Galo da Madrugada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Galo da Madrugada
Fundação 23 de janeiro de 1978 (42 anos)[1]
Cores Azul, Branco, Amarelo, Vermelho e Verde[2]
Símbolo Galo
Bairro São José
Patrono Enéas Alves Freire
Desfile de 2019
Enredo Frevo Mulher
galodamadrugada.com.br

Galo da Madrugada OMGOMC é um tradicional bloco carnavalesco,[3][4][5] considerado o maior do mundo,[6][7] que desfila durante o carnaval do Recife,[8] saindo no sábado de carnaval[9] e marcando a abertura do mesmo.[5] Desde o seu desfile inaugural, o Galo, como também é conhecido,[10][11] ganhou enorme adesão de foliões desfile após desfile, e desde 1994,[4][1][12] passou a ser considerado o maior bloco de carnaval do mundo,[6][7] segundo o Guinness Book.[4][1][12]

A cada desfile, o Galo costuma levar às ruas dos bairros centrais do Recife,[8][9][12] mais de dois milhões de foliões.[4][5][1] O seu percurso de cerca de 6 quilômetros,[6] começa próximo ao Forte das Cinco Pontas e termina junto à Rua do Sol,[5][6][11] onde bem perto de lá, na Ponte Duarte Coelho, todo ano é montado um galo gigante,[5][6][13] que tornou-se símbolo do carnaval de Pernambuco.[14][15][16]

O Galo da Madrugada inspirou a criação de outros blocos pelo Brasil e em também outros países,[3][11] a exemplo do Pinto da Madrugada, em Maceió,[11][1] Sapo da Madrugada, no Amazonas,[11] o Galinho de Brasília, na capital do Brasil[11] e o Galo na Neve, no Canadá,[11] além disso, o ano de 2020 marcou a estreia do Bloco do Galo da Madrugada também na cidade de São Paulo.[8]

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

Segundo Enéas Freire, fundador do Galo,[8][13] o nome do bloco originou-se do fato de que seus organizadores viravam a noite trabalhando para poder colocarem o bloco na rua no dia seguinte, sendo assim, na madrugada, eles estavam acordados e prontos para o desfile.[17]

História[editar | editar código-fonte]

No intuito de reviver os antigos carnavais de rua,[13] um grupo de amigos, liderados por Enéas Freire,[8][13] criaram no final de 1977, o Clube de Máscaras O Galo da Madrugada, que teve o seu primeiro desfile no dia 23 de janeiro de 1978, às 5h da manhã nas ruas do bairro de São José, no Recife, e reunindo 75 foliões. Em 1979, o número de foliões subiu para 350, número que continuou a crescer nos anos seguintes.[4] Em 1991, o número de foliões ultrapassava um milhão.[1]

A década de 1990 assistiu ao crescimento da agremiação, que tomou proporções gigantescas[18] e em 1994, o bloco foi oficialmente colocado no livro dos Recordes como o maior do mundo, o seu público continuou a aumentar e atingiu a marca dos dois milhões de foliões nos anos 2010.[1]

O crescimento do número de foliões levou a alterações no percurso do bloco, evitando ruas estreitas, por onde passava originalmente, para desfilar em ruas mais largas.[13]

Em 2009, o bloco foi consagrado como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Pernambuco, por meio de lei aprovada na Assembleia Legislativa de Pernambuco e sancionada pelo Governador do Estado.[1]

Público[editar | editar código-fonte]

Em 2012, o bloco teria, de acordo com a própria organização, levado cerca de 2 milhões de pessoas.[19] Em 2013, seguindo a tendência dos anos anteriores, o número de foliões aumentou e o bloco reuniu cerca de 2,3 milhões de pessoas no centro do Recife.[20][21][22] Em 2014, o bloco teve, também segundo estimativas, 2,4 milhões de pessoas. Em 2015 o galo teve 2,5 milhões de pessoas. Nos anos 2016, 2017 e 2018, o Galo repetiu o recorde de 2015, com 2,5 milhões de foliões nas ruas. Cifra que o bloco continua a levar ano após ano.[17]

Trajeto[editar | editar código-fonte]

Bairros da área central do Recife, nas 3 principais ilhas da cidade (Ilha de Antônio Vaz, Recife e Boa Vista) são tomados pela multidão.[11]

Vista aérea da Ilha de Antônio Vaz com o Galo da Madrugada sobre a Ponte Duarte Coelho no Carnaval 2014.

O trajeto do Galo começa em frente ao Forte das Cinco Pontas e segue o seguinte percurso:[11]

  1. Travessa do Forte;
  2. Forte das Cinco Pontas;
  3. Rua Imperial;
  4. Avenida Dantas Barreto;
  5. Praça Sérgio Loreto (sentido Av.Sul);
  6. Avenida Sul;
  7. Rua Saturnino de Brito;
  8. Rua Imperial (galpão do Galo);
  9. Praça Sérgio Loreto (sede do Galo);
  10. Rua do Muniz;
  11. Avenida Dantas Barreto;
  12. Avenida Guararapes (apoteose); e
  13. dispersão na Rua do Sol.

Vários barcos se posicionam no Rio Capibaribe para acompanhar a passagem do bloco.[23]

A movimentação de pessoas no centro do Recife no sábado de carnaval do Galo da Madrugada dura todo o dia. Os foliões começam a chegar de manhã - por volta das 7 horas da manhã - e o bloco tem sua saída oficial por volta das 09 horas; os trios elétricos tocam até cerca de 18 horas e até a noite ainda sobram muitas pessoas voltando para casa ou seguindo direto para outra aglomeração de carnaval do Recife, a maioria delas localizadas no perímetro do Recife Antigo.

O Galo da Madrugada é composto por carros alegóricos, freviocas e vários trios elétricos (cerca de vinte e sete em 2009).

O principal ritmo tocado no bloco é o frevo, mas vários outros ritmos são executados pelas dezenas de trios que cruzam a cidade animando os foliões.

Hino[editar | editar código-fonte]

Um ano após a fundação daquele que viria a ser o maior bloco de carnaval do mundo, a diretoria do Clube sentiu a necessidade de criar uma música própria cuja letra transmitisse ao folião a mensagem principal do Galo: convocar a todos, como num canto matinal, a participarem da folia que voltara às ruas do Recife.

Assim, no ano de 1979, procurado pela diretoria do clube e incumbido de realizar tal missão, o professor José Mário Chaves criou aquela que seria a música tema do maior manifestação carnavalesca do planeta. “O Hino do Galo começou com esse pedido: fazer uma música que retratasse, realmente, o que era o Galo da Madrugada e chamar o folião, mostrando que a festa começava muito cedo”, lembra o compositor.

O resultado, todos já conhecem: um clássico que ultrapassou as décadas e mantém-se vivo até hoje. O Hino do Galo já foi interpretado por diversos artistas pernambucanos, entre eles Alceu Valença, na voz do qual a música ficou mais conhecida.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Galo da Madrugada

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h «História». Galo da Madrugada. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  2. Batista da Silva, George (2009). MÚsicas & MÚsicos. Joinville, SC: Clube de Autores. p. 52 
  3. a b Repórter Nacional (9 de fevereiro de 2018). «Galo da Madrugada é inspiração para outros blocos Brasil afora». EBC. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  4. a b c d e «Conheça a história do Galo da Madrugada». band.com.br. 1 de fevereiro de 2013. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  5. a b c d e Marcos Barbosa (28 de fevereiro de 2019). «Há 41 anos, o Galo da Madrugada desperta o Recife para iniciar a festa popular». Recife-PE: Brasil de Fato PE. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  6. a b c d e Ciara Carvalho (21 de fevereiro de 2020). «Prepare-se: Sábado no Carnaval do Recife é dia de Galo da Madrugada, bebê!». Jornal do Commercio. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  7. a b Eduardo Vessoni (16 de fevereiro de 2020). «Guia do Recife: carnaval, história e arte na capital de Pernambuco». UOL. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  8. a b c d e Gustavo Krause (16 de fevereiro de 2020). «O Galo da Madrugada e o reino do pernambucarnaval». veja.abril.com.br. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  9. a b Ciara Carvalho (7 de fevereiro de 2020). «Nas veias do Galo da Madrugada corre sangue pernambucano de Carnaval». Jornal do Commercio. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  10. Ciara Carvalho (21 de fevereiro de 2020). «Prepare-se: Sábado no Carnaval do Recife é dia de Galo da Madrugada, bebê!». Jornal do Commercio. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  11. a b c d e f g h i «Galo da Madrugada já está pronto para encantar o Brasil neste sábado de Carnaval». ricardoantunes.com.br. 21 de fevereiro de 2020. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  12. a b c «Galo da Madrugada faz sua estreia no Carnaval de São Paulo». Catraca Livre. 15 de janeiro de 2020. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  13. a b c d e Virgínia Barbosa (1 de dezembro de 2009). «O Galo da Madrugada». Recife-PE: fundaj.gov.br. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  14. Diário de Pernambuco (21 de fevereiro de 2020). «Galo Gigante de 2020 já está de pé na Ponte Duarte Coelho». Diário de Pernambuco. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  15. TV Jornal (21 de fevereiro de 2020). «Galo Gigante ilumina a Ponte Duarte Coelho e anuncia o Carnaval no Recife». Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  16. Portal Folha PE (28 de fevereiro de 2019). «Estrutura do Galo Gigante quase pronta na Ponte Duarte Coelho». Portal Folha PE. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  17. a b Farias Coimet, Yaracylda. Dicionário das manifestações folclóricas de Pernambuco. Recife, PE: Editora Universitária. p. 83-84. ISBN 857315359-8 
  18. de Oliveira Santos, Climério; Ferreira Mendes, Marcos; Soares Resende, Tarcísio (2020). Frevo: transformações ao longo do passo. Recife, PE: Companhia Editora de Pernambuco. ISBN 978-85-7858-842-7 
  19. Folha de S. Paulo. «Galo da Madrugada diz ter atingido 2 milhões de foliões no Recife». Consultado em 9 de fevereiro de 2013 
  20. Estadão/Blogs. «Galo da Madrugada sai no Recife com 2,5 milhões». Consultado em 9 de fevereiro de 2013 
  21. O Dia. «Galo da Madrugada reúne mais de 2 milhões em Recife». Consultado em 9 de fevereiro de 2013 
  22. Veja. «Cerca de 2,5 milhões de pessoas acompanham bloco de frevo». Consultado em 9 de fevereiro de 2013 
  23. G1 PE. «Galo da Madrugada leva frevo e fantasias curiosas às ruas do Recife; FOTOS». Consultado em 29 de fevereiro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]