António Vitorino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
António Vitorino
António Vitorino, no centro da imagem, enquanto Ministro da Defesa, em 1996
Ministro(a) de Portugal Portugal
Período XIII Governo Constitucional
  • Ministro da Presidência
    e Ministro da Defesa Nacional
Dados pessoais
Nascimento 12 de janeiro de 1957 (61 anos)
Lisboa
Partido Partido Socialista

António Manuel de Carvalho Ferreira Vitorino GCC (Lisboa, 12 de janeiro de 1957) é um advogado e político português.[1]

Vida[editar | editar código-fonte]

Licenciado em Direito (1981) e mestre em ciências jurídico-políticas (1986), foi assistente da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (1982-2007) e dos departamentos de direito da Universidade Autónoma de Lisboa (1985-1995) e da Universidade Internacional em Lisboa (1998-1999).

Admitido em 1983 na Ordem dos Advogados, é sócio da Cuatrecasas, Gonçalves Pereira & Associados, sociedade de advogados que sucedeu à Gonçalves Pereira, Castelo Branco & Associados, fundada por André Gonçalves Pereira e Manuel Castelo Branco; aqui António Vitorino coordena a área de Direito da União Europeia e colabora na área de Direito Público[2]

Além de advogado, Vitorino desempenha cumulativamente cargos em 12 empresas diferentes, sendo presidente de assembleias-gerais e de conselhos fiscais, bem como vogal em administrações. É, designadamente, administrador da Siemens Portugal, presidente da assembleia-geral da Brisa, da Finipro, da Novabase e do Banco Caixa Geral Totta de Angola (BCGTA), bem como presidente do conselho de administração da Fundação Res Publica, ligada ao Partido Socialista. Foi presidente da Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva (2007-2009).

Também é professor convidado da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa e da Católica Global School of Law, da Universidade Católica Portuguesa.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

António Vitorino aderiu à Juventude Socialista, a jota do PS, quando estudava no Liceu Camões, em Lisboa.

Não obstante a sua filiação, viria depois a aproximar-se de outros grupos, como a Frente Socialista Popular, o Movimento Socialista Unificado, em 1976, e ainda a União da Esquerda para a Democracia Socialista (UEDS), em 1978.

Em 1980 foi eleito, pela primeira vez, deputado à Assembleia da República, nas listas da UEDS, através da coligação Frente Republicana e Socialista. Foi, depois, sucessivamente eleito em cinco legislaturas, sempre pelo PS, até 2006.

Foi igualmente deputado ao Parlamento Europeu (1994-1995), onde presidiu à Comissão das Liberdades Cívicas e dos Assuntos Internos.

Várias vezes chamado a funções governativas, estreou-se em 1983 como Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares no IX Governo Constitucional (1983-1985). A seguir, na Região de Macau foi Secretário-Adjunto do Governador (1986-1987).

Em 1989 foi eleito pela Assembleia da República, juiz do Tribunal Constitucional, sob indicação do Partido Socialista; cargo que exerceu desde 1989 a 1994.

Com António Guterres exerceu no período de dois anos os cargos de Ministro da Presidência, primeiro, e Ministro da Defesa Nacional no XIII Governo Constitucional, depois (1995-1997).

Em 1999 foi indicado para Comissário Europeu, sendo-lhe atribuída a responsabilidade pela Justiça e Assuntos Internos (1999-2004).

Faz parte da maçónica organização Grande Oriente Lusitano[3][4].

A 9 de Junho de 2014 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[5]

Condecorações[6][5][editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «António Manuel Vitorino». Assembleia da República. Consultado em 9 de maio de 2009. 
  2. «Socialista António Vitorino desempenha cargos em 12 empresas distintas» 
  3. Maçonaria, Tretas
  4. Espiões (SIS, SIED, SIRP) na Maçonaria, Portugal Esotérico.org, 12 de Setembro de 2010, pela revista Sábado em 24 de Fevereiro de 2009.
  5. a b «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "António Manuel de Carvalho Ferreira Vitorino". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de julho de 2014. 
  6. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Estrangeiras». Resultado da busca de "António Vitorino". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de julho de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Cargo vago
Anterior titular:
Fernando Nogueira
(1987–95)
Ministro da Presidência
XIII Governo Constitucional
1995 – 1997
Sucedido por
Cargo vago
Titular seguinte:
Jorge Coelho
(1999–2000)
Precedido por
António Figueiredo Lopes
Ministro da Defesa Nacional
XIII Governo Constitucional
1995 – 1997
Sucedido por
José Veiga Simão
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre Maçonaria é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.