Ferronorte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ferronorte
Mapa Ferronorte.png
Verde: Em operação; Vermelho: Em construção
EF EF-364
Área de operação Mato Grosso do Sul e Mato Grosso
Tempo de operação 1989–Presente
Bitola 1,600 m
Extensão 755 km
Operadora Rumo Logística
Sede Cuiabá, Mato Grosso, Brasil

A Ferronorte ou Ferrovia Norte Brasil (EF-364), é uma ferrovia diagonal brasileira com 755 km de extensão, em bitola larga, que passa pelos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, ligando Santa Fé do Sul (SP) à Rondonópolis (MT). Este trecho faz parte de uma concessão federal válida por 90 anos, para a construção de uma malha ferroviária com o propósito de ligar Porto Velho (RO) e Santarém (PA), passando por Cuiabá (MT), e interligando-se a Malha Paulista em Santa Fé do Sul (SP), de onde é possível seguir até o porto de Santos[1]. A Ferronorte, junto com a Malha Paulista, forma o principal corredor de exportação agrícola do Brasil, ligando as regiões produtoras de grãos do Centro Oeste brasileiro, ao porto de Santos. Há estudos, por parte do governo federal, para o prolongamento da ferrovia de Rondonópolis (MT) à Cuiabá (MT)[2].

Inicialmente a concessão foi concedida para a empresa privada Ferronorte S.A., mas atualmente pertence à Rumo Logística[3].

História[editar | editar código-fonte]

A ideia da construção de uma ferrovia interligando o Centro-Oeste ao Sudeste do País foi proposta por Euclides da Cunha em 1901.[4]

Em 1975, Vicente Emílio Vuolo,[5] deputado federal pelo Mato Grosso, apresentou Projeto de Lei para inclusão no Plano Nacional de Viação de ligação entre o estado de São Paulo e Cuiabá. O traçado da nova ferrovia partiria de Rubinéia (SP), passando por Aparecida do Taboado (então MT, hoje MS), Rondonópolis (MT) e atingiria Cuiabá (MT), conforme a Lei 6.346 de 6 de julho de 1976.[6]

Em 19 de maio de 1989, foi assinado o contrato de concessão para a construção e operação da ferrovia por 90 anos, com a empresa Ferronorte S.A., criada pelo empresário Olacyr Francisco de Moraes, que já foi o maior produtor individual de soja do mundo. Nesta mesma data foi inaugurada a Ponte Rodoferroviária sobre o rio Paraná, na divisa entre os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, ponto inicial da ferrovia.

Vista da via ferroviária da ponte a partir de São Paulo

Em 1991, após inúmeros adiamento foram iniciadas as obras do trecho Santa Fé do Sul (SP) - Alto Araguaia (MT). Estas foram concluídas em 1998, quando o trecho passou a entrar em operação.[7]

Foi criada em julho de 1998, a holding FERROPASA, empresa que controlava as ferrovias Ferronorte e Novoeste. Em novembro de 1998 a Ferropasa, fez parte do grupo vendedor do leilão da Malha Paulista (ex-Fepasa), que passou a ser denominada Ferroban . Posteriormente foi criada a holding Brasil Ferrovias, que congregava a operação da Ferrovia Novoeste S.A., Ferronorte S.A. e Ferrovia Bandeirantes S.A..

Em 2006 o controle do Grupo Brasil Ferrovias foi assumido pela América Latina Logística e a Ferronorte passa a ser nomeada como América Latina Logística Malha Norte S.A. após aprovação em 6 de agosto de 2008 pela ANTT (Deliberação 289/08).[8] Ela é responsável por parte do escoamento de parte da soja produzida no oeste do País.

Em abril de 2015, a América Latina Logística foi adquirida pela empresa Rumo Logística e o trecho passou a ser chamado Rumo Malha Norte S.A.[9]

Traçado[editar | editar código-fonte]

Trecho[10] Data de inauguração Comprimento (km) Início das obras Observações e Conexões
Santa Fé do Sul (SP) - Alto Araguaia (MT) 1998 504 1991 Operacional
Alto Araguaia (MT) - Rondonópolis (MT) 2012 260 2010 Operacional
Rondonópolis (MT) - Cuiabá (MT) ? ? Indefinido Em projeto
Cuiabá (MT) - Porto Velho (RO) ? ? Indefinido Em estudo
Cuiabá (MT) - Santarém (PA) ? ? Indefinido Em estudo
Uberlândia (MG) - Alto Araguaia (MT) ? ? Indefinido Em estudo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências