Jaime Gama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jaime Gama
Jaime Gama
Ministro(a) de Flag of Portugal.svg Portugal
Período II Governo Constitucional
  • Ministro da Administração Interna

IX Governo Constitucional

  • Ministro dos Negócios Estrangeiros

XIII Governo Constitucional

  • Ministro dos Negócios Estrangeiros
  • Ministro da Defesa Nacional

XIV Governo Constitucional

  • Ministro dos Negócios Estrangeiros
  • Ministro de Estado
  • Presidente da Assembleia da República
Vida
Nascimento 8 de junho de 1947 (68 anos)
Ponta Delgada, Fajã de Baixo
Dados pessoais
Partido Partido Socialista
Profissão Professor e Jornalista

Jaime José de Matos da Gama GCCGCIHGCL (Fajã de Baixo, Ponta Delgada, 8 de junho de 1947) é um professor, jornalista e político português.

Atualmente é Presidente do Conselho de Administração do Novo Banco dos Açores.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Frequentou o Liceu Nacional Antero de Quental, em Ponta Delgada, licenciou-se em Filosofia e terminou o Curso Complementar de Ciências Pedagógicas, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi professor do ensino secundário e do ensino superior privado, além de jornalista, com uma passagem pelo jornal República.

Membro da Ação Socialista Portuguesa, é detido pela PIDE em 1965, após deslocação a Roma para participar num encontro da Internacional Socialista. Em 1969 é candidato a deputado à Assembleia Nacional, pela Comissão Eleitoral de Unidade Democrática[1] . Em 1973 está entre os militantes fundadores do Partido Socialista.

Na madrugada de 25 de abril de 1974 Jaime Gama é oficial milicano do CICA 2 (Centro de Instrução de Condutores Auto da Figueira da Foz), o que o leva a participar diretamente nas operações militares do golpe que levou à queda do governo de Marcelo Caetano[2] . Daí será requisitado para dirigir a informação e os noticiários da Emissora Nacional, hoje RDP[3] .

Com uma longa carreira parlamentar, iniciada logo na Assembleia Constituinte, onde foi Presidente da Comissão dos Assuntos das Regiões Autónomas (1975-1976)[4] , foi várias vezes eleito deputado à Assembleia da República, a partir de 1976, pelo círculo dos Açores e, a partir de 1983, pelo círculo de Lisboa. Foi vice-presidente (1976-1978) e presidente (1991-1992 e 1993-1995) do Grupo Parlamentar do PS; presidiu às comissões parlamentares dos Negócios Estrangeiros (1976-1978), de Defesa Nacional (1985-1991)

A experiência parlamentar é interrompida diversas vezes para exercer funções governativas; Jaime Gama estreia-se como Ministro da Administração Interna, no segundo governo de Mário Soares, que resultou de uma coligação com o CDS-PP de Diogo Freitas do Amaral, em 1978; assume a função de Ministro dos Negócios Estrangeiros, de novo sendo Primeiro-Ministro Mário Soares, em coligação com o PSD (o chamado governo do Bloco Central), 1983-1985; repete o cargo no primeiro governo de António Guterres, 1995-2002; continua com Guterres, agora como Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, no seu segundo governo, que tomou posse em 1999 e durou até 2002, quando Guterres se demitiu na sequência um mau resultado do PS nas eleições autárquicas desse ano[5] .

No último desses anos, quando regressa à Assembleia, na sequência das legislativas de 2002, vai presidir à Comissão de Assuntos Europeus e Política Externa (2002-2005); assumindo, subsequentmente, o cargo presidente da Mesa da Assembleia da República (2005-2009)[6] e, nessa qualidade, o cargo inerente de membro do Conselho de Estado (2005-2011)[7] .

Publicou Política Externa Portuguesa (1983-1985, 1995-1999, 1999-2002).

A 23 de Março de 2016 foi feito Chanceler das Antigas Ordens Militares pelo Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa.[8]

Condecorações[9] [10] [editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

Filho do Tenente-Coronel Jaime da Rosa Ferreira da Gama (Horta, Matriz, Janeiro de 1914 - Lisboa, 29 de Julho de 2003), Cavaleiro da Ordem Militar de Avis (28 de Dezembro de 1953) e Oficial da Ordem Militar de Avis (4 de Julho de 1973),[11] e de sua mulher Lucília Vaz do Rego de Matos (Ponta Delgada, São Sebastião, 12 de Setembro de 1916 - Lisboa, Estrela, Hospital Militar da Estrela, 21 de Setembro de 1987).

Casou em Lisboa, a 18 de Setembro de 1971, com Alda Taborda, de quem tem um filho, João Taborda da Gama, Licenciado em Direito, variante de Direito Financeiro e Fiscal, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde foi Professor Assistente, transferindo-se depois para a Faculdade de Direito da Universidade Católica de Lisboa, advogado, casado.

Referências

  1. Parlamento.pt
  2. Parlamento.pt
  3. DN
  4. Parlamento.pt
  5. Parlamento.pt
  6. Parlamento.pt
  7. Parlamento.pt
  8. «Presidente da República deu posse aos Chanceleres das Ordens Honoríficas». Página Oficial do Grão-Mestre das Ordens Honoríficas Portuguesas. 23 de Março de 2016. Consultado em 24 de Abril de 2016. 
  9. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Jaime José Matos da Gama". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2015-02-05. 
  10. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Estrangeiras». Resultado da busca de "Jaime José Matos da Gama". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2015-02-05. 
  11. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Jaime Rosa Ferreira da Gama". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2015-02-05. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Alberto Oliveira e Silva
Ministro da Administração Interna
II Governo Constitucional
1978
Sucedido por
António Gonçalves Ribeiro
Precedido por
Vasco Futscher Pereira
Ministro dos Negócios Estrangeiros
IX Governo Constitucional
1983 – 1985
Sucedido por
Pedro Pires de Miranda
Precedido por
José Manuel Durão Barroso
Ministro dos Negócios Estrangeiros
XIII e XIV Governos Constitucionais
1995 – 2002
Sucedido por
António Martins da Cruz
(como ministro dos Negócios Estrangeiros
e das Comunidades Portuguesas)
Precedido por
José Veiga Simão
Ministro da Defesa Nacional
XIII Governo Constitucional
1999
Sucedido por
Júlio Castro Caldas
Precedido por
Tarja Halonen
Finlândia
Presidente do Conselho da União Europeia
Janeiro – Junho de 2000
Sucedido por
Hubert Védrine
França
Precedido por
João Bosco Mota Amaral
Presidente da Assembleia da República
2005 – 2011
Sucedido por
Assunção Esteves