José Adolfo de Melo e Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

José Adolfo de Melo e Sousa (Figueira da Foz, São Julião da Figueira da Foz, 11 de Novembro de 1858 – 10 de Janeiro de 1925) foi um político e empresário bancário e ferroviário português.

Família[editar | editar código-fonte]

Filho de José António de Sousa (Figueira da Foz, 28 de Novembro de 1828 - ?) e de sua mulher Maria Amélia de Melo Ramalho (Montemor-o-Velho, Santo Varão, Formoselha - ?).[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Par do Reino, Conselheiro de Sua Majestade Fidelíssima, Presidente da Administração do Porto de Lisboa, Presidente da Associação Comercial de Lisboa (1903-1904), Presidente do Conselho de Administração dos Caminhos de Ferro Portugueses, Presidente da Direção do Banco Comercial de Lisboa, Membro do Clube Henriques Nogueira, filiado no Partido Regenerador e, mais tarde, no Partido Regenerador Liberal, Deputado por Arganil, 36.º Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 8 de Junho de 1907 a 17 de Fevereiro de 1908, Membro do Conselho Superior do Comércio e Indústria e da Comissão de Superintendência da Bolsa e Presidente da Secção de Comércio da Sociedade de Geografia de Lisboa, 4.º Governador do Banco de Portugal (1907-1910), demitindo-se com a Implantação da República Portuguesa e Diretor da Companhia de Seguros Fidelidade.[1][2]

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou com Sophie Klein (Estrasburgo - ?), filha de Simon Klein e de sua mulher Anne Marie Catherine Münsch. Tiveram um filho, José de Melo e Sousa (14 de Outubro de 1897 - 14 de Dezembro de 1970), Administrador do Banco Burnay.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c "Costados", D. Gonçalo de Mesquita da Silveira de Vasconcelos e Sousa, Livraria Esquina, 1.ª Edição, Porto, 1997, N.º 112
  2. Banco de Portugal. «Antigos Governadores do Banco de Portugal». Consultado em 24 de Novembro de 2014. Arquivado do original em 23 de outubro de 2014 
Precedido por
Júlio Marques de Vilhena
Governadores do Banco de Portugal
19075 de Outubro de 1910
Sucedido por
Inocêncio Joaquim Camacho Rodrigues