Mário Centeno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mário Centeno
Mário Centeno em 2018
18.º Governador do Banco de Portugal
Período 20 de julho de 2020
até à actualidade
Antecessor Carlos Costa
Ministro das Finanças
Período 26 de novembro de 2015
a 15 de junho de 2020
Primeiro-ministro António Costa
Antecessor Maria Luís Albuquerque
Sucessor João Leão
Presidente do Eurogrupo
Período 13 de janeiro de 2018
a 13 de julho de 2020
Antecessor Jeroen Dijsselbloem
Sucessor Paschal Donohoe
Dados pessoais
Nascimento 9 de dezembro de 1966 (53 anos)
Olhão, Olhão
Partido independente
Profissão economista

Mário José Gomes de Freitas Centeno (Olhão, 9 de dezembro de 1966) é um economista e político português. Foi ministro das Finanças de Portugal entre 26 de novembro de 2015 e 15 de junho de 2020 e presidente do Eurogrupo entre 12 de janeiro de 2018 e 13 de julho de 2020. É actual 18º Governador do Banco de Portugal.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É licenciado em Economia (1990) e mestre em Matemática Aplicada (1993) pelo Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa, e mestre (1998) e doutorado (1995-2000) em Economia pela Harvard Business School da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.[1][2][3][4][5]

Foi economista do Banco de Portugal, a partir de 2000, e diretor-adjunto do Departamento de Estudos Económicos, de 2004 a 2013. Neste período de tempo foi também membro do Comité de Política Económica da União Europeia. De 2007 a 2013, foi presidente do Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento das Estatísticas Macroeconómicas, no Conselho Superior de Estatística. É também professor catedrático do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa.[1][2][3][4][5]

A 26 de novembro de 2015 tomou posse como Ministro das Finanças do XXI Governo Constitucional de Portugal.

A 4 de dezembro de 2017 foi eleito Presidente do Eurogrupo, durante o processo de candidatura teve o apoio de Portugal, Espanha, França, Alemanha e Itália.

No dia 9 de junho de 2020 anunciou a sua saída do governo, com efeitos a partir do dia 15 de junho de 2020, sendo substituído por João Leão no Ministério das Finanças [6].

No dia 17 de julho de 2020, o primeiro-ministro António Costa nomeou-o para o cargo de governador do Banco de Portugal.

Referências

  1. a b «Mário Centeno - Ministro das Finanças». Governo de Portugal. Consultado em 27 de novembro de 2015 
  2. a b «Ministro das Finanças: doutorado em Harvard, polémico, liberal». Expresso. 24 de novembro de 2015. Consultado em 27 de novembro de 2015 
  3. a b «Um liberal de esquerda talhado em Harvard». Diário Económico. 25 de novembro de 2015. Consultado em 27 de novembro de 2015 
  4. a b «Centeno: (Re)made in USA». Visão. 20 de novembro de 2015. Consultado em 27 de novembro de 2015 
  5. a b «Mário Centeno, de "ministro-sombra" a ministro das Finanças». Público. 24 de novembro de 2015. Consultado em 27 de novembro de 2015 
  6. Simões, Lígia (9 de junho de 2020). «Oficial. Mário Centeno deixa o Governo. João Leão nas Finanças». O Jornal Económico. Consultado em 9 de junho de 2020 

Precedido por
Maria Luís Albuquerque
(como ministra de Estado e das Finanças)
Ministro das Finanças
XXI Governo Constitucional de Portugal
2015 – 2019
Sucedido por
O próprio
(como ministro de Estado e das Finanças)
Precedido por
O próprio
(como ministro das Finanças)
Ministro de Estado e das Finanças
XXII Governo Constitucional de Portugal
2019 – 2020
Sucedido por
João Leão
Precedido por
Jeroen Dijsselbloem
Presidente do Eurogrupo
2018 – 2020
Sucedido por
Paschal Donohoe