Grande Prêmio da Bélgica de 1979

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da Bélgica
de Fórmula 1 de 1979
Circuit Zolder-1975-1985.svg
Sexto GP da Bélgica realizado em Zolder
Detalhes da corrida
Data 13 de maio de 1979
Nome oficial Grote Prijs van Belgie
Local Zolder, Heusden-Zolder, Limburgo, Bélgica
Total 70 voltas / 298.340 km
Condições do tempo Seco
Pole
Piloto
França Jacques Laffite Ligier-Ford
Tempo 1:21.13
Volta mais rápida
Piloto
Canadá Gilles Villeneuve Ferrari
Tempo 1:23.09 (na volta 63)
Pódio
Primeiro
África do Sul Jody Scheckter Ferrari
Segundo
França Jacques Laffite Ligier-Ford
Terceiro
França Didier Pironi Tyrrell-Ford

Resultados do Grande Prêmio da Bélgica de Fórmula 1 realizado em Zolder à 13 de maio de 1979. Sexta etapa daquela temporada, nela o vencedor foi o sul-africano Jody Scheckter.[1][nota 1]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Por escolher mal o tipo de pneus que usaria na corrida, o francês Jacques Laffite não pode evitar o bote de Patrick Depailler, seu conterrâneo e colega de equipe na Ligier, permitindo-o liderar a corrida por dezoito voltas. Quase no mesmo instante, o sul-africano Jody Scheckter colidiu sua Ferrari com a Williams de Clay Regazzoni logo na segunda volta e este, ao reduzir a velocidade por quebra de suspensão, foi abalroado por Gilles Villeneuve.[2] Jacques Laffite recuperaria a ponta durante quatro voltas, contudo a má escolha do tipo de pneus permitiu o avanço de Alan Jones e manteve sua Williams na liderança por dezesseis voltas antes que Laffite e Depailler o deixassem para trás.

Obrigado a trocar o aerofólio dianteiro, Gilles Villeneuve não teve como lutar pela vitória, mas graças ao seu estilo agressivo chegou a posicionar-se em terceiro, contudo a falta de gasolina o atingiu deixando-o fora da zona de pontuação. Outro azarado foi Patrick Depailler cujo carro saiu inexplicavelmente da pista e bateu no final da reta dos boxes quando Jacques Laffite assumiu o primeiro lugar, mas o bom rendimento dos pneus Michelin e as características do modelo 312-T4 permitiram ao sul-africano Jody Scheckter tomar a dianteira na quinquagésima quarta volta e vencesse sua primeira corrida pela Ferrari algum tempo depois e subisse ao pódio ao lado de Jacques Laffite, da Ligier, e Didier Pironi, da Tyrrell.[2]

Ao fim da prova belga Jacques Laffite e Jody Scheckter dividiam a liderança do campeonato com 24 pontos enquanto Gilles Villeneuve e Patrick Depailler empatavam em terceiro lugar com 20 e Carlos Reutemann caiu para quinto com 19 pontos.[nota 2][nota 3]

Dirigindo um modelo 177, o italiano Bruno Giacomelli foi responsável pela reestreia da Alfa Romeo como equipe de Fórmula 1 desde o Grande Prêmio da Espanha de 1951, contudo uma barbeiragem cometida por Elio de Angelis ao forçar uma ultrapassagem com a Shadow tirou ambos da prova depois de vinte e uma voltas.[2]

Classificação da prova[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 11 África do Sul Jody Scheckter Ferrari 70 1:39:59.53 7 9
2 26 França Jacques Laffite Ligier-Ford 70 + 15.36 1 6
3 3 França Didier Pironi Tyrrell-Ford 70 + 35.17 12 4
4 2 Argentina Carlos Reutemann Lotus-Ford 70 + 46.49 10 3
5 29 Itália Riccardo Patrese Arrows-Ford 70 + 1:04.31 16 2
6 7 Reino Unido John Watson McLaren-Ford 70 + 1:05.85 19 1
7 12 Canadá Gilles Villeneuve Ferrari 69 + 1 volta 6
8 9 Alemanha Ocidental Hans-Joachim Stuck ATS-Ford 69 + 1 volta 20
9 14 Brasil Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 68 + 2 voltas 23
10 17 Países Baixos Jan Lammers Shadow-Ford 68 + 2 voltas 21
11 4 França Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 67 + 3 voltas 11
Ret 25 França Patrick Depailler Ligier-Ford 46 Acidente 2
Ret 20 Reino Unido James Hunt Wolf-Ford 40 Acidente 9
Ret 27 Austrália Alan Jones Williams-Ford 39 Pane elétrica 4
Ret 1 Estados Unidos Mario Andretti Lotus-Ford 27 Freios 5
Ret 6 Brasil Nelson Piquet Brabham-Alfa Romeo 23 Motor 3
Ret 5 Áustria Niki Lauda Brabham-Alfa Romeo 23 Motor 13
Ret 16 França René Arnoux Renault 22 Turbo 18
Ret 35 Itália Bruno Giacomelli Alfa Romeo 21 Acidente 14
Ret 18 Itália Elio de Angelis Shadow-Ford 21 Acidente 24
Ret 30 Alemanha Ocidental Jochen Mass Arrows-Ford 17 Rodou 22
Ret 31 México Hector Rebaque Lotus-Ford 13 Transmissão 15
Ret 15 França Jean-Pierre Jabouille Renault 13 Turbo 17
Ret 28 Suíça Clay Regazzoni Williams-Ford 1 Acidente 8
DNQ 8 França Patrick Tambay McLaren-Ford
DNQ 24 Itália Arturo Merzario Merzario-Ford
DNQ 22 República da Irlanda Derek Daly Ensign-Ford
DNQ 36 Itália Gianfranco Brancatelli Kauhsen-Ford

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. As quinze etapas de 1979 foram divididas em um bloco de sete e outro de oito corridas onde cada piloto podia computar quatro resultados válidos em cada, não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. Voltas na liderança: Patrick Depailler 25 voltas (1-18, 40-46); Jacques Laffite 12 voltas (19-23, 47-53); Alan Jones 16 voltas (24-39); Jody Scheckter 17 voltas (54-70).
  2. Conforme o regulamento vigente, a vitória de Jody Scheckter na Bélgica o fez descartar o sexto lugar obtido no Grande Prêmio do Brasil, reduzindo seus pontos de 25 para 24 pontos. Tal marca é idêntica à de Jacques Laffite, líder do campeonato por duas vitórias a uma.
  3. A exemplo do relatado acima, a quarta posição de Carlos Reutemann o levaria a 21 pontos, contudo o descarte do quinto lugar no Grande Prêmio da África do Sul reduziu para 19 o seu escore na tabela.

Referências

  1. «1979 Belgian Grand Prix - race result». Consultado em 13 de outubro de 2018 
  2. a b c TEIXEIRA, Álvaro. Discussão de Lauda prejudica festa de Scheckter (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 14/05/1979. Primeiro Caderno, Amador, pág. 02. Página visitada em 13 de outubro de 2018.
Precedido por
Grande Prêmio da Espanha de 1979
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1979
Sucedido por
Grande Prêmio de Mônaco de 1979
Precedido por
Grande Prêmio da Bélgica de 1978
Grande Prêmio da Bélgica
37ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da Bélgica de 1980