Mailasqui

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mailasqui
  Distrito do Brasil  
Localização
Estado  São Paulo
Município São Roque
História
Criado em 1981
Características geográficas
População total (2010) 10 713 hab.

Mailasqui é um distrito de São Roque, na zona rural da cidade. Foi criado pela lei 3198 de 23/12/1981[1].

O bairro é conhecido por ter abrigado a Santa Casa de São Roque[2], bem como pelo time de futebol da Portuguesa de Mailasqui.[3] É cortado pela Rodovia Raposo Tavares.[4]

Em Mailasqui ficava a sede do Instituto Royal, que foi invadido por ativistas dos direitos animais em 2013, num caso que repercutiu por toda a imprensa brasileira. Na ocasião, os ativistas acusavam o instituto de maus-tratos contra cães da raça beagle, usados como cobaias.[5]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

O distrito era atendido pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[6], que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[7], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[8] para suas operações de telefonia fixa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  2. «Prefeito Daniel e Presidente da FENAESC falam sobre parceria para a Santa Casa». Consultado em 26 de abril de 2017 
  3. Arquivo São Roque. «Seleção de São Roque no campo da Portuguesa de Mailasqui (1978)». Consultado em 26 de abril de 2017 
  4. JE Online. «Motoristas criticam trânsito de São Roque após inauguração de contorno da Raposo Tavares». Consultado em 26 de abril de 2017 
  5. G1. «Dois anos após invasão, beagle vive abandonada perto do Instituto Royal». Consultado em 26 de abril de 2017 
  6. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  7. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  8. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1