Império Durrani

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Império Durrani

Império Afegão • Dinastia Durraniد درانیانو واکمني

1747 — 1826 
Bandeira
Bandeira
Afgempdur.jpg
Mapa do Império Durrani na época da sua maior extensão, durante o reinado de Amade Xá Durrani (r. 1747–1773)
Coordenadas de Cabul 34° 32' N 69° 10' E
Continente Ásia
Região Ásia Central
Capitais Candaar (1747–1776)
Cabul (1776–1823)
Pexauar (capital de verão 1776–1818)
Herat (1818–1826)
Países atuais  Afeganistão
 Índia
 Irão
Paquistão
Tajiquistão
Turquemenistão
 Uzbequistão

Línguas oficiais pachto, dari
Religião islã

Forma de governo monarquia absoluta
•  1747–1772   Amade Xá Durrani
•  1819–1823   Ayub Xá Durrani

História  
•  outubro de 1747   Fundação
•  1826   Dissolução
Estados antecessores e sucessores

O Império Durrani (em pachto: د درانیانو واکمني), também conhecido como o Império Afegão)[1][2] foi uma dinastia pastó[3] centrada no atual Afeganistão que incluía o nordeste do atual Irã, a região da Caxemira, o estado moderno do Paquistão e o noroeste da Índia. Foi estabelecido no ano de 1747, em Candaar, por Amade Xá Durrani, o chefe da tribo Abdali e comandante militar afegão ao serviço do persa afshárida Nader Xá.[4] Após a morte de Amade Xá por volta de 1773, o emirado foi passado para seus filhos e seguido por seus netos, e a sua capital foi transferida para Cabul. Amade Xá e seus descendentes eram da linha Sadozai dos Abdalis (posteriormente denominada Durranis), tornando-se o segundo governante astó de Candaar, após os Ghilzai Hotakis.[5][6]

Com o apoio de líderes tribais, Amade Xá Durrani estendeu o controle afegão de Meshed a Caxemira e Deli, desde o Amu Dária até ao mar da Arábia.[7] Ao lado do Império Otomano, o Império Durrani foi o maior império muçulmano na segunda metade do século XVIII.[7] O Império Durrani é considerado a fundação do atual estado do Afeganistão,[8] com Amade Xá Durrani sendo creditado como o "Pai da Nação".[6][9] Ainda antes da morte de Nader Xá, em 1747, as tribos em torno da região Indocuche tinham vindo a tornar-se mais fortes e estavam começando a tirar proveito do poder em declínio de seus governantes distantes.[6]

Referências

  1. «Last Afghan empire». Louis Dupree, Nancy Hatch Dupree and others. Encyclopædia Britannica. 2010. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  2. «Afghanistan (Archived)». John Ford Shroder. University of Nebraska. 2010. Consultado em 21 de março de 2010 
  3. Jaffrelot, Christophe, A History of Pakistan and its Origins, (Anthem Press, 2002), 200.
  4. «Aḥmad Shah Durrānī». Encyclopædia Britannica. 2010. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  5. Malleson, George Bruce (1984). History of Afghanistan, from the earliest period to the outbreak of the war of 1878. [S.l.]: Adegi Graphics LLC. p. Chapter 7: The Ghilzai Rule. 456 páginas. ISBN 1402172788, 9781402172786 Verifique |isbn= (ajuda). Consultado em 25 de agosto de 2010 
  6. a b c «Ahmad Shah and the Durrani Empire». Library of Congress Country Studies on Afghanistan. 1997. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  7. a b «The Durrani dynasty». Louis Dupree, Nancy Hatch Dupree and others. Encyclopædia Britannica Online. 2010. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  8. «Afghanistan». CIA. The World Factbook. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  9. Ganḍā, Singh (1959). Ahmad Shah Durrani: Father of Modern Afghanistan. [S.l.]: Asia Pub. House. 457 páginas. ISBN 1402172788, 9781402172786 Verifique |isbn= (ajuda). Consultado em 25 de agosto de 2010 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto, integrado ao Projeto Estados Extintos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.