Araçariguama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Araçariguama
  Município do Brasil  
Igreja Matriz de Araçariguama
Igreja Matriz de Araçariguama
Símbolos
Bandeira de Araçariguama
Bandeira
Hino
Lema Cidade de Oportunidades
Gentílico araçariguamense
Localização
Localização de Araçariguama em São Paulo
Localização de Araçariguama em São Paulo
Araçariguama está localizado em: Brasil
Araçariguama
Localização de Araçariguama no Brasil
Mapa de Araçariguama
Coordenadas 23° 26' 20" S 47° 03' 39" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região metropolitana Sorocaba
Municípios limítrofes Cabreúva, Itu, Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba e São Roque
Distância até a capital 44 km[1]
História
Fundação 6 de dezembro de 1653 (368 anos)
Administração
Prefeito(a) Rodrigo de Andrade (Republicanos, 2021 – 2024)
Vereadores 11
Características geográficas
Área total [2] 146,331 km²
População total (estimativa IBGE/2019[3]) 32 964 hab.
Densidade 225,3 hab./km²
Clima Subtropical (Cfa)
Altitude 695 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 18147000
Indicadores
IDH (PNUD/2000[4]) 0,77 alto
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 1 467 906,650 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 112 681,86
Sítio http://www.aracariguama.sp.gov.br (Prefeitura)
http://www.camaraaracariguama.sp.gov.br (Câmara)

Araçariguama é um município do estado de São Paulo, no Brasil, situado na Região Metropolitana de Sorocaba, na Mesorregião Macro Metropolitana Paulista e na Microrregião de Sorocaba. É conhecido como "O Portal do Interior".[6]

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Araçariguama" é um termo tupi que significa "lugar em que os araçaris bebem água", através da junção dos termos arasari (araçari), 'y (água), 'u (beber) e aba (lugar).[7]

História[editar | editar código-fonte]

História colonial[editar | editar código-fonte]

A história da cidade remonta a 1590, quando o Capitão-Mor de São Paulo de Piratininga, o mameluco Affonso Sardinha, registrou a presença de ouro de lavagem próximo ao Morro do Vuturuna.[6]Em 04 de Dezembro de 1605, Affonso Sardinha promoveu a construção de uma capela homenageando Santa Bárbara perto do Morro do Cantagalo, onde se descobriu mais ouro.[6]

A Capela de Nossa Senhora da Penha foi construída em 1648. Nessa mesma localização, Gonçalo Bicudo Chassin deu início ao que se tornaria o povoado de Araçariguama. A capela originalmente foi construída em taipa de pilão.[6] Em 1653 a capela foi elevada à paróquia e hoje é a igreja matriz do município.[6]

Século XIX

Em 12 de fevereiro de 1844 Araçariguama deixou de pertencer a Santana de Parnaíba e foi incorporada à Vila de São Roque como uma freguesia.[6] Em 16 de abril de 1874 se tornou oficialmente um município independente.[6]

Século XX

Em 1926 começou a exploração de ouro na Mina do Ouro de Araçariguama pela empresa a empresa “Saint George Gold Mine”, produzindo 45 kg de minério por mês. [6] Em 1934 a mina foi lacrada por decreto de Getúlio Vargas por desvio de minérios e Araçariguama foi reincorporada a de São Roque como Distrito de Paz.[6]

Em 1962 durante o governo estadual de Ademar de Barros, foi construída a Rodovia Castelo Branco, considerada na década a maior rodovia da América Latina, rodovia que atende também ao Distrito de Araçariguama.[6]

Emancipação e história recente

Em 1991, sob a liderança de Severino Alves Filho ("Paraíba"), o movimento de emancipação garantiu autonomia política à Araçariguama após plebiscito realizado em 19 de maio de 1991, data essa que ficou lembrada como " O DIA DO SIM! " pois foi a resposta dada pela grande maioria da população que nas urnas do plebiscito mudaram a história da pequena vila, acolhendo a mesma data como o aniversário de emancipação. A condição de município foi instaurada pela Lei Estadual de nº 7.644/91 assinada pelo governador de São Paulo Luiz Antonio Fleury Filho. [8] A lei rege que o município diz que o mesmo "começa no espigão entre os Rios Tietê e São João ou Barueri, na cabeceira mais setentrional do córrego do Sabiá; vai, daí, em reta, ao alto do morro Itapoçu e, por nova reta de rumo Oeste, vai até o ribeirão do Colégio, pelo qual desce até a foz do ribeirão Santo Antônio; sobe por este até a foz do córrego Ibaté; segue pelo contraforte da margem esquerda do córrego Ibaté até o divisor entre as águas dos ribeirões Putribu de Baixo e do Colégio; segue por este divisor em demanda da cabeceira sudoriental do córrego da Grama; desce por este até sua foz no ribeirão Putribu de Baixo, pelo qual desce até sua foz no ribeirão Putribu de Cima, onde tiveram início estas divisas."[8]

Em 1º de janeiro de 1993, o líder emancipador Severino Alves Filho, assumiu como prefeito, sendo seguido em 1997 por Moysés de Andrade, figura conservadora que havia lutado contra a emancipação.[6]

Em 2001, a prefeitura foi assumida por Carlos Aymar, reeleito em 2004. Carlos Aymar se afastou do governo em 31 de março de 2008, sendo seguido pelo então vice-prefeito Raul Ribas, que administrou até 31 de dezembro de 2008. De 2009 a 2016 o prefeito foi Roque Normélio Hoffmann. Em 2016, Liliana Medeiros de Almeida Aymar foi eleita prefeita, a primeira mulher a exercer o cargo desde a emancipação do município. Nas eleições de 2020, Rodrigo de Andrade foi eleito prefeito para o quadriênio 2021 a 2024. [6]

De acordo com o site oficial do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Araçariguama tem 145,204 km² de extensão territorial. A cidade faz divisa com os municípios de Cabreúva, Itu, Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba e São Roque. A população estimada da cidade em 2020 é de 22.860 pessoas. Já o número de eleitores aptos a votar é de 16.978 pessoas de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Araçariguama é conhecida como "O Portal do Interior."

Igreja Nossa Senhora da Penha[editar | editar código-fonte]

Igreja matriz de Araçariguama

Edificada em 1648, a Capela Nossa Senhora da Penha foi o local onde Gonçalo Bicudo Chassin deu início ao vilarejo que, mais tarde, se tornaria o povoado de Araçariguama. Construída em taipa de pilão, a Igreja de Nossa Senhora da Penha, que, em 1653, foi elevada à condição de paróquia e que, hoje, é a matriz do município, foi uma das mais importantes do território, então pertencente à Vila de Parnaíba.

A igreja localiza-se na área central do município e nas proximidades do Morro do Voturuna, onde, outrora, se encontravam os principais veios auríferos de São Paulo, tendo sido explorado por Affonso Sardinha já em 1578

Depois de várias reformas em suas bases, principalmente as registradas em 1772 e 1833 e a última entre 1965 e 1967, a Igreja de Nossa Senhora da Penha foi vitimada por algumas transformações em sua estrutura arquitetônica, resguardando, porém, as características básicas do período de sua construção.

No contexto da expansão territorial de São Paulo, guarda, em sua existência, um dos principais referenciais históricos de toda a região.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 23º26'19" sul e a uma longitude 47º03'41" oeste, estando a uma altitude de 695 metros. Possui uma área de 146,3 km² e sua população, conforme estimativas do IBGE de 2018, era de 21 854[3] habitantes.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010

População total: 17 080

  • Homens: 8 697
  • Mulheres: 8 383

Densidade demográfica (hab./km²): 117,62

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 20,26

Expectativa de vida (anos): 75,5

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,81g

Taxa de alfabetização: 83,69%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,704

  • IDH-M Renda: 0,717
  • IDH-M Longevidade: 0,814
  • IDH-M Educação: 0,597

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Represa de Pirapora, Rio Tiête, Ribeirão do Colégio, Córrego dos Macacos, Ribeirão Icavetá

Rodovias[editar | editar código-fonte]

  • Presidente Castello Branco - SP-280
  • Rodovia Gregório Spina
  • Rodovia Lívio Tagliassachi (Araçariguama-São Roque)
  • Estrada Itapevi-Araçariguama
  • Estrada de Acesso a São Roque (54 km)

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade era atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP),[9] que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica,[10] sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[11] para suas operações de telefonia fixa.

Administração[editar | editar código-fonte]

Pontos de interesse[editar | editar código-fonte]

Museu da mina de ouro de Araçariguama

A Fazenda São Joaquim, que cria os cavalos responsáveis pela produção de soro antiofídico pelo Instituto Butantan fica em Araçariguama. [12] Lá há também um processo de reflorestamento, uma parceria que inclui compensação ambiental da concessionária CCR Via Oeste.[13]

No município encontra-se também a Pedreira Votorantim, uma pedreira do grupo Votorantim, com um mirante, e a cachoeira do Mombaça, uma cachoeira banhável. [14]

Outro ponto de interesse é o Box 54, uma garagem para diversos tipos de carro e um museu privado de carros clássicos de acesso aberto mediante compra de ingresso. [15]

A mina de ouro de Araçariguama, que já foi a maior de São Paulo, foi convertida em um museu histórico para visitação. [16]

Brasão e bandeira de Araçariguama[editar | editar código-fonte]

O brasão e a bandeira do município incluem um escudo mostrando uma estrelas (símbolo de "esperança de sucesso"[17]), a Mina do Cantagalo, uma engrenagem, o Morro do Voturuna, uma faixa prateada representando o Rio Tietê, e um araçari (ave). Fora do escudo encontram-se representados as culturas de milho e algodão, um bandeirante, um religioso e uma coroa mural.[17]

Referências

  1. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 24 de janeiro de 2011 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. a b «Estimativa populacional 2018 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 26 de novembro de 2018 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. a b c d e f g h i j k l «Legislaturas». www.camaraaracariguama.sp.gov.br. Consultado em 13 de junho de 2022 
  7. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 543.
  8. a b «Lei nº 7.664, de 30 de dezembro de 1991». www.al.sp.gov.br. Consultado em 15 de junho de 2022 
  9. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  10. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  11. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  12. «Soros e Vacinas». butantan.gov.br. Consultado em 15 de junho de 2022 
  13. «SP vai reflorestar 27 hectares da mata atlântica - Secretaria da Saúde - Governo do Estado de São Paulo». www.saude.sp.gov.br. Consultado em 15 de junho de 2022 
  14. «Araçariguama: principais lugares, fotos e dicas de roteiro». Viajali. 8 de março de 2022. Consultado em 16 de junho de 2022 
  15. «Além de garagem, o Box 54 é um passeio para os apaixonados por carros a 40 km da cidade de São Paulo». autoesporte. Consultado em 16 de junho de 2022 
  16. «Considerada um importante ponto turístico, mina de ouro de Araçariguama está abandonada». G1. Consultado em 25 de junho de 2022 
  17. a b «Lei ordinária nº 458 - Legislação Digital». legislacaodigital.com.br. Consultado em 22 de julho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]