Supermax

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Supermax
Informação geral
Formato Série
Gênero Ação
Suspense
Terror
Sobrenatural
Ficção científica
[1][2][3]
Duração 45 minutos
Criador(es) José Alvarenga Jr.
Fernando Bonassi
Marçal Aquino
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) José Alvarenga Jr.
Editor(es) Anibal Veiga
Claudio Ferri
Câmera Multicâmera
Roteirista(s) Fernando Bonassi
Marçal Aquino
Carolina Kotscho
Bráulio Mantovani
Dennison Ramalho
Juliana Rojas
Raphael Draccon
Raphael Montes
Elenco Mariana Ximenes
Cléo Pires
Erom Cordeiro
Nicolas Trevijano
Bruno Belarmino
Maria Clara Spinelli
Rui Ricardo Dias
Fabiana Gugli
Mário César Camargo
Ravel Andrade
Vânia de Brito
Ademir Emboava
Márcio Fecher
Tema de abertura "Darkness", Leonard Cohen
Empresa(s) de produção Estúdios Globo
Localização Rio de Janeiro Rio de Janeiro
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 16 de setembro de 2016 (Globo Play)
20 de setembro13 de dezembro de 2016
N.º de temporadas 1
N.º de episódios 12
Cronologia
Programas relacionados Dead Set[4]

Supermax é uma série brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 20 de setembro à 13 de dezembro de 2016, em 12 episódios.[5] Criada por José Alvarenga Jr., Marçal Aquino e Fernando Bonassi, conta com roteiro de Aquino, Bonassi, Carolina Kotscho, Bráulio Mantovani, Dennison Ramalho, Juliana Rojas, Raphael Draccon e Raphael Montes, sob direção de José Eduardo Belmonte, Rafael Miranda e Alvarenga.[2][3]

Conta com Mariana Ximenes, Erom Cordeiro, Maria Clara Spinelli, Ravel Andrade, Vânia de Brito, Mário César Camargo, Ademir Emboava, Rui Ricardo Dias, Fabiana Gugli, Pedro Bial, Bruno Belarmino, Nicolas Trevijano e Cléo Pires nos papéis principais.

A série foi Indicada ao Seoul Internacional Drama Awards na Categorias Melhor Série e Melhor Autor.

Produção[editar | editar código-fonte]

O processo de escrita da série se deu no formato writer's room em que os roteiristas se reúnem de forma intensiva para a criação e desenvolvimento dos roteiros.[6] De acordo com Carolina Kotscho, tiveram ampla liberdade na escrita: "A gente escreveu sem nenhum limite. Imaginamos que uma hora viria este limite, mas ele não veio. Isto foi uma grata surpresa!"[7] Segundo Rapahel Montes um dos roteiristas, a emissora deu carta branca a equipe: "Lembro de uma discussão em que começamos a lançar ideias e falamos que isso nunca iria ao ar, só que filmaram! Foi uma vontade nossa, da criação, da direção e da equipe, da própria Rede Globo, em fazer algo diferente, que tenha elementos conhecidos e identificáveis pelo grande público mas ao mesmo tempo seja inovador".[7]

Definida pelo criador e diretor José Alvarenga como um cruzamento de gêneros que vai do thriller policial, horror, terror e suspense ao romance, teve como base a inspiração na primeira temporada de True Detective, assim como em outros produtos de temáticas similares como The Walking Dead, American Horror Story, Supernatural, Jogos Vorazes e Lost.[1][2][3][5] Com a trama ambientada num reality show, Alvarenga emprestou operadores e nove câmeras do Big Brother Brasil.[8] A prisão de Alcatraz serviu de inspiração para a penitenciária fictícia de 800 m² construída nos Estúdios Globo.[2][5]

A preparação dos atores se deu na escolha de nomes desconhecidos do público em geral, além do isolamento do elenco em relação aos outros estúdios do Projac, para manter os envolvidos no clima tenso e sombrio da trama. Envolveu também o conhecimento de reagir cenas diferentes, como amputar uma perna a sangue frio, ser estrangulado ou encontrar uma aberração, incomum a atores brasileiros, acostumados a interpretar drama e melodrama.[9]

Exibição[editar | editar código-fonte]

Prevista para ter estreado em 2 de outubro de 2015, após o término de Verdades Secretas, a série teve sua exibição postergada para 2016, pelo fato de o mercado publicitário estar em um momento econômico ruim.[11] No dia 16 de setembro de 2016, a Rede Globo disponibilizou, através de seu aplicativo Globo Play, os 11 primeiros episódios da produção para os assinantes.

Versão internacional[editar | editar código-fonte]

Uma versão internacional para canais hispânicos também está prevista para ser produzida em espanhol, tendo como diretor o cineasta argentino Daniel Burman.[12] A série internacional começou a ser gravada em abril de 2016 tendo como locação os países co-produtores Espanha, México e Argentina, além de ter sido gravada nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro.[13] Ela será exibida pelos canais Cuatro (Espanha), Teledoce (Uruguai), Televisión Pública Argentina (Argentina) e TV Azteca (México) em 2017.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Misturando ficção e realidade, a série narra a trajetória de 12 participantes (7 homens e 5 mulheres) de um reality show gravado numa penitenciária de segurança máxima desativada, localizada na Floresta Amazônica.

Cada participante não foi escolhido por acaso; cada um deles cometeu um crime grave em algum momento da vida.

Somente um deles ganhará o prêmio de R$ 2 milhões, mas para isso terão de sair vivos da Supermax.

No primeiro dia de confinamento tudo ocorre bem, até que a produção do reality desaparece misteriosamente, deixando os confinados à própria sorte, tendo de lidar com os acontecimentos macabros e sobrenaturais que ocorrem no local.[5][14]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Mariana Ximenes como Bruna Sabino, enfermeira que trabalhava num grande hospital cuidando de pacientes terminais, mas acabou demitida.[15]
  • Erom Cordeiro como Sérgio, Capitão da Polícia Militar afastado por um crime que alega não ter cometido.[15]
  • Cléo Pires como Sabrina Toledo, psicóloga que foi sequestrada no passado e passou alguns meses em cativeiro, desenvolvendo a Síndrome de Estocolmo.[15]
  • Bruno Belarmino como Luizão, ex-lutador de MMA que vive atormentado por uma culpa antiga e se dedica a domar sua raiva e violência.[15]
  • Nicolas Trevijano como Nando, um ex-padre que dedicou a maior parte da vida à Igreja Católica e considera ter sido afastado injustamente.[15]
  • Maria Clara Spinelli como Janette, dona de uma rede de salões de beleza, que viveu uma infância miserável sob a tutela do pai violento e alcoólatra.[15]
  • Ravel Andrade como Dante, integrante mais jovem do reality, adepto de seitas obscuras.[15]
  • Rui Ricardo Dias como Arthur, ex-jogador de futebol que crê ainda estar em atividade.[15]
  • Fabiana Gugli como Diana, ex-garota de programa e atual dona de casa, que perdeu recentemente o marido.[15]
  • Mário César Camargo como Doutor Timóteo, médico reformado do Exército de poucas palavras e traços autoritários.[15]
  • Vânia de Brito como Cecília Damasceno, mulher que chegou a elite carioca, mas após a morte do filho e do marido se encontra a beira da miséria.[15]
  • Ademir Emboava como José Augusto, economista ligado a políticos que atuava como arrecadador de fundos para um partido.[15]
  • Márcio Fecher como Baal.[15]
  • Pedro Bial como ele mesmo.[16]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Nelson de Sá resenhando Supermax para a Folha de S.Paulo disse que "o formato é mesclado e acaba por flagrar a inferioridade –a começar da atuação– do modelo de dramaturgia para TV aberta, no Brasil."[17] Pablo R. Bazarello do Cine POP disse que Supermax não entrega o que foi anunciado nos comercias.[18] Vitor Peccoli escrevendo para o Antena Crítica disse que a introdução foi chata mas "promete melhorar" e "talvez por isso a série tenha derrubado a audiência da Globo."[19]

Rodrigo Torres do Cinema Terra avaliou onze dos doze episódios da primeira temporada dizendo, "Eles [os personagens] brigam sem motivo, se (re)aproximam abruptamente e assim seguem, numa oscilação comportamental conveniente e que denota pouca sutileza na construção de suas personalidades (...) Em termos criativos, o resultado ainda está longe do ideal, mas é suficiente para garantir o interesse dos assinantes do Globo Play pelo que virá no final, em dezembro."[20] Renan Gonçalves do Robot Geeks também avaliou os onze episódios e definiu o seriado como "forçado".[21]

Prêmios & Indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado Ref.
2016
Prêmio Extra de Televisão
Melhor Série
Indicado [22]
Troféu APCA
Melhor Série
Indicado [23]
Melhor Diretor
José Alvarenga Jr.
Indicado [23]
2017 Seoul Internacional Drama Awards Melhor Série Pendente [24]
Melhor Autor Pendente

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Críticas à Rede Globo

Após o lançamento do trailer no qual é mostrado um gato preto amarrado pelas quatro patas, a ONG Associação Natureza em Forma criou uma petição virtual pedindo para Rede Globo não transmitir cenas de violência contra animais. Segundo a ONG:

“"[A cena] ainda que ficcional (...) [é] uma banalização da violência que pode, inclusive, incitá-la (...) Eles já são perseguidos e maltratados sem que ninguém dê ideias a seus algozes, e a punição ao crime de maus-tratos é, infelizmente, ínfima. E eles não precisam que uma rede de TV mostre imagens de tortura como se fosse entretenimento (...) [animais pretos são] especialmente sujeitos a maus-tratos, devido a superstições e preconceito racial."[25]

— Associação Natureza em Forma

A Rede Globo respondeu que as cenas foram feitas com auxílio de computação gráfica, evitando que haja maus-tratos e a cena com o gato preto é uma crítica ao uso de animais em rituais.[25]

Referências

  1. a b Natália Guaratto (5 de dezembro de 2015). «Globo mistura BBB e terror em reality mais "from hell" que já criou». UOL TV e Famosos. Consultado em 15 de março de 2016 
  2. a b c d Lígia Mesquita (5 de dezembro de 2015). «Na Comic Con, Globo lança 'Supermax', seu 'BBB' do crime». Folha de S.Paulo. Ilustrada. Consultado em 15 de março de 2016 
  3. a b c Priscila de Martini (6 de dezembro de 2015). «"Supermax", a série que quer inserir a Globo no mundo geek». Zero Hora. Consultado em 15 de março de 2016 
  4. Marcel Plasse (31 de agosto de 2015). «Supermax: Terror encontra Big Brother Brasil nos trailer de nova série da Globo». Pipoca Moderna. Consultado em 1 de setembro de 2016 
  5. a b c d Lucas Rezende (03 de julho de 2015). «"Supermax": Entregamos os detalhes da nova série da Globo, que mistura Lost, Big Brother Brasil e Jogos Vorazes». Heloísa Tolipan. Consultado em 20 de fevereiro de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. Renato Hermsdorff (6 de dezembro de 2015). «Comic Con Experience 2015: Globo tenta reaproximação com público jovem com série Supermax». Adoro Cinema. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  7. a b Francisco Russo (6 de julho de 2016). «Supermax: "A gente foi livre para imaginar. Esta é a grande diferença que podemos propor neste momento à TV brasileira"». Adoro Cinema. Consultado em 21 de julho de 2016 
  8. Zean Bravo (29 de novembro de 2015). «Mariana Ximenes e Cleo Pires estrelam série passada numa prisão». O Globo. Consultado em 16 de março de 2016 
  9. Giselle de Almeida (19 de julho de 2016). «Elenco de "Supermax" aprendeu a reagir a perna amputada e estrangulamentos». UOL TV e Famosos. Consultado em 21 de julho de 2016 
  10. Renato Hermsdorff (6 de dezembro de 2015). «Comic Con Experience 2015: Globo tenta reaproximação com público jovem com série Supermax». Adoro Cinema. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  11. Daniel Castro; João da Paz (23 de setembro de 2015). «Crise faz Globo 'economizar' série nacional e exibir enlatado no horário nobre». UOL. Notícias da TV. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  12. John Hopewell (18 de janeiro de 2016). «Natpe: Brazil's Globo, Argentina's Daniel Burman Team for 'Supermax'» (em inglês). Variety. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  13. Furquim, Fernanda (8 de maio de 2016). «'Supermax', nova minissérie da Rede Globo, apresenta o elenco de sua versão internacional». Veja. Abril.com. Consultado em 25 de fevereiro de 2017 
  14. Renan Santos (30 de novembro de 2015). «Conheça a história de "SuperMax", nova série inusitada da Globo». TV Foco. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  15. a b c d e f g h i j k l m Gshow (20 de julho de 2016). «Elenco de 'Supermax': saiba quem são os atores da série». Bastidores. Consultado em 1 de setembro de 2016 
  16. Fernando Oliveira (7 de setembro de 2015). «Pedro Bial interpretará a si mesmo, um apresentador de reality, em nova série da Globo». F5 - Colunistas. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  17. Nelson de Sá (16 de setembro de 2016). «'Supermax' promete, mas vícios de TV atrapalham». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  18. Pablo R. Bazarello (21 de setembro de 2016). «Supermax - Primeiras impressões». cinepop.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2016 
  19. Vitor Peccoli (21 de setembro de 2016). «BBB do terror, "Supermax" estreia com introdução chata, mas promete melhorar». www.antenacritica.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2016 
  20. Rodrigo Torres (20 de setembro de 2016). «Supermax: Crítica sem spoilers dos 11 primeiros episódios». cinema.terra.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2016 
  21. Renan Gonçalves (21 de setembro de 2016). «Supermax: Crítica do novo seriado da Globo». robotgeeks.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2016 
  22. «Prêmio Extra de TV 2016: vote nos melhores da televisão». 22 de outubro de 2016 
  23. a b «APCA define os finalistas aos melhores da Televisão em 2016». 10 de novembro de 2016 
  24. «Seoul International Drama Awards». www.seouldrama.org (em coreano). Consultado em 19 de agosto de 2017 
  25. a b «ONG faz abaixo-assinado contra cenas de maus-tratos de animal em Supermax». www.opovo.com.br. 19 de setembro de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]