Incêndios no Pantanal em 2020

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Incêndios no Pantanal em 2020
Imagem de satélite dos incêndios no Pantanal em 2020.jpg

Imagem de satélite mostrando a fumaça dos incêndios no Pantanal em 14 de setembro de 2020.

País
Local
Localização administrativa
Estatística
Data
Janeiro de 2020 - atualmente

Desde meados de 2020, ocorrem focos de incêndio florestal em quantidade elevada na região do Pantanal e nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. O incêndio é o maior em 14 anos na região[1] e já destruiu nove vezes mais do que o desmatamento dos últimos dois anos.[2] Todos os municípios do Pantanal registraram focos de incêndio entre julho e setembro. Poconé e Barão de Melgaço, no Mato Grosso, foram os com maior número – o Parque Estadual Encontro das Águas está localizado nesses dois municípios. Os incêndios já atingiram cinco Terras Indígenas, três parques estaduais, um nacional, uma área de proteção ambiental, duas reservas particulares e uma estação ecológica.[3] De acordo com o monitoramento realizado pelo Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais (LASA), o Pantanal já teve 2,3 milhões de hectares atingidos pelo fogo em 2020, entre 1º de janeiro e 7 de setembro, o equivalente a duas vezes o tamanho da cidade do Rio de Janeiro. Somente nos meses de julho e agosto foram atingidos 1 654 000 hectares.[4] Os incêndios destruíram mais de 30 mil hectares de matas ciliares que protegem o rio Paraguai e seus afluentes.[5] A recuperação do bioma pode levar 50 anos ou mais.[6]

Perícia aponta que os incêndios foram ocasionados por ação humana intencional e a Delegacia de Meio Ambiente busca os responsáveis pelo desastre ambiental.[7][8][9][10][11][12][13][14] Os incêndios tiveram o início em cinco fazendas no município de Poconé.[15] Quatro fazendeiros foram indiciados, e em uma das fazendas foram apreendidas diversas armas e munições.[16][17]Segundo testemunhas, dias antes de mandar seus funcionários colocar fogo nas propriedades, os fazendeiros providenciaram a retirada de todo o gado.[18]

Impacto na biodiversidade[editar | editar código-fonte]

Não é possível estimar a quantidade de mortes de animais, que aumenta a cada dia, devido a queimaduras, inalação da fumaça, infecções, desidratação e inanição.[19]

Além dos animais carbonizados, feridos e desidratados, os incêndios a também populações humanas, causando perdas materiais e também aumentando a incidência de problemas respiratórios.[20] O avanço do fogo ameaça os locais com as maiores populações de araras azuis e de onças pintadas do Brasil.[21][4][22] O fogo já queimou 70% das palmeiras de acuri e bocaiúva, usadas pelas araras para alimentação e nidificação.[19]

O pantanal foi o bioma mais afetado por queimadas no ano de 2020.[23] Em 28 de agosto, o ministro do meio ambiente, Ricardo Salles anunciou que serão suspensas todas as operações de combate ao fogo no bioma, bem como o desmatamento ilegal na Amazônia.[24][25]

Impactos em comunidades humanas[editar | editar código-fonte]

A situação levou ao êxodo de diversas populações ribeirinhas atingidas.[26][27] Diversas cidades do Mato Grosso tem amanhecido cobertas de fumaça e com temperaturas muito altas.[28] O ar de Corumbá foi considerado insalubre para os seus habitantes. [29] A fumaça atingiu a região metropolitana de Cuiabá[30] e até mesmo em algumas regiões do estado do Paraná e Santa Catarina.[31][32][33] [34] Houve chuva preta nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina[35] [36] Há registro de um homem que teve o corpo completamente queimado tentando combater as chamas.[37]

Parte do fogo começou em áreas privadas ou de reserva legal (que é protegida por lei) e se espalhou para territórios indígenas.[3] Os Boe Bororo precisaram fugir da Terra Indígena Thereza Cristina, e refugiaram-se na casa de parentes na Aldeia Central da Terra Indígena Tadarimana, expondo-se aos riscos da contaminação por Covid-19.[38] 16 casas foram queimadas no posto Diauarum, no Parque Indígena do Xingu, onde vivem cerca de seis mil indígenas de 16 etnias diferentes. A fumaça piorou o estado de saúde de indígenas que haviam contraído a Covid-19.[39] A área indígena com mais focos é também a maior, a TI Kadiwéu, dos Terena e Kadiwéu, no Mato Grosso do Sul.[3] Os Guató perderam 83% do seu território e combateram o fogo sozinhos. Perderam seus meios de subsistência e sequer tem acesso a água potável[40][3]

Resposta da sociedade civil[editar | editar código-fonte]

Grupos de voluntários montaram uma força-tarefa que está distribuindo alimentos e água ao longo da rodovia Transpantaneira (MT-060) e mapeando pontos d'água junto aos quais os animais ameaçados possam estar procurando se abrigar do fogo.[20] Uma força-tarefa coordenada pelo Comitê do Fogo (órgão colegiado que reúne diversas instituições de governo, terceiro setor e iniciativa privada) construiu um Posto de Atendimento Emergencial a Animais Silvestres – PAEAS Pantanal.[41][42][43][44]

Diante da inércia do poder público, representantes da sociedade civil, ONGs, empresas e associações decidiram criar a Brigada Alto Pantanal – Haroldo Palo Jr., com duas unidades, para atuar na região.[45][46] O nome é uma homenagem ao naturalista e documentarista Haroldo Palo Jr.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ramos, Eunice (5 ago. 2020). Incêndio no Pantanal é o maior registrado nos últimos 14 anos; quase 100 focos são registrados em 24 horas. G1 Mato Grosso. Cuiabá: Globo/TV Centro América. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  2. Lopes, Kessillen (1 set. 2020). Área destruída pelo fogo no Pantanal de mT é 9 vezes maior que o desmatamento ocorrido nos últimos dois anos, diz ICV. G1 Mato Grosso. Cuiabá: Globo/TV Centro América. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  3. a b c d «Incêndios já tomam quase metade das terras indígenas no Pantanal». Agência Pública. 17 de setembro de 2020. Consultado em 17 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 17 de setembro de 2020 
  4. a b Menegassi, Duda (8 set. 2020). Encontro das chamas ameaça parque com maior concentração de onças-pintadas do mundo. O Eco. Rio de Janeiro: Associação O Eco. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  5. https://noticias.uol.com.br/colunas/amaury-ribeiro-jr/2020/09/25/pf-ja-tem-provas-para-indiciar-fazendeiros-por-queimadas-no-pantanal.htm
  6. https://www.bol.uol.com.br/noticias/2020/09/27/regeneracao-do-pantanal-pode-levar-em-torno-de-50-anos-diz-pesquisadora.htm
  7. Riberio, Evelyn (4 set. 2020). Perícia constata que incêndio em reserva no Pantanal foi provocada por ação humana. Governo de Mato Grosso. Cuiabá: Secom. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  8. Agência Brasil (5 set. 2020). Perícia afirma que incêndio no Pantanal mato-grossense foi intencional. Agência Brasil. Brasília: EBC. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  9. Agência Brasil (5 set. 2020). Perícia afirma que incêndio no Pantanal mato-grossense foi intecional. Estado de Minas. Belo Horizonte: Díarios Associados. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  10. Toscano, Mayke (12 set. 2020). polícia Civil busca responsáveis pelos incêndios no Pantanal. Mídia News. Cuiabá: [s.n.]. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  11. Redação (19 set. 2020). Delegacia de Meio Ambiente busca responsáveis pelos incêndios no Pantanal. O Documento. Cuiabá: [s.n.]. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  12. Agência Brasil (5 set. 2020). Perícia afirma que incêndio no Pantanal ato-grossense foi intencional. Bol Notícias. São Paulo: UOL. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  13. Agência Brasil (5 set. 2020). Perícia afirma que incêndio no Pantanal mato-grossense foi intencional. Gazeta Web. Maceió: Globo/Gazeta de Alagoas. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  14. Redação (12 set. 2020). Delegacia de Meio Ambiente busca responsáveis pelos incêndios no Pantanal. Visão News. [s.l.: s.n.]. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  15. https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2020/09/23/incendios-que-destruiram-117-mil-hectares-do-pantanal-comecaram-em-5-fazendas-de-mt-diz-icv.ghtml
  16. https://noticias.uol.com.br/colunas/amaury-ribeiro-jr/2020/09/25/pf-ja-tem-provas-para-indiciar-fazendeiros-por-queimadas-no-pantanal.htm
  17. https://g1.globo.com/ms/mato-grosso-do-sul/noticia/2020/09/16/cinco-fazendeiros-sao-investigados-pela-pf-por-destruicao-de-25-mil-hectares-do-pantanal-de-ms.ghtml
  18. https://noticias.uol.com.br/colunas/amaury-ribeiro-jr/2020/09/25/pf-ja-tem-provas-para-indiciar-fazendeiros-por-queimadas-no-pantanal.htm
  19. a b Tu, Natan Novelli (11 set. 2020). O estrago da onda de incêndios para os animais do Pantanal. Nexo Jornal. São Paulo: [s.n.]. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  20. a b Rodrigues, Alex (5 set. 2020). Tempo seco e calor favorecem novos focos de incêndio no Pantanal. Agência Brasil. Brasília: EBC. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  21. Motta, Camilla Veras (13 ago. 2020). Queimadas no Pantanal: avanço do fogo ameaça santuário de araras azuis. BBC News Brasil. São Paulo: BBC Brasil. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  22. UOL (8 set. 2020). Incêndio no Pantanal ameaça maior concentração de onças-pintadas do mundo. UOL Notícias. São Paulo: UOL. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  23. Adria Karoline (19 ago. 2020). Pará, Amazonas e Mato Grosso somam 60% das queimadas de agosto; Pantanal é bioma mais afetado. Folha do Progresso. Belém: [s.n.]. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  24. Veras, Flávio (28 ago. 2020). Ministério suspende ações de combate a queimadas no pantanal. JD1 Notícias. Campo Grande: JD1. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  25. Macedo, Isabella; Carvalho, Daniel (28 ago. 2020). Salles anuncia suspensão de combate a queimadas e desmatamento, e Mourão nega bloqueios. Folha de S.Paulo. São Paulo: UOL. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  26. O Globo (15 ago. 2020). Queimadas no Pantanal aumentaram 240% no acumulado deste ano comparado a 2019. O Globo. Rio de Janeiro: Grupo Globo. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  27. Agência O Globo (15 ago. 2020). Queimadas no Pantanal aumentaram 240% no acumulado deste ano comparado a 2019. Último Segundo. São Paulo: iG. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  28. «Cortina de fumaça: cidades onde respirar tem sido difícil». Solos. 17 de setembro de 2020. Consultado em 20 de setembro de 2020 
  29. «Cortina de fumaça: cidades onde respirar tem sido difícil». Solos. 17 de setembro de 2020. Consultado em 20 de setembro de 2020 
  30. Garcia, Ianara (8 ago. 2020). Incêndios atingem Pantanal e Parques do Xingu e de Chapada dos Guimarães em Mato Grosso. G1 Mato Grosso. Cuiabá: Globo/TV Centro América. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  31. Chuva, Ana Paula (2 set. 2020). Fumaça das queimadas no Pantanal cobre cidade até no Paraná. Campo Grande News. Campo Grande: [s.n.]. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  32. Borges, André (11 set. 2020). Fumaça de Amazônia e Pantanal começa a chegar a cidades do Sudeste e do Sul. UOL Notícias. São Paulo: UOL. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  33. «Como a fumaça das queimadas do Pantanal chega em SC». NSC Total. 16 de setembro de 2020. Consultado em 20 de setembro de 2020 
  34. «Céu do domingo em SC tem fumaça das queimadas do Pantanal». NSC Total. 13 de setembro de 2020. Consultado em 20 de setembro de 2020 
  35. «Moradores relatam 'chuva preta' no RS, e fogo no Pantanal pode ser a causa». Uol. 14 de setembro de 2020. Consultado em 20 de setembro de 2020 
  36. «Fumaça do Pantanal provoca chuva preta em SC; veja vídeo». NSC Total. 18 de setembro de 2020. Consultado em 20 de setembro de 2020 
  37. Arini, Juliana (12 set. 2020). Pantanal sofre a maior devastação de sua história enquanto voluntários lutam para salvar os animais. El País. Madri: Grupo Prisa. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  38. «Incêndios no Pantanal obrigam remoção de populações indígenas, que ficam expostas à covid-19». El País Brasil. 15 de setembro de 2020. Consultado em 20 de setembro de 2020 
  39. «Incêndios no Pantanal obrigam remoção de populações indígenas, que ficam expostas à covid-19». El País Brasil. 15 de setembro de 2020. Consultado em 20 de setembro de 2020 
  40. «Abandonados pelo poder público, primeiros habitantes do Pantanal perdem 83% do território para o fogo». Folha de São Paulo. Consultado em 20 de setembro de 2020 
  41. Froes, Daniel (4 set. 2020). ONG faz campanha para salvar milhares de animais silvestres, vítimas de incêndios no Pantanal. Razões para acreditar. Higienópolis: [s.n.]. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  42. Barbosa, Leandro; Périssé, Iberê (10 set. 2020). A busca pelos animais feridos em meio ao fogo no Pantanal. The Intercept Brasil. Rio de Janeiro: First Look Media. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  43. iG Último Segundo (7 set. 2020). [1] Último Segundo. São Paulo: iG. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  44. Barbosa, Leandro (11 set. 2020). A busca pelos animais feridos em meio ao fogo no Pantanal. Projeto Solos. [S.l.: s.n.]. Consultado em 16 de setembro de 2020.
  45. https://ciclovivo.com.br/planeta/meio-ambiente/ambientalistas-brigada-anti-incendio-alto-pantanal/
  46. https://claudia.abril.com.br/noticias/crowdfunding-brigada-incendio-pantanal-fotos/