Giovanni Battista Martini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Padre Martini

Giovanni Battista Martini (Bologna, 24 de abril de 1706 – Bologna, 3 de agosto de 1784), também conhecido como Padre Martini, foi um musicólogo, professor e compositor da Itália.

Seu pai, Antonio Maria Martini, era um violinista, e dele Giovanni aprendeu os elementos da música e do violino. Mais tarde tornou-se aluno do Padre Pradieri em canto e cravo, e com Giacomo Antonio Perti e Antonio Riccieri aprendeu contraponto. Tendo recebido a sua educação nos clássicos dos padres do Oratório de São Filippe Neri, depois entrou para o noviciado no convento franciscano de Lago, sendo recebido como frade franciscano em 11 de setembro de 1722.

Em 1725, apesar de ter apenas dezenove anos, foi indicado mestre-de-capela da igreja franciscana em Bologna, onde atraiu a atenção por suas composições. A convite de amadores e profissionais amigos, abriu uma escola de composição onde foram treinados vários músicos célebres, entre eles André Ernest Modeste Grétry, Josef Mysliveček, Maksym Berezovsky, Stanislao Mattei, Johann Christian Bach, Giovanni Battista Cirri e por um breve período Wolfgang Amadeus Mozart. Sua linha de trabalho se inclinava para as tradições da escola romana de composição. O Padre Martini era um colecionador zeloso de literatura musical, e possuía uma extensa biblioteca musical. Burney a estimou em 17.000 volumes, e após a sua morte uma parte dela passou para a Biblioteca Imperial de Viena. O restante permaneceu em Bologna, agora pertencendo ao acervo do Museo Internazionale della Musica. Em 1758 foi convidado para lecionar na Accademia Filarmonica di Bologna.

A maioria dos músicos seus contemporâneos falaram de Martini com admiração, e Leopold Mozart chegou a consultá-lo sobre o talento de seu filho Wolfgang. O Abade Vogler, no entanto, condenou seus princípios filosóficos como estando demasiado ligados aos de Johann Joseph Fux. A maioria de suas composições permanece em manuscrito e sua fama deriva de seu papel como professor e teórico. Entre seus escritos se destacam Storia della musica (Bologna, 1757-1781) e sobretudo o Esemplare di contrappunto (Bologna, 1774-1775), um valioso tratado didático que contém uma importante coleção de exemplos dos melhores mestres das antigas escolas italiana e espanhola, com excelentes notas explicativas. Ele trata principalmente dos modos do canto gregoriano, e dos contrapontos construídos sobre deles. Ele também compilou um dicionário de termos musicais antigos, e escreveu um outro tratado sobre a teoria dos números aplicada à música.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um compositor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.