Maria Clara Spinelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Maria Clara Spinelli
Nome completo Maria Clara Spinelli
Nascimento 20 de maio de 1975 (45 anos)
Assis (São Paulo), SP
Nacionalidade brasileira
Ocupação Atriz
Atividade 2004 – presente[1]
Outros prêmios
Festival Paulínia de Cinema

2009: Melhor Atriz — Quanto Dura o Amor?

Hollywood Brazilian Film Festival

2010: Melhor Atriz — Quanto Dura o Amor?

Monaco Charity Film Festival

2010: Melhor Atriz — Quanto Dura o Amor?[nota 1]

[[mariaclaraspinelli.blogspot.com] Página oficial]

Maria Clara Spinelli (Assis, São Paulo[3][4][5], 20 de maio de 1975) é uma atriz brasileira.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Entre 1996 e 2000, a participou de espetáculos com o grupo de Dança-Teatro do qual fez parte.[6][7][1][8] Maria Clara estreou como atriz em 2003, com o monólogo O Ser Gritante, baseado em textos de Clarice Lispector, ganhando o prêmio de atriz revelação na fase regional do Mapa Cultural Paulista 2003—2004, em Bastos - SP.[1][8]

Maria Clara trabalhava como servidora pública até 2009, quando decidiu dedicar-se exclusivamente à carreira de atriz.[9] Obteve destaque após participar do filme Quanto Dura o Amor?, que lhe rendeu o prêmio de melhor atriz no Festival Paulínia de Cinema, no Hollywood Brazilian Film Festival e no Monaco Charity Film Festival.[7][10] O filme também lhe levou à indicação de melhor atriz no VI Prêmio FIESP/SESI-SP do Cinema Paulista - 2010.[1]

Em 2013, participou da telenovela Salve Jorge, na qual interpretou a personagem Anita, uma jovem humilde e sonhadora, que sofre ao ser obrigada a se prostituir por uma quadrilha de tráfico humano .[11]

Em 2016, foi uma das protagonistas da série Supermax, da TV Globo.

Em 2017, interpretou a personagem Mira, uma secretária golpista e principal parceira da grande vilã Irene (Débora Falabella) em A Força do Querer. Este papel foi um marco na história da Televisão Brasileira, pois foi a primeira vez que uma atriz transexual interpretou uma personagem de mulher cisgênero numa telenovela das 21 horas (produto de maior audiência da TV Brasileira), sendo esta personagem desenvolvida especialmente para Maria Clara.[12]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Maria Clara Spinelli é uma mulher que nasceu transexual.[13] Reservada, prefere não falar sobre a fase anterior à sua transição.[14] Venceu processos por danos morais quando foi alvo de atos julgados como preconceito. Um dos processos ganhos foi por ser proibida de usar um banheiro feminino.[15]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas
2013 Salve Jorge Anita Silveira[11]
2016 Supermax Janette
2017 A Força do Querer Miraceli Almeida (Mira)
2018 Carcereiros Kelly Episódio: "Resgate no Inferno"

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas
2009 Quanto Dura o Amor?[8] Suzana
2016 A Felicidade de Margô Margô

Teatro[editar | editar código-fonte]

Ano Título Ref
2008 Matéria dos Sonhos [8]
2004 O Ser, Gritante [8]

Notas

  1. Quando do lançamento no exterior, o filme recebeu o título de Paulista.[2]

Referências

  1. a b c d Da redação (2009). «Maria Clara Spinelli — perfil». ePipoca.com.br. Consultado em 22 de janeiro de 2014 
  2. Luiz Calado (6 de fevereiro de 2010). «Hollywood Brazilian Film Festival continues today with the L.A. premiere of "Paulista"». Examiner.com. Consultado em 22 de janeiro de 2014 
  3. «Atriz assisense Maria Clara Spinelli fala sobre sua transição de gênero - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 18 de maio de 2020 
  4. «Atriz assisense Maria Clara Spinelli fala sobre caso de transfobia vivido em shopping - Assiscity - Notícias de Assis SP e região hoje». www.assiscity.com. Consultado em 18 de maio de 2020 
  5. «'Já nasci mulher' - PRIMEIRA PESSOA: Maria Clara Spinelli». VEJA.com (em inglês). Consultado em 18 de maio de 2020. Aos 12 anos, comecei a estudar artes cênicas em Assis, cidade paulista onde nasci e cresci. 
  6. Mônica Bergamo (10 de julho de 2009). «Dias claros». Ilustrada — Folha.com.br. Consultado em 22 de janeiro de 2014 
  7. a b Rodrigo Hilário, Marina Amazonas; Daryan Dornelles, Agnaldo Rocha Papa (outubro de 2011). «esta nossa vida de artista» (PDF). Itaú Cultural. Revista Continuum (33): 31-32. ISSN 1981-8084. Consultado em 9 de janeiro de 2014 
  8. a b c d e Coração da Selva (Produtora) (2009). «Quanto Dura o Amor?» (PDF). www.quantoduraoamor.com. br. Consultado em 22 de janeiro de 2014. Arquivado do original (PDF) em 1 de fevereiro de 2014 
  9. «Maria Clara Spinelli, de 'Supermax', fala da dificuldade de conseguir papel: 'Mais difícil para mim'». Extra Online 
  10. Paloma Guedes (24 de março de 2010). «Por que Maria Clara Spinelli é uma atriz diferente das outras?». Virgula, no UOL. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  11. a b Da redação (15 de abril de 2013). «Jornal: atriz transexual de 'Salve Jorge' tem medo de exposição». Portal Terra. Consultado em 22 de janeiro de 2014 
  12. Romero Rafael (25 de abril de 2017). «Maria Clara Spinelli será primeira trans a interpretar personagem cisgênero na Globo: "Sou atriz"». Blog Social 1. Consultado em 3 de novembro de 2017 
  13. Lígia Andrade (4 de dezembro de 2016). «"A vida é uma luta" Maria Clara Spinelli». Contigo. Consultado em 3 de novembro de 2017 
  14. Odara Gallo (24 de setembro de 2017). «Para atriz transexual, A Força do Querer teria evitado seu próprio sofrimento». Notícias da TV. Consultado em 3 de novembro de 2017 
  15. Anna Luiza Santiago (10 de setembro de 2016). «Maria Clara Spinelli fala de 'Supermax'». Blog Patrícia Kogut. Consultado em 3 de novembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]