São Roque (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município da Estância Turística de
São Roque
"Cidade do vinho"
Centro de São Roque

Centro de São Roque
Bandeira da Estância Turística de São Roque
Brasão da Estância Turística de São Roque
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 16 de agosto
Fundação 16 de agosto de 1657 (361 anos)
Gentílico são-roquense
Lema Mea paulista gens
"Minha nação paulista"
Prefeito(a) Cláudio José de Góes (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização da Estância Turística de São Roque
Localização da Estância Turística de
São Roque em São Paulo
Estância Turística de São Roque está localizado em: Brasil
Estância Turística de
São Roque
Localização da Estância Turística de
São Roque no Brasil
23° 31' 44" S 47° 08' 06" O23° 31' 44" S 47° 08' 06" O
Unidade federativa São Paulo
Região
intermediária

Sorocaba IBGE/2017 [1]

Região
imediata

Sorocaba IBGE/2017

Região metropolitana Sorocaba
Municípios limítrofes Araçariguama, Itapevi, Vargem Grande Paulista, Ibiúna, Mairinque, Cotia e Itu
Distância até a capital 62 km[2]
Características geográficas
Área 307,553 km² [3]
População 88 473 hab. Estimativa IBGE/2017[4]
Densidade 287,67 hab./km²
Altitude 771 m
Clima subtropical cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,802 muito elevado PNUD/2000[5]
PIB R$ 1 040 799,311 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 15 380,74 IBGE/2008[6]
Página oficial
Prefeitura saoroque.sp.gov.br
Câmara camarasaoroque.sp.gov.br

São Roque é um município brasileiro do interior do estado de São Paulo, situado na Região Metropolitana de Sorocaba, na Mesorregião Macro Metropolitana Paulista e na Microrregião de Sorocaba. Localiza-se à latitude 23º31'45"Sul e à longitude 47º08'07" Oeste, com altitude de 771 metros. De acordo com os dados do IBGE, a sua população estimada no ano de 2017 era de 88.473 habitantes, distribuídos em 308,35 km² de área, com 106 bairros. O município é formado pela sede e pelos distritos de Canguera, Mailasqui e São João Novo[7][8].

Estância turística[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estância turística (São Paulo)

São Roque é um dos 29 municípios paulistas considerados estâncias turísticas pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de Estância Turística, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

O turismo “bate volta” é muito importante na cidade. Pessoas de toda a região no raio aproximado de 100 km visitam a cidade semanalmente onde usufruem de belos passeios, restaurantes variados e dos vinhos, licores, destilados, alcachofra e doces produzidos na cidade.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada na segunda metade do século XVII pelo bandeirante Pedro Vaz de Barros - mais conhecido como Vaz-Guaçu - a cidade surgiu de uma enorme fazenda e uma capela por ele erigida no local. A capela - então localizada onde hoje é a Praça da Matriz - foi levantada em devoção a São Roque. A fazenda tinha por objeto o cultivo de vinhedos e de trigais, utilizando-se mão-de-obra indígena forcada e mais tarde, de escravizados negros. Pouco depois da criação dessa fazenda, o irmão de Pedro Vaz - Fernão Paes de Barros, também veio a se instalar em São Roque, nos mesmos moldes que seu irmão, fundando uma fazenda e uma capela, contudo em louvor a Santo Antônio.[9]

A capela original a São Roque, bem como as igrejas barrocas que a sucederam no Largo da Matriz foram derrubadas e sucessivamente "modernizadas", assim como todo o entorno paisagístico do Largo da Matriz. Ao que consta, até a década de 1940, o Largo da Matriz era formado por um conjunto arquitetônico barroco, tendo a sua volta casarões.

Antes de ter sido elevado à condição de vila em 1832, o povoado foi declarado freguesia de Santana de Parnaíba, no ano de 1764.Em 1864, é elevado à categoria de município. Entre 1872 e 1875, é inaugurada a Santa Casa de Misericórdia e a estação da Estrada de Ferro Sorocabana. No final do século XIX, tem sua economia impulsionada pela chegada de imigrantes italianos.[9]

Em 8 de abril de 1834, é criado o I Cartório de Protesto de Notas e Títulos. O fórum judicial é criado em 15.04.1873, com a instalação de dois ofícios judiciais. Um ano depois, é criado o 1º Cartório de Registro de Imóveis. Em 01.01.1889, é instalado o Primeiro Ofício do Registro Civil das Pessoas Naturais. Em 1893, é instalado o 2º Cartório de Protesto de Notas e Títulos.[10]

Ao que consta, essas melhorias foram levadas a cabo em função da influência político do Sr. Antônio Joaquim da Rosa, o Barão de Piratininga, importante personalidade sanroquense, e ao que consta, amigo pessoal do Imperador D. Pedro II.[11] O Barão de Piratininga chegou, inclusive, a ser nomeado presidente da província de São Paulo no ano de 1869.[12]

Em 1890, o industrial italiano Enrico Dell'Acqua funda a BRASITAL, uma das primeiras indústrias têxteis do Brasil, a qual funcionou até meados dos anos 1970. Hoje, faz parte do patrimônio público municipal, abrigando um centro cultural e educativo, bem como a biblioteca municipal.[13]


A primeira tipografia da cidade é criada pelos irmãos Boccato, que passam a editar um semanário chamado "O Democrata". O jornal foi fundado em 1 de maio de 1917.[14] O primeiro ginásio da cidade, a escola "Horácio Manley Lane" foi fundada em 1947.[15]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Topografia

O município de São Roque localiza-se numa região de morfologia bastante acidentada, atingindo 1200 metros de altitude em alguns locais, e caindo para 600 metros em outros. Pontos destacados de maior altitude podem ser citados, como:

Alto da Serra - Estrada da Aeronáutica: 1.100 metros de altitude;

Morro do Saboó: cerca de 1.000 metros de altitude (visível de áreas de municípios vizinhos);

Morro do Sky Mountain Park: cerca de 1.200 metros de altitude.[16]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de São Roque é o subtropical Cwa, segundo a classificação climática de Köppen,com média no mês mais quente, fevereiro, de 23,1 °C e média no mês mais frio, julho, de 15,5 e a média de precipitação anual é de 1352mm, geadas ocorrem em praticamente todos os invernos, em julho de 2000, São Roque registrou uma temperatura de -3 °C, segundo o governo do estado de São Paulo.

Gráfico climático para São Roque
JFMAMJJASOND
 
 
278
 
28
16
 
 
137
 
29
16
 
 
136
 
29
16
 
 
48
 
25
14
 
 
55
 
23
10
 
 
27
 
22
9
 
 
81
 
23
8
 
 
27
 
25
10
 
 
72
 
26
11
 
 
115
 
27
13
 
 
152
 
27
14
 
 
219
 
28
15
Temperaturas em °CPrecipitações em mm
Fonte: Ciiagro

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio Aracaí
  • Rio Carambeí
  • Rio Guaçu

Transporte público[editar | editar código-fonte]

A Mirage Transportes[17] é a empresa que opera as linhas de ônibus no município. Todas as rotas municipais saem no terminal urbano localizado aos fundos da Estação Rodoviária, e atendem toda a zona urbana e os bairros rurais, além de Mailasqui, São João Novo e Canguera.

A cidade também conta com vários pontos de táxis localizados na área central e na Estação Rodoviária.

Já o transporte intermunicipal é operado por quatro empresas: Viação São Roque (para Mairinque, Alumínio, Ibiúna e Araçariguama[18], pela EMTU), Rápido Luxo Campinas Ltda. (para Mairinque, Alumínio e Sorocaba, também pela EMTU), Viação Piracicabana (para Itapevi, Pirapora do Bom Jesus, Vargem Grande Paulista, Cotia e Araçariguama, todas incluindo a última pela ARTESP, que não foi repassado para a EMTU, pois se trata de uma linha parcial da linha original para Pirapora do Bom Jesus). Todas as linhas operam em um terminal suburbano localizado ao lado da Estação Rodoviária. A Viação Cometa opera linhas rodoviárias (para São Paulo, Sorocaba, Itapetininga, Santos, São Vicente, Praia Grande e Mongaguá).

Assim, por meio de transporte coletivo, somente é possível chegar à cidade por meio de ônibus, o qual é operado por duas linhas, via Castelo Branco passando por Araçariguama e Via Raposo Tavares passando por Cotia e Vargem Grande Paulista, operada pela Viação Cometa. O trajeto da rodoviária de São Roque até a rodoviária da Barra Funda é percorrido de uma hora e vinte minutos pela Rodovia Castelo Branco a duas horas pela Rodovia Raposo Tavares, dependendo da fluência do trânsito nas Marginais do Tietê e Pinheiros.

O município é ligado à capital do estado por meio de duas rodovias, a Raposo Tavares SP-270 e a Castelo Branco SP-280. A primeira também liga São Roque a Sorocaba, o centro econômico regional mais importante da região. Existe uma ferrovia ligando São Roque a São Paulo e a Sorocaba: trata-se da antiga "linha sorocabana". A ferrovia, contudo, hoje em dia, esta desativada, já que o transporte de passageiros foi extinto no ano de 1999, após a privatização da companhia proprietária da linha férrea, a companhia estadual FEPASA.[19]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade foi atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB) até 1973[20], quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[21], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[22] para suas operações de telefonia fixa.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Festa do Vinho, anos 1970. Arquivo Nacional.

São Roque abriga a "Casa e a Capela do Sítio Santo Antonio", um bem cultural de relevância nacional, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional IPHAN no ano de 1941. A casa-grande foi edificada no século XVII, no ano de 1681, pelo bandeirante Fernão Paes de Barros. Trata-se de conjunto arquitetônico de natureza singular, formado por uma casa-grande e uma capela feitas em taipas de pilão, sendo a mais antiga da região. Um dos primeiros a reconhecer seu valor arquitetônico e histórico foi o escritor modernista Mário de Andrade- cuja família doou o imóvel ao Patrimônio Histórico Nacional após sua morte, conforme desejo do escritor.[23]

Digna de ser visitada é a reserva ecológica conhecida localmente como "Mata da Câmara", um parque municipal no qual se pode admirar a vegetação natural da Mata Atlântica, com suas típicas orquídeas, bromélias, etc. A área faz parte do chamado "cinturão verde da Mata Atlântica", reconhecido como patrimônio natural da humanidade pela UNESCO.[24].

Além disso, São Roque é conhecida como a Terra do Vinho. A cidade possui em seu território diversas vinícolas, que produzem os mais variados tipos de vinho. [25]. Anualmente, no mês de outubro, a cidade promove a "Expo São Roque", exposição que reúne produtores de vinhos, uvas e alcachofras, com o objetivo de vender os seus produtos diretamente para o consumidor final. [26].

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «O recorte das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias de 2017» (PDF). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. p. 20–34. Consultado em 10 de agosto de 2017. 
  2. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 26 de janeiro de 2011. 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (30 de agosto de 2017). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2017» (PDF). Consultado em 26 de fevereiro de 2018. 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  7. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  8. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  9. a b Confederação Nacional dos Municípios Brasileiros: http://www.cnm.org.br/municipio/historia.asp?iIdMun=100135568. Última visita em 08.08.2008.
  10. Ministério da Justiça, Cadastro de Cartórios do Brasil: http://www.mj.gov.br/CartorioInterConsulta/consulta.do
  11. Kliass, Rosa: Meu São Roque (já citado); São Roque, do Vinho Ao Turismo, Camara Municipal dos Vereadores de São Roque:http://www.camarasaoroque.sp.gov.br/srturismo.asp. Última visita em 08.08.2008.
  12. Relatorio com que s. exc. o sr. senador barão de Itauna passou a administração da provincia ao exm. sr. commendador Antônio Joaquim da Rosa, 3.o vice-presidente. São Paulo, Typ. Americana, 1869.:http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/1009/000002.html. Última visita em 08.08.2008.
  13. Prefeitura Municipal de São Roque: http://www.saoroque.sp.gov.br/saoroque/homesite/site.asp?pag=288&nivel=2
  14. Jornal "O Democrata": http://www.odemocrata.com.br/250708/. Última visita em 08.08.08.
  15. Jornal "O Democrata", 26.11.2007: http://www.odemocrata.com.br/261007/omatilde.asp. Última visita em 08.08.2008.
  16. Rosa, Rosalba Adriane da (2011). «INFLUÊNCIA DAS FEIÇÕES GEOMORFOLÓGICAS: ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE-SP» (PDF). TCC Universidade Estadual de Londrina. Consultado em 16 de março de 2017. 
  17. http://www.odemocrata.com.br/nova-empresa-de-onibus-assume-nesta-terca-feira/. Última visita em 25.06.2018
  18. http://www.emtu.sp.gov.br/emtu/imprensa/imprensa/linhas-metropolitanas-da-emtu-atenderao-a-usuarios-de-aracariguama.fss. Última visita em 08.04.2018
  19. GIESBRECHT, Ralph Menucci, Estações ferroviárias do Brasil: http://www.estacoesferroviarias.com.br/s/sroque.htm. Última visita em 07.08.2008
  20. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  21. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  22. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  23. Arquivo Noronha Santos do IPHAN:http://www2.iphan.gov.br/ans/inicial.htm. Última visita em 07.08.2008.
  24. Cf.: http://www.unesco.org/mabdb/br/brdir/directory/biores.asp?mode=all&code=BRA+01. Última visita em 07.08.2008.
  25. Cf.: http://www.roteirodovinho.com.br/guia?categoria=vinicolas-adegas
  26. Cf.: http://www.exposaoroque.com.br

Ligações externas[editar | editar código-fonte]