Guilherme Leite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde janeiro de 2014) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Guilherme Leite
Nome completo Guilherme Jacinto Leite
Nascimento 11 de setembro de 1953 (64 anos)
Lisboa,  Portugal
Nacionalidade  Portugal
Ocupação Ator e autor
IMDb: (inglês)

Guilherme Jacinto Leite mais conhecido como Guilherme Leite[1], (Lisboa, 11 de Setembro de 1953), é um actor e autor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Oriundo de uma família da região de São João das Lampas (Sintra), estudou durante dez anos no Colégio Salesiano de Lisboa. Forma o grupo "Rock" “O Espírito, o Homem e a Máquina” que actuava de forma clandestina em colectividades da região como Cascais, Oeiras e Sintra.

Para evitar a ida para a guerra do ultramar, vai viver para a Bélgica como refugiado político da ONU, permanecendo em Bruxelas até à eclosão da Revolução de Abril em Portugal (1974), altura em que regressa definitivamente a Portugal, mas apenas após o nascimento seu filho Ernesto Leite.

Entre os anos de 1975 e 1983 trabalhou em informática, como mecanógrafo no Casino Estoril Em 1983 dedica-se à actividade artística tendo começado por actuar para crianças. Nesse ano participou em Programas Infantis da RTP e da Rádio Comercial. Começou a fazer programas infantis na RTP, como palhaço no início ainda sem nome mas mais tarde a sua dupla de palhaços evoluiu para Fraldinha e Sabonete (Manuel Rui Lopes). [1].

Entre 1987 e 1988 participou com Manollo Bello em "Fotomaton", conhecida rubrica de apanhados do programa "Já Está" apresentado por Joaquim Letria. A notoriedade veio quando a RTP lhe aprovou a série infantil em três episódios "Brincar é Coisa Séria".[2]

Com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian apresentou o seu trabalho em São Tomé e Príncipe (1988) e na Guiné-Bissau (1989 e 1990).

Com Manolo Bello e Miguel Ferraz fundou a empresa ComunicaSom que produziu o programa 'Minas e Armadilhas', com apresentação de Júlio César.

Estreou-se como autor na SIC, com "Senhor Dinheiro", um programa de três minutos que ia para o ar antes do telejornal. Em 1993 assinou contrato de exclusividade com a SIC, a convite de Emídio Rangel. Os programas em que era protagonista, e alguns de sua autoria (textos e formato), foram alguns dos mais vistos da altura. A SIC tornou-se líder de audiências com os programas Malucos do Riso e Cenas de Casamento.

Em 1998 foi distinguido com a Medalha de Mérito Cultural pela Câmara Municipal de Cascais.

Em 1999 assinou um contrato de exclusividade com a RTP a convite da Directora de Programas Maria Elisa. A sua missão era criar e protagonizar programas que devolvessem audiências ao canal público, respeitando ao mesmo tempo os parâmetros necessários. Aplicando a sua ideia de que um canal de serviço público deve ser “espelho” e “memória” do país, recriou formatos líderes de audiência da estação.

Entre Maio de 2002 e Setembro de 2007 participou no programa “Praça da Alegria” da RTP , onde escreveu e representou diariamente várias rábulas de humor. Entre 2003 e 2006 colaborou também no programa “Portugal no Coração” da RTP.

Durante 2008 projecta um programa de sua autoria “Eusébio, o Rei da República” por ocasião dos 50 anos da chegada de "Rei" a Lisboa e o Centenário da República.

Em 2009 fundou a SALOIA.TV, uma televisão online da Região Saloia que visa promover a região e suas tradições, combater o preconceito, mostrando gente com iniciativa e empreendedora.

Televisão[editar | editar código-fonte]

É autor de vários programas de televisão:

  • Estação da Minha Vida, RTP, 2001
  • Querido Pai Natal, RTP, 2000, 2001 e 2007
  • Bacalhau com todos, RTP, 2000
  • Companhia do Riso, RTP, 1999
  • Cromos de Portugal, RTP, 1999
  • Malucos do Riso, SIC, 1998, 1997, 1996, 1995
  • Café do Surdo, SIC, 1994

Foi também autor de textos para vários “bonecos” que representou e para os quais escreveu os textos:

  • “Senhor Dinheiro” na SIC - Emitido diariamente durante 1 ano
  • “Zacarias Feijão Frade” - Emitido “em directo” durante todos os dias da Volta a Portugal em Bicicleta de 1997.

Colaborou também em programas como:

  • “Assalto à Televisão” na RTP (autoria de textos),
  • “Minas e Armadilhas” na SIC (co-autoria de formato e textos)
  • Cenas de Casamento na SIC (apresentador)
  • “Cadeira do Poder” na SIC, (autoria de textos e representação)
  • “A Casa do Tio Carlos” na TVI. (autoria de “boneco” e representação).
  • "Fotomaton", rubrica de apanhados no programa "Já Está" apresentado por Joaquim Letria, entre 1987 e 1988 na RTP

Foi autor do programa Infantil “Brincar é Coisa Séria” para a RTP onde desempenhou o papel do palhaço Fraldinha.

Rádio[editar | editar código-fonte]

Trabalhou na Rádio Comercial. Colaborou no Programa “Comboio das Histórias” em 1983, onde foi autor de vários textos. Trabalhou também na Rádio Marginal. Foi um dos fundadores desta, onde foi autor de textos e programas para crianças e adultos.

Na RDP foi colaborador voluntário da RDP Internacional, onde foi autor de dezenas de programas para crianças, os quais deram origem a várias dezenas de cartas, oriundas do Mundo Inteiro.

Na TSF foi um dos Autores dos textos do programa “PASTÉIS DE BELÉM”, que mais tarde deu origem ao programa “Contra-Informação”, onde trabalhava numa equipa liderada pelo Prof. Artur Portela e mais tarde com José Jorge Letria e António Tavares Teles.

Espectáculos[editar | editar código-fonte]

“Ninguém Nasce Ensinado”, registado na SPA e representado cerca de 800 vezes por todo o País - incluindo as Regiões Autónomas - principalmente para actividades das Autarquias, e também nos Palop, com o apoio da Fundação Gulbenkian, da Cooperação Portuguesa e das Embaixadas.

Foi também representado durante várias semanas no Teatro Estúdio do Chiado, com o apoio do actor Mário Viegas.

“O Maestro da Batota”, registado na SPA e representado cerca de 200 vezes por todo o País e na Guiné-Bissau.

“O Super-Normal”, registado na SPA e representado cerca de 200 vezes por todo o País e no Espaço 2 do TEC em Cascais.

“Saídos da Caixa”, registado na SPA, estreia em Ponte de Lima em Maio de 2008 e tem vindo a ser representado um pouco por todo o país até à presente data (2010). Comédia que retrata o local de trabalho de dois autores e actores de televisão escrevendo o seu próximo programa.

Livros[editar | editar código-fonte]

É autor de um livro de humor, editado pela Editora Dinalivro

Outros

É autor de várias letras para canções registadas na SPA.

É autor de um disco infantil editado pela EMI-Valentim de Carvalho.

Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (pdf). IGAC/Ministério da Cultura. 25 de julho de 2007. Consultado em 10 de Janeiro de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 24 de Dezembro de 2013