Marta Temido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Marta Temido
Ministra da Saúde da
República Portuguesa
Período 15 de outubro de 2018 até à atualidade
Governos XXIII Governo Constitucional;
XXII Governo Constitucional;
XXI Governo Constitucional
Antecessor(a) Adalberto Campos Fernandes
Dados pessoais
Nascimento 2 de março de 1974 (48 anos)
Coimbra
Partido Partido Socialista

Marta Alexandra Fartura Braga Temido de Almeida Simões (Coimbra, 2 de março de 1974) é uma administradora portuguesa, especialista em administração hospitalar. É doutorada em Saúde Internacional, pelo Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade de Lisboa, além de deter um Mestrado em Gestão e Economia da Saúde, atribuído pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, e uma licenciatura em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.[1]

Na sequência da saída do até então Ministro da Saúde português, Adalberto Campos Fernandes, do XXI Governo Constitucional, foi nomeada ministra da Saúde em outubro de 2018, assumindo o cargo a 15 de outubro desse mês.[2] Continuou a ocupar esse cargo no XXII e XXIII Governo Constitucional.

Tem tido especial importância na gestão da crise sanitária da COVID-19 em Portugal, tendo sido um dos principais rostos no combate à pandemia no país. Tendo as autoridades portuguesas sido elogiadas pela sua gestão durante as semanas iniciais da primeira vaga da pandemia no país[3] - vaga essa que durou entre março 2020 e o final do verão desse ano -, em março de 2021 Marta Temido assumiu responsabilidades pelas decisões relativas às restrições do Natal de 2020[4], vistas por alguns especialistas como demasiado permissivas,[5] e que foram um dos dois acontecimentos associados ao desencadear da especialmente trágica terceira vaga da pandemia no país[6][7] - a pior em Portugal até ao momento -, tendo a outra sido o desseminar da variante alfa do SARS-CoV-2. Entretanto, ainda durante a gestão de Temido, o país tem liderado uma bem-sucedida campanha de vacinação contra a COVID-19, sendo Portugal um dos países com maior percentagem de pessoas inoculadas contra o vírus que origina essa doença.[8]

Temido tornou-se militante do Partido Socialista durante o 23º congresso do Partido Socialista, ao fim de quase três anos como Ministra da Saúde e praticamente um ano e meio desde o início da pandemia do SARS-CoV-2 em Portugal.[9] Até então Marta Temido era independente.

É candidata pelo Partido Socialista às eleições legislativas portuguesas antecipadas de 2022, sendo a cabeça-de-lista entre os candidatos do partido ao círculo eleitoral de Coimbra.[10]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Marta Alexandra Fartura Braga Temido de Almeida Simões nasceu em Coimbra, em 1974.

É soutorada em Saúde Internacional, pelo Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa, detendo um Mestrado em Gestão e Economia da Saúde, pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, e Licenciatura em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

É especializada em Administração Hospitalar pela Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa (UNL). Exercia os cargos de sub-diretora do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da UNL e de Presidente não-executiva do conselho de administração do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa antes de assumir funções no XXI Governo. Entre 2016 e 2017, foi presidente do conselho diretivo da Administração Central do Sistema de Saúde.

Exerceu responsabilidades de administração e gestão em diversos hospitais do Serviço Nacional de Saúde, assim como em outras entidades do setor, nomeadamente na Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, cuja direção presidiu entre 2013 e 2015.

Integrou, ainda, os conselhos consultivos do Grupo de Ativistas pelo Tratamento (GAT) e do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, tendo desempenhado atividade de docência em várias instituições na área da saúde. É autora e coautora de publicações científicas no âmbito da saúde.[11]

Referências

  1. «Governo de Portugal» 
  2. Group, Global Media (14 de outubro de 2018). «Afinal não somos todos Adalberto. Quem é a nova ministra da saúde». TSF Rádio Notícias 
  3. Legge-bourke, Eleanor (28 de agosto de 2020). «The fear factor: How Portugal tackled COVID19». Observer Research Foundation. Consultado em 11 de dezembro de 2021 
  4. «Marta Temido e Graça Freitas receberam "tantas farpas e varapaus" que decidiram não aparecer juntas». Diário de Notícias. 1 de março de 2021. Consultado em 11 de dezembro de 2021 
  5. Neto, Rita (3 de dezembro de 2020). «Natal pode trazer terceira vaga. Especialistas contra alívio das restrições». Eco. Consultado em 11 de dezembro de 2020 
  6. Pichel, Mar (3 de fevereiro de 2021). «'Portugal é um barril de pólvora, país de idosos e fumantes': médico brasileiro descreve tsunami por covid-19». BBC Brasil. Consultado em 11 de dezembro de 2021 
  7. Vallone, Giuliana (10 de fevereiro de 2021). «Coronavírus: como Portugal, exemplo na 1ª onda da pandemia, chegou à beira do colapso na 2ª». BBC Brasil. Consultado em 11 de dezembro de 2021 
  8. Almeida Mendes, Filipa (12 de novembro de 2021). «Infografia: Portugal é o país que mais vacina e dos que têm menos mortes na Europa». Público. Consultado em 12 de dezembro de 2021 
  9. «Marta Temido recebe cartão de militante do PS das mãos de António Costa». O Jornal Económico. 28 de agosto de 2021. Consultado em 11 de dezembro de 2021 
  10. «PS. Sete ministros são cabeças de lista para as legislativas». Diário de Notícias. 10 de dezembro de 2021. Consultado em 11 de dezembro de 2021 
  11. «Governo de Portugal». www.portugal.gov.pt. Consultado em 18 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Adalberto Campos Fernandes
Ministra da Saúde
XXI, XXII e XXIII Governos Constitucionais
2018 – presente
Sucedido por
Incumbente
Ícone de esboço Este artigo sobre um político português é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.