Paulo Mendo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde maio de 2014)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Paulo Mendo
Ministro(a) de Portugal Portugal
Período XII Governo Constitucional
  • Ministro da Saúde
Antecessor(a) Arlindo de Carvalho
Sucessor(a) Maria de Belém Roseira
Dados pessoais
Nascimento 3 de outubro de 1932 (84 anos)
Lisboa, Portugal
Partido PSD

Adalberto Paulo da Fonseca Mendo (Lisboa, 3 de outubro de 1932) é um médico e político português. Ocupou o cargo de Ministro da Saúde no XII Governo Constitucional entre 1993 e 1995.

Foi médico neurologista, neurorradiologista, diretor de serviço, diretor do Hospital de Santo António.

Após ter sido deputado à Assembleia da República, pelo PSD, entre 1995 e 1999, recebe, desde 2001, uma subvenção vitalícia mensal do Estado, destinada a ex-titulares de cargos políticos, no valor de 2 020,73 euros.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Apesar de a família ser do Norte (pai era de Mirandela e a mãe de Amarante), nasceu em Lisboa, em Alcântara, nas casas da União Fabril. O pai engenheiro veio para a capital trabalhar nos armazéns da CUF. A família mudou-se para São Pedro da Cova quando o pai arranjou emprego nas minas de carvão. Fez aí a instrução primária e quando terminou foi para o Liceu Alexandre Herculano, no Porto.
Fez o 1º ano de Medicina enquanto se envolvia na política no MUD Juvenil (Movimento de Unidade Democrática). Resolveu mudar de curso e ir para Belas Artes.

Conheceu a futura esposa no curso de Belas Artes, em 1950, tendo casado posteriormente aos 22 anos. Esta convenceu-o a regressar à Medicina, em 1951, mas sempre ligado à política e ao MUD. Foi preso pela PIDE durante dois meses e meio, juntamente com membros das associações académicas. Foi absolvido em julgamento.

É destacado durante 10 meses como adido à biblioteca no quartel da Graça, em Lisboa.

Em 1959 forma-se e entra no Hospital de São João, onde se torna neurologista. Especializou-se em neurologia de traumatologia de urgência no Hospital de Santo António.

Decidiu ir para Marrocos por oposição à guerra colonial, tendo trabalhado nas urgências de um hospital. Regressou a Portugal em agosto de 1964, tendo retomado o serviço no Hospital de Santo António.

Foi secretário de estado duas vezes, no I Governo Constitucional de 1976-77, e pelo CDS,a na AD, de 1981 a 1983. Foi convidado por Cavaco Silva para ser ministro da Saúde[2].

Reformou-se no ano 2000.

Foi casado com Verónica durante 61 anos, com a qual teve o seu único filho Pedro. A esposa faleceu em 2013 vítima de doença prolongada. O filho é arquitecto. Tem uma neta e um bisneto.

Funções governamentais exercidas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Arlindo de Carvalho
Ministro da Saúde
XII Governo Constitucional
1993 – 1995
Sucedido por
Maria de Belém Roseira

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um médico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.