Tapiraí (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Tapiraí
"Exuberante por Natureza"
Bandeira de Tapiraí
Brasão de Tapiraí
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 19 de fevereiro de 1959
Gentílico tapiraiense
Prefeito(a) Araldo Todesco (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Tapiraí
Localização de Tapiraí em São Paulo
Tapiraí está localizado em: Brasil
Tapiraí
Localização de Tapiraí no Brasil
23° 57' 49" S 47° 30' 26" O23° 57' 49" S 47° 30' 26" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Macro Metropolitana Paulista São Paulo/2014<http://saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=236960
Microrregião Piedade IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Sorocaba
Municípios limítrofes Piedade, Pilar do Sul, São Miguel Arcanjo, Juquiá, Sete Barras, Ibiúna e Miracatu
Distância até a capital 135 km
Características geográficas
Área 755,100 km² [2]
População 8 012 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 10,61 hab./km²
Altitude 920 m
Clima Subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,681 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 67 870,016 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 8 428,96 IBGE/2008[5]
Página oficial

Tapiraí é um município do estado de São Paulo, no Brasil, localiza-se na Região Metropolitana de Sorocaba, na Mesorregião Macro Metropolitana Paulista e na Microrregião de Piedade. Localiza-se a uma latitude 23º57'49" Sul e a uma longitude 47º30'26" Oeste, estando a uma altitude de 920 metros. Tinha 10 666 habitantes em 2006, e 7 991 em 2009. Em 2010, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística estimou sua população em 8 012 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1930, a família Rosa, pretendendo vender suas terras nos sertões do Paranapiacaba, contratou o engenheiro Celso David do Valle que, acompanhado de Celestino Américo, percorreu a região. Em local por eles considerado ideal para sede de futura povoação, colocaram um marco e denominaram Paranapiacaba, por ficar em um tabuleiro entre os contrafortes da cordilheira marítima. No mesmo ano, foi construído o primeiro rancho, no então Patrimônio de Paranapiacaba, onde hoje está a Igreja Matriz.

Celso David do Valle, José Kenitz Moreira Lima, Royal Maravalhas e Valdomiro do Valle, formaram em 1932, sociedade, e fundaram a Colônia Juquiazinho, Moreira & Cia Ltda, com a finalidade de locar a estrada Piedade à Juquiá, e construir o trecho Piedade - Patrimônio do Paranapiacaba.

Em 1934 iniciou-se a colonização com a formação da Cia. Agrária Paulista, sendo abertas as estradas vicinais do Rio Verde, Juquiazinho, Travessão e Nagasaki. Dois anos depois as famílias japonesas Kubota, Matsumura, Sato e outras iniciaram a produção de carvão vegetal até hoje importante atividade econômica do município.

Em 1938, foi inaugurada a capela e distrito que recebeu o nome de Santa Catarina, pertencente ao município de Piedade. No ano de 1944, por imposição de Lei Federal que proibia o nome de Estado para municípios, o nome de Santa Catarina não poderia permanecer, então o nome foi mudado para Tapiraí.

No dia 28 de Dezembro de 1958, realizou-se o plebiscito pró-emancipação com a presença de 94 dos 103 eleitores inscritos, tendo sido aprovado o mesmo por 93 a 1.

As divisas foram firmadas, desmembrando Tapiraí de Piedade, Juquiá e São Miguel Arcanjo.

A data de fundação do município é 19 de fevereiro de 1959 (56 anos).

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Tapiraí" é um termo com origem na língua tupi: significa "rio das andorinhas", através da junção dos termos taperá (andorinha) e 'y (rio)[6] . Vale observar que o brasão do município, que mostra uma anta ao lado de um rio, está etimologicamente incorreto. Embora a anta seja o animal símbolo do município, o termo correto para "rio das antas" não seria "tapiraí", mas "tapiri", pois tapi'ira (anta) não tem sílaba final forte. Isto ocasiona o desaparecimento da vogal final átona "a", quando de sua fusão com o termo 'y (rio)[7] .

Clima[editar | editar código-fonte]

Seu clima é subtropical, temperado, apresentando temperatura média de 13ºC no inverno e 22ºC no verão. Registra índices pluviométricos anual entre 1.300 a 1.500 mm.

Durante o verão, os dias são bastante quentes e as noites amenas. Já no inverno, o frio é rigoroso, sendo comum em alguns dias a temperatura mínima chegar próxima a 0ºC, ocorrendo a formação de geadas - Tapiraí registrou a temperatura mínima de 3 graus negativos em 2000 e 1,3 grau negativo em 2011[8] . Curiosa também é a neblina densa que envolve a cidade várias vezes ao dia, no outono e no inverno, recobrindo as paisagens.

Segundo dados do Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas (CIIAGRO), os fatores climáticos como a vegetação e a altitude, faz de Tapiraí o 3º município com a menor temperatura média anual do Estado de São Paulo (17,2ºC), atrás apenas de Campos do Jordão (14ºC) e Apiaí (17ºC).

Geografia[editar | editar código-fonte]

Tapiraí está situado na Região Metropolitana de Sorocaba. No entanto, por possuir grande parte do território banhado por rios da bacia do Ribeira de Iguape, Tapiraí também pertence à Região do Vale do Ribeira. Estando a 65 km da cidade de Sorocaba e a 92 km de Registro. O município ocupa uma área 755,100 km².

Centro de Tapiraí

Localizado nos contrafortes da Serra do Mar, seu relevo é montanhoso com declives e vales em "V", terrenos de boa drenagem, com vegetação natural (floresta tropical úmida de encosta, e floresta subtropical de altitude). A altitude da sede é de 920 metros, mas em alguns pontos do município, a altitude pode passar dos 1000 metros. São nessas partes mais altas onde se localizam os mirantes, que proporcionam uma bela vista panorâmica da mata atlântica local e da serra do mar.

A característica mais importante de Tapiraí é sua enorme área de Mata Atlântica, tendo 80% do território tombado como Área de Proteção Ambiental - APA e declarada Reserva da Biosfera em 1992.

Vizinha à Reserva da Juréia e ao Parque Estadual Carlos Botelho (Sete Barras, São Miguel Arcanjo, Tapiraí e Capão Bonito), a mata tapiraiense preserva muitos animais raros, inclusive pássaros que já atraíram muitos observadores ao município.

Economia[editar | editar código-fonte]

Tapiraí conta com diversos bairros e um distrito, que apresentam importantes atividades econômicas. Estando a 8 Km da cidade, o Distrito do Turvo é muito importante para economia do município, pois as atividades agrícolas predominam e se concentram nas suas proximidades, ajudando na renda local. Enquanto na sede e nos bairros, os comércios, as indústrias (confecções, reciclagem, química, mineração de caulim e serrarias) e o turismo, são as principais atividades econômicas.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Cortada pela rodovia SP-79, que liga o interior do Estado de São Paulo ao litoral sul do estado, ao Vale do Ribeira e à Região Sul do País, Tapiraí é passagem para muitos turistas, que com frequência, atraídos por suas muitas cachoeiras ou pelos rios e riachos, param nas pousadas existentes.

Cachoeira do Chá

O principal atrativo do município é a Cachoeira do Chá, localizada no Bairro do Chá a 15 Km do centro. A cachoeira conta com uma trilha de 1 km beirando as margens do Rio Corujas, durante a trilha os visitantes passam por uma belíssima piscina natural até chegar a queda principal com 30 metros de altura[9] .

O município tem interesse em desenvolver o ecoturismo e também o agroturismo e já tem selos turísticos oferecidos pelo ministério do turismo e pela Secretaria de Estado de Esportes e Turismo (SET).

Festa do Gengibre[editar | editar código-fonte]

A Festa do gengibre, é uma festa regional de tapiraí, com ênfase na produção agroindustrial regional que acontece todos os anos na cidade. A comemoração ocorre no mês de julho. Essa festa é organizada pelo Departamento de Turismo, Esporte e Lazer, da Prefeitura de Tapiraí, e pelo Conselho Municipal de Turismo (Contur). O evento oferece atrações gratuitas, desde rodeio e cavalgada, concurso de rainha do gengibre, exposições e shows gratuitos na Praça de Eventos Matheus Ricciardi, na avenida Professor Natan Chaves. As apresentações musicais ficam por conta dos cantores de nível nacional e regional, além da banda marcial municipal e apresentação de Taiko, uma tradição da colônia japonesa que tem forte presença em Tapiraí.

O gengibre é o produto agrícola mais importante de Tapiraí, cuja qualidade incomparável abastece o mercado nacional. Nessa região também são produzidas outras raízes como inhame e mandioquinha. Na festa do gengibre são expostos diversos tipos de produtos agrícolas, e a população juntamente com os turistas, se divertem em shows de excelência, com grande diversidade de barracas de alimentação e bebidas. A raiz predomina nas receitas, e vale a pena provar o frango com gengibre acompanhado de farofa de banana, e também o quentão, bolo, tapioca e outros alimentos à base de gengibre. No evento é possível comprar e provar delícias da roça, que são produzidas pelos próprios produtores locais.

Tapiraí já foi grande produtora de chá, até exportando o produto, mas, com a desativação da fábrica, o gengibre foi o produto que mais se adaptou ao clima da cidade.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGE_DTB_2008
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. p. 42.
  7. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. 463 p.
  8. TV TEM. Frio de 1,3 grau negativo em Tapiraí-SP: http://tapirai.wikia.com/wiki/File:Inverno_em_Tapira%C3%AD_-_A_manh%C3%A3_ap%C3%B3s_a_madrugada_mais_fria_do_ano
  9. Prefeitura de Tapiraí - Roteiros Turísticos: http://www.tapirai.sp.gov.br/index2.php?pag=T1RjPU9EZz1PVFU9T0dVPU9HST1PVEE9T0dFPU9HRT0=&idmenu=30

Ligações externas[editar | editar código-fonte]