Juha Kankkunen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Juha Kankkunen
Kankkunen repo.jpg
Juha Repo (esq.) e Juha Kankkunen (dir.)
Registros no Campeonato Mundial de Rali
Nacionalidade Finlândia Finlandês
Anos de atividade 19792002
Equipes Toyota, Peugeot, Lancia, Ford, Subaru, Hyundai
Ralis mundiais 161
Campeonatos 4
Vitórias 23
Pódios 75
Vitórias em etapas 700
Pontos 1136
Primeiro rali no mundial 1979 1000 Lakes Rally
Primeira vitória 1985 Rali Safari
Última vitória 1999 Rali da Finlândia
Último rali no mundial 2002 Rali da Grã-Bretanha

Juha Matti Pellervo Kankkunen (Laukaa, 2 de abril de 1959) é um ex-piloto de ralis finlandês que foi tetracampeão do Campeonato Mundial de Rali (WRC).

Juha fez nome principalmente como piloto de carros de rali. Ajudado parcialmente pelo seu recorde de 23 vitórias. Foi para a Peugeot em 1986, entre 1987 e 1991 guiou um Lancia e em 1993 mudou-se para a Toyota, foram estas quatro marcas que lhe deram os quatro títulos mundiais.

Pilotos como Sébastien Loeb, Carlos Sainz e Colin McRae quebraram o marco estabelecido por Kankkunen no número de vitórias em ralis. Contudo apenas o seu compatriota e antigo tetracampeão mundial Tommi Mäkinen teve o tetra-campeão assim com Sébastien Loeb, de vitórias de campeonatos durante a sua carreira.

Retirou-se em 2002, de seguida anunciou a sua intenção de dedicar-se à política, seguindo a mesma carreira do seu compatriota Ari Vatanen.

Desde 2007 Kankkunen detém o Recorde do Mundo de Velocidade em gelo ao volante de um Bentley Continental.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Kankkunen cresceu na quinta da sua família perto de Jyväskylä, e aos sete anos já tinha conduzido o carro dos pais e um trator.

De 1983 a 1985, guiou um Toyota Celica Twincam Turbo TA64, um motor que levou-o a ganhar o primeiro Rali Safari em 1985 na sua primeira participação, e com as hipóteses dele na bolsa de apostas de 100 para 1. Foi uma demonstração de competência e excelente condução que lhe permitiram dominar em 1985 o mundial de construtores e de pilotos, conseguindo na época seguinte o tão desejado título mundial – apesar de uma distração evidente que fez com que o seu rival Henri Toivonen da Lancia tivesse um grave acidente quando liderava no Rali da Córsega.

Após vencer duas vezes consecutivas o título mundial e mudar-se para a equipa italiana da Lancia em 1987, teve dificuldade em aceitar as ordens do chefe de equipa devido ao "Herói italiano num carro italiano", Massimo Biasion (fez a sua primeira aparição com a equipa no Rali de Monte Carlo).

Na estreia de um Toyota Celica GT-Four ST165 no Rali da Córsega, teve de esperar pela época seguinte em 1989, pelo Rali da Austrália para ter a sua primeira vitória com o Celica. Em 1991 tornou-se no primeiro homem a conseguir três títulos mundiais, desde a inauguração do WRC em 1973.

Em 1993 mudou-se para a Toyota, acabando na época anterior atrás do segundo lugar de Carlos Sainz, com a Toyota conseguiu o quarto título mundial, apesar de a meio da época ter sido substituído por duas vezes o seu co-piloto, com o seu primeiro co-piloto Juha Piironen a sofrer um ataque. Kankkunen ganhou o Rali da Argentina em 1993 com o seu novo co-piloto Nicky Grist. No Rali dos 1000 Lagos da Finlândia fez dupla com o francês Denis Giraudet. Com cinco vitórias, e duas outras do seu companheiro de equipa, a Toyota com o Celica GT-Four ST185 ganhou o mundial de construtores, o primeiro para a marca japonesa.

Em 1994 Kankkunen ganhou o Rali de Portugal com o ST185, e terminou em segundo no Rali da Austrália, na primeira aparição do ST205.

Infelizmente para Kankkunen, a relação com o ST205 não correu muito bem, quando em 1995 a Toyota foi considerada culpada pela implementação ilegal de um peça no turbo nos carros da marca japonesa. Max Mosley da FIA, acabou por declarar que a equipa japonesa estava banida das competições até 1997.

Kankkunen foi também piloto da Subaru e Hyundai, tendo ganho dois ralis (Argentina e Finlândia) ao volante de um Subaru Impreza.

Foi também vencedor do famoso Rali Dakar em 1988. Venceu igualmente em 1988 e 1991 a Corrida dos Campeões.

Vitórias no Group B[editar | editar código-fonte]

Número Evento Temporada Co-piloto Carro
1 Quénia 33rd Marlboro Safari Rally 1985 Fred Gallagher Toyota Celica TCT
2 Costa do Marfim 17ème Rallye Côte d'Ivoire 1985 Fred Gallagher Toyota Celica TCT
3 Suécia 36th International Swedish Rally 1986 Juha Piironen Peugeot 205 Turbo 16 E2
4 Grécia 33rd Acropolis Rally 1986 Juha Piironen Peugeot 205 Turbo 16 E2
5 Nova Zelândia 16th AWA Clarion Rally of New Zealand 1986 Juha Piironen Peugeot 205 Turbo 16 E2
6 Estados Unidos 22nd Olympus Rally 1987 Juha Piironen Lancia Delta HF 4WD
7 Reino Unido 36th Lombard RAC Rally 1987 Juha Piironen Lancia Delta HF 4WD
8 Austrália 2nd Commonwealth Bank Rally Australia 1989 Juha Piironen Toyota Celica GT-Four
9 Austrália 3rd Commonwealth Bank Rally Australia 1990 Juha Piironen Lancia Delta Integrale 16V
10 Quénia 39th Martini Safari Rally Kenya 1991 Juha Piironen Lancia Delta Integrale 16V
11 Grécia 38th Acropolis Rally 1991 Juha Piironen Lancia Delta Integrale 16V
12 Finlândia 41st 1000 Lakes Rally 1991 Juha Piironen Lancia Delta Integrale 16V
13 Austrália 4th Commonwealth Bank Rally Australia 1991 Juha Piironen Lancia Delta Integrale 16V
14 Reino Unido 47th Lombard RAC Rally 1991 Juha Piironen Lancia Delta Integrale 16V
15 Portugal 26º Rallye de Portugal 1992 Juha Piironen Lancia Delta HF Integrale
16 Quénia 41st Trustbank Safari Rally 1993 Juha Piironen Toyota Celica Turbo 4WD
17 Argentina 13º Rally Argentina 1993 Nicky Grist Toyota Celica Turbo 4WD
18 Finlândia 43rd 1000 Lakes Rally 1993 Denis Giraudet Toyota Celica Turbo 4WD
19 Austrália 6th Telecom Rally Australia 1993 Nicky Grist Toyota Celica Turbo 4WD
20 Reino Unido 49th Network Q RAC Rally 1993 Nicky Grist Toyota Celica Turbo 4WD
21 Portugal 28º TAP Rallye de Portugal 1994 Nicky Grist Toyota Celica Turbo 4WD
22 Argentina 19º Rally Argentina 1999 Juha Repo Subaru Impreza WRC
23 Finlândia 49th Neste Rally Finland 1999 Juha Repo Subaru Impreza WRC

Ligações externas[editar | editar código-fonte]