Lago Paranoá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lago Paranoá
Vista do Lago Paranoá
Localização
Localização Brasília
País Brasil
Características
Tipo Lago artificial
Altitude 1 000 m
Área * 48 km²
Perímetro * 80 km
Profundidade média 12 m
Profundidade máxima 38 m
Bacia hidrográfica Bacia do Paranoá
Afluentes Ribeirão do Torto, Ribeirão do Gama, Ribeirão Riacho Fundo, Ribeirão Bananal
Ilhas Ilha do Paranoá
Ilha do Retiro
Ilha dos Clubes
* Os valores do perímetro, área e volume podem ser imprecisos devido às estimativas envolvidas, podendo não estar normalizadas.

O Lago Paranoá é um lago artificial de Brasília, no Distrito Federal, no Brasil. Foi concebido em 1894 pela Missão Cruls [1] e concretizado com a construção da cidade, durante o governo do presidente Juscelino Kubitschek.

O lago é formado pelas águas represadas do Rio Paranoá. Tem 48 quilômetros quadrados de área, profundidade máxima de 38 metros e cerca de oitenta quilômetros de perímetro, com algumas praias artificiais, como a "Prainha" e o "Piscinão do Lago Norte". Localizado em Brasília, foi criado com o objetivo de aumentar a umidade em suas proximidades. Ao redor do lago, há vários bares e restaurantes. Os bairros Lago Sul e Lago Norte derivam seus nomes do lago. Cada uma ocupa uma das duas penínsulas.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Paranoá" é um vocábulo de origem tupi. Significa "enseada de mar", através da junção dos termos paranã ("mar") e kûá ("enseada")[2][3].

Barragem[editar | editar código-fonte]

Com o represamento do Rio Paranoá em 12 de setembro de 1959, originou-se a usina que supria o Distrito Federal, mas que, atualmente, representa apenas 2,5 por cento de seu consumo energético.

História[editar | editar código-fonte]

No resumo do relatório da comissão de estudos da Nova Capital, apresentado por Luís Cruls em 1896, este transcreve trecho de sub-relatório feito pelo botânico Glaziou:[4]

Lago Paranoá na cidade de Brasília, Distrito Federal. Visão a partir do edifício sede do Tribunal Superior do Trabalho.

Fauna em Suas Margens[editar | editar código-fonte]

Uma das aves mais comuns do lago é o biguá. São também encontrados garças, águias-pescadoras, matracas, marrecas-pé-vermelho e marrecas-irerê. Entre mamíferos há a presença de lontras, capivaras, cuícas-d'água, ratos-d’água, micos-estrela, gambás-de-orelha-branca e ratos-do-campo.

Há também o jacaretinga, uma espécie nativa do lago que prefere as águas mais rasas e com mais vegetação e que não costuma atacar humanos.

Pesca[editar | editar código-fonte]

Desde o ano 2000, a pesca é permitida e incentivada no lago após sua despoluição,[5] onde são extraídos em sua maioria tilápias, espécie não nativa, assim como o tucunaré e a carpa, esta última introduzida especialmente como limpeza contra as algas. As espécies nativas são cará, lambari e traíra.

Navegação e Esportes Náuticos[editar | editar código-fonte]

O Distrito Federal possui mais de 11 000 embarcações registradas, sendo a terceira maior frota náutica do país. Entretanto, não há, em toda a orla do lago, qualquer píer ou marina públicos.

São praticados no lago vários esportes náuticos como canoagem, remo, iatismo, esqui aquático e até mergulho. Ali é realizada, desde 1994, a Regata JK, disputa com mais de duzentas embarcações.[6]

Naufrágio[editar | editar código-fonte]

No dia 22 de maio de 2011, um barco com pouco mais de cem pessoas naufragou no Lago Paranoá.[7] O acidente aconteceu por volta das vinte horas e trinta minutos, durante um evento que estava sendo realizado. A embarcação tinha licença para operar com noventa passageiros e dois tripulantes, mas o Corpo de Bombeiros diz que pelo menos 104 pessoas estavam a bordo. Porém não se tem certeza da quantidade exata no número de pessoas presentes no barco.[8]

A embarcação ficou inclinada e a 17 metros de profundidade.[9] Foi confirmado que pelo menos oito pessoas perderam a vida na tragédia.[10]

Projeto Na Praia[editar | editar código-fonte]

Em 2015 o projeto Na Praia criou uma praia artificial às margens do Lago Paranoá, novamente aberto em 2016 desde o dia 9 de Julho e terminará em 28 de Agosto de 2016.[11]

A área coberta pela areia da praia é de 6mil m², com o total de 400mil toneladas. O evento foi pensado de forma a reduzir impactos ambientais, utilizando de chamadas Bike Energy para recarregar aparelhos, e reutilização da água na ducha.[12] Nesse projeto, a dupla sertaneja Matheus & Kauan aproveitou para gravar seu terceiro álbum ao vivo.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Lago Paranoá

Referências

  1. Luís Cruls (1957). Planalto Central do Brasil. Coleção Documentos Brasileiros 3 ed. (Rio de Janeiro: Livraria José Olympio). p. 333. 
  2. http://www.ferias.tur.br/informacoes/1788/paranoa-df.html
  3. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  4. Planalto Central do Brasil-Coleção Documentos Brasileiros-Livraria José Olympio Editora-1957, página 331
  5. Jornal Alô Brasília, 25/10/2009
  6. [Nosso Lago, por Isabel Vilela, Correio Braziliense, 20/3/2010]
  7. «Barco com mais de 90 pessoas a bordo vira no Lago Paranoá». 22 de maio de 2011. 
  8. «Veja a cronologia do naufrágio em lago de Brasília». 23 de maio de 2011. 
  9. «Barco naufragado em Brasília está a 17 metros de profundidade, dizem bombeiros». 23 de maio de 2011. 
  10. «Bombeiros encontram sexto corpo do naufrágio no lago Paranoá». 24 de maio de 2011. 
  11. Correio Braziliense - Programação do projeto Na Praia
  12. G1 - Brasília ganha praia artificial