Estrada de Ferro Jari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estrada de Ferro Jari
Jari.JPG
Sigla ou acrônimo EF Jari
Área de operação Pará
Tempo de operação 1979–atual
Bitola 1,600 m
Frota 2 locomotivas
92 vagões
Sede Monte Dourado - Pará, Brasil
Website www.jari.com.br

A Estrada de Ferro Jari é uma ferrovia brasileira, cuja concessão[1] é por decreto da Empresa Jari Celulose S.A.. Localizada ao norte do estado do Pará, bem próximo a divisa com o estado do Amapá, liga o povoado de Monte Dourado ao porto de Mungubá.

É denominada pela ANTT, como uma ferrovia industrial e local,[2] juntamente com Estrada de Ferro Trombetas, devido as suas características.

História[editar | editar código-fonte]

A Estrada de Ferro Jari foi criada para transportar madeira para a fábrica de celulose do Projeto Jari, entrando em operação em 1979.[3]

Seu projeto inicial previa 220 km de vias, que por diversos fatores foram reduzidos para os atuais 68 km.[4]

Atualmente a ferrovia é usada também para o transporte de bauxita refratária.[5]

Informações Gerais[editar | editar código-fonte]

  • Extensão do trecho: 68 km;
  • Bitola: 1,60 m;
  • Tração: diesel
  • Pátios de manobra:
    • Munguba km 0, área industrial e pátio terminal do transporte de madeira;
    • São Miguel, no km 36, pátio de carregamento de vagões;
    • Ponte Maria, no km 22, pátio de carregamento de vagões;
    • Pacanari, no km 45, pátio de carregamento de vagões.

Material rodante[editar | editar código-fonte]

  • 2 locomotivas (EFJ 10 e EFJ 11) modelo EMD SD38-2,[6][7][8] fabricadas pela Electro-Motive Division - General Motors nos Estados Unidos em 1978.
  • 86 vagões plataformas,[9] com capacidade para 68,350 kg de carga, manga E do tipo PCE fornecidos pela Cobrasma.
  • 6 vagões de minério tipo "hopper car" alugados da Estrada de Ferro Amapá, quando uma das empresas do grupo começou a explorar uma jazida de bauxita refratária, são puxados junto da composição de madeira a partir do pátio de São Miguel.

Transporte Realizado[editar | editar código-fonte]

Em 1997 transportou 1,1 milhões de toneladas de mercadorias (bauxita, madeira cultivada e brita, equivalente a 32 milhões de TKU), empregando 34 funcionários.

Referências

  1. Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). «Concessões Ferroviárias - Transporte de Cargas». Consultado em 10 de maio de 2009. Arquivado do original em 23 de dezembro de 2011 
  2. Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) (Setembro de 2007). EVOLUÇÃO RECENTE DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO (PDF). [S.l.: s.n.] Consultado em 10 de maio de 2009. Arquivado do original (PDF) em 7 de abril de 2009 
  3. Jarí S.A. «História». Consultado em 10 de maio de 2009. Arquivado do original em 15 de abril de 2009 
  4. Ministério dos Transportes Atualizado em 24/04/2003. «Estrada de Ferro Jari – EFJ». Consultado em 10 de maio de 2009. Arquivado do original em 13 de março de 2008 
  5. Antonio Augusto Gorni. «Estrada de Ferro Jari». Consultado em 5 de maio de 2009 
  6. Memória do Trem. «Ferrovias diversas: locomotivas diesel-elétricas em bitolas 1000, 1435 e 1600 mm». Consultado em 10 de maio de 2009. Arquivado do original em 29 de janeiro de 2009 
  7. Jairo Martins. «As locos SD38-2 da EF Jari». Consultado em 5 de maio de 2009 
  8. «Jari Railway - The UNofficial EMD Homepage». Consultado em 5 de maio de 2009 
  9. Flavio de Britto Pereira. «A Estrada de Ferro Jari». Consultado em 5 de maio de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]