Mairinque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Mairinque
Estação de Mairinque (1910)

Estação de Mairinque (1910)
Bandeira de Mairinque
Brasão de Mairinque
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 27 de outubro
Fundação 27 de outubro de 1890 (127 anos)
Gentílico mairinquense
CEP 18120-000
Prefeito(a) Ovídio Alexandre Azzini (Alexandre Peixinho) (PP)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Mairinque
Localização de Mairinque em São Paulo
Mairinque está localizado em: Brasil
Mairinque
Localização de Mairinque no Brasil
23° 32' 45" S 47° 10' 58" O23° 32' 45" S 47° 10' 58" O
Unidade federativa São Paulo
Região
intermediária

Sorocaba IBGE/2017 [1]

Região
imediata

Sorocaba IBGE/2017

Região metropolitana Sorocaba
Municípios limítrofes São Roque, Sorocaba, Alumínio, Ibiúna e Itu
Distância até a capital 65 km
Características geográficas
Área 209,757 km² [2]
População 43 225 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 206,07 hab./km²
Altitude 850 m
Clima sub-tropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,801 muito elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 589 118,588 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 13 590,13 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.mairinque.sp.gov.br/

Mairinque é um município brasileiro do estado de São Paulo situado na Região Metropolitana de Sorocaba, na Mesorregião Macro Metropolitana Paulista e na Microrregião de Sorocaba. Localiza-se a uma latitude 23º32'45" sul e a uma longitude 47º11'00" oeste, estando a uma altitude de 850 metros. Sua população estimada em 2004 era de 45 376 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

A região onde atualmente se localiza Mairinque, foi inicialmente chamada de Entroncamento, pois nos estudos dos engenheiros da Estrada de Ferro Sorocabana, projetava se ali a construção de uma estação e um grande entroncamento ferroviário da linha que viria de Itu com a linha tronco da Sorocabana, além de onde partiria a futura linha Mairinque-Santos. Na época, a área pertencia ao município de São Roque.

A companhia iniciou as obras de construção das linhas, reservou áreas para as futuras oficinas e loteou parte dos terrenos nas imediações da estação para a criação de uma vila. Em 27 de outubro de 1890 a vila foi fundada as margens da Estrada de Ferro Sorocabana.

Em 1897, juntamente com a inauguração da linha para Itu, a estação recebeu o nome de Mayrink, em homenagem ao sr. Francisco de Paula Mayrink, presidente da Sorocabana a partir de 1882. A vila assumiu o nome da estação e passou a se chamar Vila Mayrink, que viria a se tornar o município de "Mairinque".

A vila cresceu e em 1902, as oficinas da ferrovia que eram em Sorocaba, foram transferidas para Mairinque, o que fez sua importância aumentar muito mais para a região.

Famosa pelo seu estilo, a estação ferroviária foi idealizada pelo arquiteto francês Victor Dubugras, sendo a primeira arquitetura de concreto armado do Brasil, inaugurado em 1906 depois de dois anos de construção. Atualmente, nela funciona o museu da Estrada de Ferro Sorocabana.

Em 24 de setembro de 1908, pela Lei Estadual nº 1131, foi criado o Distrito de Paz de Mairinque, no Município e Comarca de São Roque.

Em 1930, a oficina da Estrada de Ferro Sorocabana foi transferida para Sorocaba. Com essa mudança, a Vila iniciou uma queda no desenvolvimento, chegando quase a desaparecer.

Em 1929, começaram as obras da linha Mairinque-Santos da Estrada de Ferro Sorocabana, projetada desde 1889 para quebrar o monopólio da SPR, em ligar o interior paulista ao Porto de Santos. Com duas frentes de trabalho, uma vindo de Santos e outra de Mairinque, o ramal foi concluído em 1937.

Em 1940, a Estrada de Ferro Sorocabana passou a instalar e ampliar suas repartições em Mairinque, tais como: depósito de locomotivas com oficina de manutenção, almoxarifado, Sede do Serviço Florestal, Sede dos serviços de eletrificação, armazém de abastecimento e principalmente Sede dos ferroviários.

A conclusão da linha Mairinque-Santos e as instalações da Sorocabana forjaram definitivamente a vocação de Mairinque até os dias atuais, tornando um dos principais entroncamentos ferroviários do Brasil.

Na década de 1950, a implantação da Companhia Brasileira de Alumínio cooperou muito para o reerguimento do então Distrito de Mairinque, através da implantação da indústria de alumínio na região da Vila do Rodovalho, que se desenvolveu e passou a ser o Distrito de Alumínio.

Em 1953, foi tentada pela primeira vez a emancipação política do Distrito, fracassando porque ainda não havia condições para a instalação. Em 1958, foi criado o Município de Mairinque (através da Lei nº 5285, de 18 de fevereiro de 1959), abrangendo o distrito sede e o Distrito de Alumínio. O primeiro prefeito do município foi o sr. Arganauto Ortolani.

Em 30 de dezembro de 1991, o distrito de Alumínio foi elevado à categoria de município, desmembrado de Mairinque pela lei estadual nº 7644.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Mairinque está situado no interior do estado de São Paulo, a 70 quilômetros da capital, sendo a ela ligada pela Rodovia Raposo Tavares e também servida pela Rodovia Castelo Branco.

A sede do município localiza-se nas coordenadas 23º32'45"S 47º11'00"O, aos 900 metros de altitude. No caminho para Ibiúna, via bairro da Sebandilha, a estrada chega aos 940 metros de altitude. Todavia, uma das maiores altitudes do município é encontrada no topo da serra que dá acesso ao bairro Moreiras, estrada Gov. Mário Covas, junto à plantação de eucaliptos da CBA. No topo da referida serra, junto às antenas de telefonia celular, encontramos a altitude de 993 metros, numa área onde os topos dos morros ficam todos acima de 950 metros. Em dias mais úmidos e frios, é fácil encontrar esta área alta tomada por nevoeiro.

Quase toda a área do município insere-se na zona geográfica temperada, isto é, abaixo do Trópico de Capricórnio. A exceção é a porção norte do município, próxima da Rodovia Castelo Branco, que é atravessada pelo referido trópico. Ficam localizados acima do Trópico de Capricórnio os bairros: Varejão, Olhos d'água, Dona Catarina, Mato Dentro e Porta do Sol. Os demais bairros situam-se em área geográfica temperada.

Mairinque possui uma extensão territorial de 209,757 km².

Nevoeiro lago Sebandilha

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2016

População total: 48.852

  • Urbana: 34.340
  • Rural: 5.635
  • Homens: 21.538
  • Mulheres: 21.685

Densidade demográfica (hab./km²): 190,63

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 13,70

Expectativa de vida (anos): 72,42

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,30

Taxa de alfabetização: 92,79%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,801

  • IDH-M Renda: 0,719
  • IDH-M Longevidade: 0,790
  • IDH-M Educação: 0,894

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

O município conta com serviços de transporte rodoviário das seguintes empresas de ônibus: Viação Cometa, Viação São Roque, Rápido Luxo Campinas e Jundiá.

Variante Boa Vista-Guaianã km 169, em Mairinque

Mairinque nasceu as margens da Estrada de Ferro Sorocabana, no principal entroncamento da companhia. No município se inicia a linha Mairinque-Santos, principal corredor ferroviário de exportação do Porto de Santos, que recebe cargas do interior paulista, Minas Gerais e Mato Grosso pela Variante Boa Vista-Guaianã e de Mato Grosso do Sul e norte do Paraná pela EFS.

Antigo túnel desativado da EFS.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Mairinque é beneficiada por duas das principais rodovias do estado:

Economia[editar | editar código-fonte]

Desde a instalação do parque industrial, a cidade e todo o município experimentaram um progresso, e se irradiou velozmente por todos os setores de suas atividades pública, privada e social.

Com a expansão de seu parque industrial, mudou-se a fisionomia da cidade e muito de sua antiga rotina, ocasionando um rápido crescimento urbano, a vinda de novos estabelecimentos bancários e o desenvolvimento do comércio. Principais indústrias do município: Cargill, Otma Cosméticos, PhytoNatus Nutracêutica, Cuno Latina 3M, Agrostahl, Fiorella, Soldatopo, Tortuga, Lancer, Eternox, Fersol, Imagraf, Ferplast, Neumatic, Etrúria e a firma de prestação de serviços CEFRI - Centrais de Estocagem Frigorificada, dentre outras empresas menores, porém em expansão.

Bairros de Mairinque[editar | editar código-fonte]

Norte

  • Capuava
  • Moreiras
  • Porta do Sol
  • Olhos D´Agua
  • Varejão
  • Pitangueiras
  • Vale da Esperança
  • San José
  • Dona Catarina
  • Mato Dentro
  • Cristal
  • Trocadeiro

Sul

  • Chácara Manão
  • Reneville
  • Três Lagoinhas
  • Terras de São José
  • Jardim Vitória
  • Jardim Oriental
  • Setúbal
  • Sebandilha
  • Pouso Alegre
  • Arco Iris
  • Núcleo Santa Amélia

Leste

  • Marmeleiro
  • Recanto dos Eucaliptos
  • Vila Barreto
  • Vila Granada
  • Monjolinho

Oeste

  • Residencial Park
  • Cruzeiro gleba B
  • CECAP
  • Jardim Flora
  • Jardim Chácara Flora
  • Bairro Pantojo
  • Nova Esperança
  • Nova Mairinque]
  • Roda da Carroça

Central

  • Centro
  • Sorocabana
  • Jardim Cruzeiro
  • Horto Florestal

[6]

Administração[editar | editar código-fonte]

Prefeito: Ovídio Alexandre Azzini - Peixinho

Vice-prefeito: Jaqueline Santana

Presidente da Câmara: Kioshi Hirakawa

Vereadores: Abner Segura Fernandes (PMDB) - Abner Segura

Fábio Melo dos Santos (PPS) - Biula

Giovani Huggler (PT) - Professor Giovani

Carmo Tulio Martins Camargo (PRP) Tulio Camargo (mais votado)

Rafael de Oliveira Dias (PT) - Rafael da Hipica

José de Souza Gomes (PRB) - Zé da Vaca

Cleomar Aparecido Valim (PSDB) - Dizão

Paulo Antonio Garcia (PSB) - Paulo Marrom

Bruno Gonçalves Santana (PEN) - Bruno Tam

Kennedy Marques (PR) - Pastor Kennedy

Sobre os ex-vereadores: Em fevereiro de 2011, o ex-vereador Alex dos Santos Silva (PTB) - Prof. Alex - foi afastado do mandato por ter um mandado de prisão em seu nome. O ex-vereador foi absolvido de todas as acusações. Em seu lugar, assumiu o suplente Chicão do Flora (PTB).

Até setembro de 2011, o ex-vereador Jorginho da Esperança pertencia ao PMDB. Segundo o pedido de desfiliação, ele se desligou do partido por "motivos pessoais". Além de Jorginho, outros três vereadores mudaram de partido entre o final de setembro e o começo de outubro de 2011, são eles: Teixeira da Combloco, que era do PSL e foi para o PPL; Ricardo Veterinário, que era do PTB e foi para o PV; e Dr. Sérgio Ribeiro, que também era do PTB e foi para o PC do B. No final de 2012, Maria de Fátima Silva Parra, a Fátima da Lanchonete (PMDB) assumiu a cadeira de vereador deixada por Jorginho, que perdeu na Justiça o cargo por infidelidade partidária.

Em julho de 2011, os vereadores Déia (PT) e Ricardo Veterinário (até então do PTB) tiveram seus mandatos declarados "extintos" pelo presidente da Câmara, Jorginho da Esperança (à época no PMDB). No documento que extingue os cargos, o ex-vereador Jorginho explica o ato baseado no Decreto-Lei 201, de 1967, que é, na verdade, o famigerado Ato Institucional nº 4 (AI-4), da época da ditadura militar. Os dois vereadores entraram com recurso e voltaram à suas cadeiras quatro dias depois do ato do presidente.

Sobre o ex-vice-prefeito: José Edenilson Santana de Lima também mudou de partido. No começo de outubro de 2011, ele foi do DEM para o PTB, partido do ex-prefeito, Dennys Veneri. Em setembro de 2012, Denílson perdeu o cargo de vice-prefeito na Justiça.

Eleições 2012[editar | editar código-fonte]

Rubens Merguizo Filho (PMDB) - Binho Merguizo - foi eleito prefeito. Marly Silva de Moraes (PSD) - Marly do Mercado - é a vice-prefeita eleita.

Dois vereadores foram reeleitos: Déia (PT) e Teixeira da Combloco (PPL). Além deles, foram eleitos ainda: Professor Giovani (PT), Rodrigo da Imobiliária (PMDB), Professora Selma (PSD), Helinho Moretto (PTB), Kioshi Hirakawa (PTB), Robertinho (PRP), Beto do Juarez (PSD), Abner Segura (PMDB), Biula (PPS), Vitório Júnior (PV) e Alexandre Peixinho (PP).

Referências

  1. «O recorte das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias de 2017» (PDF). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. p. 20–34. Consultado em 10 de agosto de 2017. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  6. Prefeitura Municipal de Mairinque,SP

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mairinque