril de 2009. 
  5. «Novo Sistema de Radionavegação de Base Terrestre». Marinha Portuguesa. 21 de Outubro de 2005. Consultado em 1 de Abril de 2009. 

Leituras adicionais[editar | editar código-fonte]

  • Portugal. Ministério da Marinha. Direcção de Faróis (2005). Faróis de Portugal 2ª ed. (Lisboa: Ciência Viva). p. 110. ISBN 9729780595. 
  • Portugal. Instituto Hidrográfico (2005). Ajudas à navegação. lista de luzes, bóias, balizas e sinais de nevoeiro I 7ª ed. (Lisboa: I.H). p. 154. ISBN 9728486235. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um farol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.