Munique (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a cidade da Alemanha, veja Munique.


Munich
Munique (PT/BR)
 Estados Unidos
2005 •  cor •  164 min 
Direção Steven Spielberg
Roteiro Tony Kushner
Eric Roth
Elenco Eric Bana
Daniel Craig
Geoffrey Rush
Ciarán Hinds
Mathieu Kassovitz
Género Drama
Lançamento Estados Unidos 6 de Janeiro de 2006
Brasil 27 de Janeiro de 2006
Portugal 2 de Fevereiro de 2006
Idioma Inglês
Orçamento U$ 70 milhões
Receita U$ 130.358.911
Página no IMDb (em inglês)

Munich (Munique no Brasil e em Portugal) é um filme de 2005 dirigido por Steven Spielberg sobre os eventos que se seguiram ao Massacre de Munique de 1972. Ele segue um esquadrão do Mossad (liderado por Eric Bana) que é requisitado para caçar e matar os terroristas do Setembro Negro (Operação Cólera de Deus) responsáveis pelo assassinato dos atletas israelenses e o fardo que isso foi para a equipe.

O filme é parcialmente baseado no livro Vengeance: The True Story of an Israeli Counter-Terrorist Team (algo como Vingança: A Verdadeira História de uma Equipe Contra-Terrorista Israelense) pelo jornalista canadense George Jonas.

Spielberg praticamente não fez pré-estreias do filme, lançado em dezembro de 2005. A expectativa só seria superada pela polêmica que se seguiu às primeiras exibições: tanto judeus quanto muçulmanos acusaram o conteúdo de racial.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O ponto de partida para o filme corresponde aos trágicos acontecimentos ocorridos durante os Jogos Olímpicos de 1972, realizados em Munique. A 5 de Setembro, oito palestinianos mascarados (autodenominado "grupo Setembro Negro") invadiram a aldeia olímpica, mataram dois atletas israelitas e raptaram outros nove. Depois exigiram a saída em segurança do país e a libertação de 200 prisioneiros árabes. No entanto, quando chegaram ao aeroporto foram confrontados com a polícia alemã e desse confronto resultou a morte dos nove reféns.

No rescaldo desses trágicos acontecimentos, o governo de Israel da época, liderado por Golda Meir, deu ao Mossad, a agência secreta israelense, uma missão especial: perseguir e eliminar os palestinianos responsáveis pela morte dos onze atletas israelitas em qualquer parte do mundo. Ephraim (Geoffrey Rush) é o homem que vai recrutar Avner (Eric Bana) e uma equipa de mais quatro homens - Steve (Daniel Craig), Carl (Ciarán Hinds), Robert (Mathieu Kassovitz) e Hans (Hanns Zischler) - para executarem essa terrível missão. Apesar de Avner, líder do grupo, acreditar na missão e gostar de servir o seu país, vai ficando, à medida que a sua acção sangrenta se desenrola, com cada vez mais dúvidas morais sobre os actos de vingança perpetrados em nome da sua pátria.

Embora o filme possua uma estrutura e ritmo de thriller, o argumento detalha a gradação emocional e as alterações psicológicas por que passa Avner, remetendo para um drama mais pungente. Essa situação espelha os efeitos que a vingança pura e a espiral de violência podem ter sobre os indivíduos. Neste contexto, o filme usa uma situação particular para motivar a reflexão sobre o tipo de medidas tomado na actualidade para combater o terrorismo. Acima de tudo, dá a ver um mundo feito de várias tonalidades, onde não existem bons e maus, mas apenas pessoas que podem apresentar múltiplas facetas e actuar por diversas causas. O filme causou grande polémica por lidar com um tema tão sensível quanto o do conflito israelo-palestiniano, mas as críticas surgiram dos dois lados, o que parece provar que o filme não defende um dos lados. Inegável é a sua qualidade técnica e artística, colocada ao serviço de uma história muito dura, mas decisiva para compreender muitas das dinâmicas do mundo, nomeadamente as que conduzem ao semear da violência.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Munich teve recepção geralmente favorável por parte da crítica especializada. Em base de 39 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 74% no Metacritic. Por votos dos usuários do site, atinge uma nota de 7.2, calculada de 268 votos e usada para avaliar a recepção do público.[1]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Globo de Ouro 2006 ( EUA )

Ano Categoria Indicado(s) Resultado
2006
Melhor Diretor Steven Spielberg Indicado
Melhor Roteiro Tony Kushner, Eric Roth Indicado

Óscar 2006 ( EUA )

Ano Categoria Indicado(s) Resultado
2006 Melhor Filme Munich Indicado
Melhor Diretor Steven Spielberg Indicado
Melhor roteiro adaptado/argumento adaptado Tony Kushner, Eric Roth Indicado
Melhor edição/montagem Munique Indicado
Melhor Trilha Sonora Munich Indicado

Referências

  1. «Munich» (em inglês). Metacritic. Consultado em 2 de setembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]