França Insubmissa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
França Insubmissa
France insoumise
Líder Adrien Quatennens
Fundação 2016
Sede Paris,  França
Ideologia Ecossocialismo[1]
Socialismo democrático[1][2]
Populismo de esquerda[3][4]
Ecologismo[5]
Euroceticismo[6]
Nacionalismo de esquerda[7]
Espectro político Esquerda[8][9][10] a extrema-esquerda[11][12]
Grupo no Parlamento Europeu Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Nórdica Verde
Assembleia Nacional
17 / 577
Senado
0 / 348
Parlamento Europeu
6 / 74
Cores Celeste e ocre

A França Insubmissa (em francês: La France insoumise) é um partido/movimento político francês formado em 2016, criada em 2008. Foi fundada por Jean-Luc Mélenchon com o objectivo de ser eleito presidente em 2017[13].

Entre as medidas defendidas pelo movimento estão a renegociação dos tratados com a União Europeia, a recusa em assinar os acordos de livre-comércio com EUA e Canadá e a saída da França da NATO[14].

Importa referir que, para as eleições legislativas de 2017, o Partido Comunista Francês não chegou a acordo com o movimento, decidindo concorrer às eleições sozinho[15].

Resultados eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições presidenciais[editar | editar código-fonte]

Data Candidato

apoiado

1ª Volta 2ª Volta
CI. Votos % CI. Votos %
2017 Jean-Luc Mélenchon 4.º 7 011 856
19,6 / 100,0

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data 1ª Volta 2ª Volta Deputados Status
CI. Votos % CI. Votos %
2017 4.º 2 497 622
11,0 / 100,0
7.º 883 786
4,9 / 100,0
17 / 577
Oposição

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % Deputados
2017 5.º 1 428 410
6,3 / 100,0
6 / 74

Referências

  1. a b Nordsieck, Wolfram (2017). «France». Parties and Elections in Europe 
  2. Arthur Nazaret (10 de abril de 2014). «Quand Dray plante sa plume dans Mélenchon». Le Journal du Dimanche (em francês). Consultado em 29 de março de 2018 
  3. Denis Tugdual (5 de abril de 2013). «Le Pen-Mélenchon: la mode est au langage populiste». L'Express (em francês). Consultado em 29 de março de 2018 
  4. Jean-Laurent Cassely (15 de abril de 2013). «Le populisme "vintage" de Jean-Luc Mélenchon, trop élaboré pour être efficace». Slate (em francês). Consultado em 29 de março de 2018 
  5. Hervé Kempf (12 de março de 2018). «Jean-Luc Mélenchon : " L'écologie doit être un stimulant d'enthousiasme "». Reporterre (em francês). Consultado em 29 de março de 2018 
  6. Abel Mestre (21 de outubro de 2017). «La tentation souverainiste de Jean-Luc Mélenchon». Le Monde. Consultado em 2 de março de 2019 
  7. https://www.thenation.com/article/meet-europes-left-nationalists/
  8. «À gauche, tout le monde parle de rassemblement, mais personne ne le fait». Ouest-France. Agence France-Presse. 13 de outubro de 2017. Consultado em 5 de abril de 2019 
  9. Eaton, George (24 de setembro de 2018). «French left leader Jean-Luc Mélenchon: "Jeremy Corbyn is unique in Europe"». New Statesman. Consultado em 7 de abril de 2019 
  10. Barbière, Cécile (3 de outubro de 2018). «La France Insoumise wants to turn European elections into anti-Macron referendum». Euractiv. Consultado em 7 de abril de 2019 
  11. «" L'un d'entre nous va bien arriver à gagner les élections ", Mélenchon rencontre le leader du Labour». Ouest-France. Agence France-Presse. 24 de setembro de 2018. Consultado em 5 de abril de 2019 
  12. Robin Korda (19 de outubro de 2018). «Perquisitions, dérapages : la mise au point de Mélenchon après une semaine houleuse». Le Parisien. Consultado em 5 de abril de 2019 
  13. «Jean-Luc Mélenchon, le vent dans le dos». Libération.fr (em francês) 
  14. «Les insoumis croient en la victoire». ladepeche.fr (em francês) 
  15. magazine, Le Point, (9 de maio de 2017). «Législatives : pas d'accord PCF-La France insoumise». Le Point (em francês)