José Augusto Seabra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
José Augusto Seabra
José Augusto Seabra
Ministro(a) de Flag of Portugal.svg Portugal
Período IX Governo Constitucional
  • Ministro da Educação
Antecessor(a) Vitor Pereira Crespo
Sucessor(a) João de Deus Pinheiro
Dados pessoais
Nascimento 24 de fevereiro de 1937
27 de maio de 2004 (67 anos)

José Augusto Baptista Lopes e Seabra (São João da Pesqueira, Vilarouco, 24 de Fevereiro de 1937Paris[1][2], 27 de Maio de 2004) foi um poeta, ensaísta, professor, diplomata e político português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, em 1961. Combateu o Salazarismo e exilou-se em França, de onde saíu depois do 25 de Abril de 1974, tendo sido um destacado militante do PSD. Iniciado maçon, pertenceu à Loja União, do Porto, do Grande Oriente Lusitano. Em Paris foi funcionário da UNESCO e desenvolveu estudos de Literatura, na École Pratique des Hautes Études. Sob a orientação de Roland Barthes doutorou-se na Universidade de Paris III, apresentando a tese Fernando Pessoa: do poemodrama ao poetodrama, depois publicada em Portugal e no Brasil.

De 1974 a 1985 foi professor da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Deputado à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República, pelo Partido Social Democrata, viria a ocupar o cargo de Ministro da Educação no IX Governo Constitucional, do chamado Bloco Central (1983-1985). A partir de 1985 foi embaixador na UNESCO e, depois disso, diplomata nas Embaixadas de Portugal em Nova Delhi, em Bucareste e Buenos Aires[3][4].

O seu nome encontra-se na lista de colaboradores da publicação académica Quadrante [5] (1958-1962).

Funções governamentais exercidas[editar | editar código-fonte]

Principais obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • 1961 - A Vida Toda
  • 1967 - Os Sinais e a Origem
  • 1972 - Tempo Táctil
  • 1977 - Desmemória
  • 1980 - O Anjo
  • 1985 - Gramática Grega
  • 1990 - Fragmentos do Delírio
  • 1990 - Do Nome de Deus
  • 1993 - Enlace, em colaboração com Norma Tasca
  • 1996 - Sombras de Nada
  • 1997 - Amar a Sul
  • 1999 - Conspiração da Neve
  • 2001 - Oximoros
  • 2002 - Tangos Mentais

Ensaio[editar | editar código-fonte]

  • 1974 - Fernando Pessoa ou o Poetodrama
  • 1980 - Poética de Barthes
  • 1985 - O Heterotexto Pessoano
  • 1986 - Cultura e Política ou a Cidade e os Labirintos
  • 1994 - Poligrafias Poéticas
  • 1993 - Edição crítica de Mensagem e Poemas Esotéricos, de Fernando Pessoa
  • 1996 - O Coração do Texto / Le Coeur du Texte
  • 1998 - Tradução de Poemas de Mallarmé lidos por Fernando Pessoa

Autobiográfica[editar | editar código-fonte]

  • De Exílio em Exílio, vol. I : Resistências e Errâncias (1953-1963). Porto : Fólio Edições, 2004. ISBN 978-972-8700-22-5

Referências

  1. Arnaldo de Pinho. «JOSÉ AUGUSTO SEABRA». Instituto Camões, I. P. Consultado em 12 de dezembro de 2015 
  2. «Faleceu José Augusto Seabra». PÚBLICO. Consultado em 12 de dezembro de 2015 
  3. Biografia na página da Secretaria-Geral do Ministério da Educação e Ciência.
  4. José Augusto Seabra na página do Camões: Instituto da Cooperação e da Língua.
  5. Ana Cabrera. «Ficha histórica:Quadrante – a revolta de uma elite perante a crise da universidade» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 30 de março de 2015 


Precedido por
Vitor Pereira Crespo
Ministro da Educação
IX Governo Constitucional
Sucedido por
João de Deus Pinheiro
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.