Linha Mairinque-Santos (Sorocabana)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Linha Mairinque-Santos)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Linha Mairinque-Santos (Estrada de Ferro Sorocabana)
Mapa Sao Paulo Mairinque Santos.png
Verde: Em operação
EF EF-050
Área de operação São Paulo
Tempo de operação 1937–Presente
Bitola Bitola mista (1,00m e 1,60m)[1]
Extensão 153 km (95,1 mi)
Interconexão Ferroviária Variante Boa Vista-Guaianã
Linha Tronco (Estrada de Ferro Sorocabana)
Linha Santos-Juquiá (Sorocabana)
Linha Santos-Jundiaí
Portos Atendidos Porto de Santos
Operadora Rumo Logística

A Linha Mairinque-Santos da Estrada de Ferro Sorocabana é uma ferrovia brasileira, em bitola mista e via dupla, que liga a cidade de Santos com a cidade de Mairinque, passando por São Roque (Distrito de Canguera), Cotia (Distrito de Caucaia do Alto), Itapecerica da Serra, Embu Guaçu, São Paulo (estação Evangelista de Souza), Cubatão e São Vicente.

História[editar | editar código-fonte]

O ramal Mairinque-Santos foi projetado pela Estrada de Ferro Sorocabana em 1889, com o objetivo de ligar o interior paulista ao porto de Santos, quebrando o monopólio da São Paulo Railway.

As obras foram iniciadas em 1929, com duas frentes uma vinda de Santos e outra vinda de Mairinque, a partir do entroncamento entre as linhas vindas de Sorocaba e Itu. O trecho entre Santos e Samaritá foi adquirido da Southern San Paulo Railway em 1927, que já a operava desde 1913.

Em 1937, quando a obra foi terminada, a linha possuía 155 km de extensão fazendo o trajeto Mairinque - Evangelista de Souza - Samaritá - Santos. Ela foi construída com raio de curvatura de 246m e declividade máxima de 2%, o que permite velocidade máxima de 64 km/h.[2][3]

Posteriormente o trecho entre Samaritá e Santos foi interditado por passar no meio de Santos e os trens com destino ao porto de Santos passaram a fazer um trajeto mais longo: Mairinque - Evangelista de Souza - Samaritá - Cubatão - Santos.

Em 1957, a estação Evangelista de Souza passou a ser o ponto de entroncamento do ramal de Jurubatuba, aberto nesse ano, para ligar diretamente o centro da cidade de São Paulo à Mairinque-Santos.

Com a Criação da FEPASA em 1971, o ramal passou a fazer parte do Corredor de Exportação Araguari-Santos, onde passou por várias melhorias de traçado e rucuperação de pontes e dos 31 túneis, principalmente para o transporte de soja, milho, açucar e farelos. Houve tráfego de passageiros entre Mairinque e Santos até 1975, e mais tarde entre Embu-Guaçu e Santos, até novembro de 1997.

Em 1997 o ramal foi concedido a iniciativa privada como parte da malha paulista oriunda da antiga FEPASA. Atualmente é administrado pela Rumo Logística, que duplicou totalmente o trecho em 2015, como parte do principal corredor de exportação do agronegócio brasileiro, recebendo cargas do interior paulista, Triângulo Mineiro e Mato Grosso, pela Variante Boa Vista-Guaianã, e de Mato Grosso do Sul e do Paraná, pela EFS, com destino ao porto de Santos.

Traçado da ferrovia[editar | editar código-fonte]

Estação Comprimento desde Mairinque (km) Inauguração
Mairinque 0 1897
Embu Guaçu 64 1934
Evangelista de Souza[4] 90 1935
Paraitinga[5] 130 1930
Samaritá[6] 134 1930
São Vicente 145 1913
Estuário[7] 153 -

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências