Nacional Futebol Clube (Paraíba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nacional de Pombal
NacionalDePombal.png
Nome Nacional Futebol Clube
Alcunhas Camaleão do Sertão, Alviverde pombalense, Sensação do sertão
Mascote Camaleão
Fundação 12 de Junho de 1988 (28 anos)
Estádio Estádio Municipal Francisco Pereira Vieira (Pereirão)
Capacidade 5.000 pessoas
Localização Pombal, PB
Presidente Brasil José Nildo[1]
Treinador Brasil Betão
Patrocinador Brisanet
Material (d)esportivo Jotaene
Competição Paraíba Campeonato Paraibano - 2ª Divisão
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

Nacional Futebol Clube é um clube de futebol da cidade de Pombal, estado da Paraíba.[2] Manda seus jogos no estádio Pereirão. As cores oficiais da equipe são o verde e o branco.

Foi fundado no dia 12 de junho de 1988, com Sede na Rua Jerônimo Rosado, 410, no centro de Pombal. A agremiação se profissionalizou três anos depois (1991).

História[editar | editar código-fonte]

Nome, fundação e escudo[editar | editar código-fonte]

Segundo o presidente e ex-jogador do clube Romero Freitas: “o nome e o escudo surgiram quase do nada, o time voltou agora e eu deixei tudo como era antes. Sou conservador demais. O time surgiu num domingo (12 de junho de 1988) de manhã, após uma reunião para disputar o campeonato citadino. Na época só tínhamos seis jogadores, então juntamos três equipes da região e formamos o Nacional. À tarde fomos a campo e vencemos por 1 x 0 a equipe do Constituinte, que era o time da cidade da época”.

O pioneiro no futebol profissional da cidade - Um debutante com suor, luta e lágrimas[editar | editar código-fonte]

“A partir daí o Nacional virou time grande da região, conquistando cinco títulos (municipais). Depois se tornou o primeiro time da historia de Pombal a se profissionalizar, participando de três segundas divisões da Paraíba, onde chegamos perto de subir no primeiro ano. Esse ano foi fantástico”

Escudo utilizado nos primeiros anos do clube

“No ano em que estreamos (1992) a Federação Paraibana de Futebol criou a Segunda Divisão, que até então não existia. Na época o presidente da entidade mandou convites para várias equipes. Nós aceitamos, porém sabíamos que precisávamos resolver algumas "pendengas". A principal era que não tínhamos um estádio”

“A guerra política naquela época era grande! Tínhamos um campo de terra batida sem segurança, sem alambrado e nem vestiário, e o prefeito queria demolir o estádio, que só tinha as paredes. Mas não desanimei e corri atrás. Falei com amigos e políticos da cidade, e tirei dinheiro do meu bolso para reformamos o estádio e deixá-lo em condições”.

“Montamos o time e estreamos em casa contra o Sport de Teixeira. Vencemos por 2 x 0. O fato engraçado deste jogo foi que a reforma do estádio terminou 30 minutos antes do jogo. Foi uma loucura! O alambrado foi finalizado quando o árbitro entrou em campo!”.

“Disputamos seis jogos no primeiro ano e só perdemos dois, justamente para os dois times que conseguiram o acesso a Primeira Divisão. Em casa éramos imbatíveis. O time daquele ano foi o melhor de todos. Tínhamos jogadores de nome na Paraíba, inclusive que foram campeões estaduais. As adversidades eram muitas, como a falta de transporte, arbitragem, que só favorecia time da casa, comidas com produtos pra adoecer os times que vinham de fora. Mesmo com tudo isso, terminamos em terceiro lugar, dois pontos atrás do primeiro colocado”.

Participações em estaduais[editar | editar código-fonte]

Em sua história, disputou por seis vezes a Segunda Divisão do Campeonato Paraibano de Futebol (1992, 1993, 1994, 2014, 2015, e 2016), tendo paralisado suas atividades profissionais em 1995. Em 2014 o clube voltou novamente a segundona, e fez uma ótima primeira fase, terminando em primeiro lugar em um grupo em que também disputaram Inter de Santa Rita e Sabugy.[3][4] Caiu no mata-mata para o Miramar, que posteriormente viria a ser vice-campeão e subiria para a primeira.

Em 2015 caiu em um grupo em que também jogaram Paraíba de Cajazeiras e Cruzeiro de Itaporanga, e após uma primeira fase irregular, conseguiu se classificar com 3 pontos de diferença para o líder Paraíba (que depois chegaria a final e seria vice, conseguindo a vaga de acesso).[5] Nas quartas, enfrentou o Esporte de Patos, que acabou sendo campeão. No primeiro jogo, com o Pereirão lotado, fez 1 a 0, gol do experiente atacante Manu, tornando realidade o sonho do acesso. Porém na partida de volta não conseguiu segurar o ímpeto dos donos da casa, e perdeu por 3 a 0.[6]

Em 2016, com um campeonato composto de apenas 10 clubes[7], o camaleão fez parte do "Grupo Sertão", juntamente com Nacional de Patos e Sabugy. A quantidade reduzida de equipes fez com que a Federação Paraibana de Futebol propusesse um formato no mínimo curioso para o certame[8]: os dois primeiros colocados dos grupos "Litoral" e "Agreste" passariam para a segunda fase, enquanto todos os 3 times do grupo "Sertão" já iriam iniciar o torneio automaticamente classificados.

O alviverde pombalense teve um começo ruim, sendo derrotado na primeira rodada pelo Sabugy, fora, e empatando na segunda com o xará Nacional de Patos, em casa. Em seguida, venceu as duas partidas restantes: 2 a 0 contra a equipe patoense, em pleno José Cavalcanti, e 1 a 0 diante do Sabugy, no Pereirão, terminando assim a primeira fase na segunda colocação do grupo, com os mesmos 7 pontos do líder.[9] Na segunda fase teve como adversário o Femar, de João Pessoa. Foram dois jogos duros. Na primeira partida, disputada em Pombal, o time pessoense levou a melhor: voltou para casa com um magro 1 a 0 na bagagem. No segundo jogo, na capital paraíbana, o camaleão, precisando do resultado, jogou a vida, literalmente, porém o desempenho não foi suficiente para reverter o resultado obtido pelo Femar no confronto anterior: empate arrancado em 1 a 1. Mais uma vez o Nacional se despedia do estadual na segunda fase, tendo o sonho do acesso adiado novamente para o próximo ano.


Nacional-pb-escudo.jpg

Referências

  1. «Diretoria do Nacional de pombal anuncia Reginaldo Sousa como novo técnico». GloboEsporte.com. 10 de julho de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2016 
  2. «Brazilian Professional Clubs - 1970/1997». rsssfbrazil.com. Consultado em 1 de agosto de 2014 
  3. «Tabela do Paraibano 2°Divisão de 2014». Federação Paraibana de futebol. Consultado em 23 de maio de 2016 
  4. «Arbitral define regulamento e grupos da segunda divisão do Paraibano». globoesporte.com. 28 de julho de 2014. Consultado em 1 de agosto de 2014 
  5. «Tabela da segunda divisão de 2015». Globoesporte.com. Consultado em 23 de maio de 2016 
  6. «Nacional-PB dá adeus a segundona». Globoesporte.com. 13 de setembro de 2015. Consultado em 23 de maio de 2016 
  7. «Tabela da segunda divisão de 2016». Globoesporte.com. Consultado em 9 de setembro de 2016 
  8. «Atacante troca socos com torcedor rival nas arquibancadas em jogo da segundona do paraibano». Globoesporte.com. 1 de setembro de 2016. Consultado em 9 de setembro de 2016 
  9. «Tabela final da segunda divisão de 2016». Globoesporte.com. Consultado em 6 de março de 2017