Neritidae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaNeritidae
Espécies de Neritidae em fotografia: a maior à direita - Nerita peloronta Linnaeus, 1758 do Caribe; as três do alto, esquerda - Neritina zebra (Bruguière, 1792) das Guianas; a concha posicionada na frente - Nerita histrio Linnaeus, 1758 do sudoeste do Pacífico.
Espécies de Neritidae em fotografia: a maior à direita - Nerita peloronta Linnaeus, 1758 do Caribe; as três do alto, esquerda - Neritina zebra (Bruguière, 1792) das Guianas; a concha posicionada na frente - Nerita histrio Linnaeus, 1758 do sudoeste do Pacífico.
Cinco vistas da concha de Nerita exuvia Linnaeus, 1758, encontrada no sudoeste do oceano Pacífico, perto de mangues.[1] Espécime de Bohol, Filipinas.
Cinco vistas da concha de Nerita exuvia Linnaeus, 1758, encontrada no sudoeste do oceano Pacífico, perto de mangues.[1] Espécime de Bohol, Filipinas.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Classe: Gastropoda
Subclasse: Neritimorpha
Ordem: Cycloneritida
Superfamília: Neritoidea
Família: Neritidae
Rafinesque, 1815[2]
Distribuição geográfica
Os moluscos da família Neritidae são particularmente bem distribuídos nas costas e oceanos das regiões de clima tropical da Terra, na zona entremarés e em estuários.[3][4]
Os moluscos da família Neritidae são particularmente bem distribuídos nas costas e oceanos das regiões de clima tropical da Terra, na zona entremarés e em estuários.[3][4]
Gêneros
ver texto
Cinco vistas de Septaria luzonica (Souleyet, 1841)[5], espécime de Luzon, Filipinas. No gênero Septaria Férussac, 1807 as conchas se encontram fracamente enroladas; em Clypeolum Récluz, 1842, o lábio externo é expandido.[1][2]
Conchas de Neritidae e seus opérculos; retiradas do livro The Cambridge Natural History (1895): 1. Nerita; 2, 3. Neritina; 4. Neritina, forma intermediária (= Neritina granosa); 5, 6. Septaria.
Sinónimos
Septariidae Jousseaume, 1894[2]
Conchas do Neritidae Vittina waigiensis (Lesson, 1831)[6], espécimes com grande variação de cor. A mesma variabilidade de coloração ocorre em espécies de Neritina Lamarck, 1816.[2][7]

Neritidae (nomeadas, em inglês, nerite -sing.[1][7] e, em castelhano, nerita -sing.)[4] é uma família de moluscos gastrópodes marinhos, litorâneos, classificada por Constantine Samuel Rafinesque, em 1815 (na obra Analyse de la nature ou Tableau de l'univers et des corps organisés), e pertencente à subclasse Neritimorpha.[2] Sua distribuição geográfica abrange principalmente os oceanos tropicais da Terra, ocupando habitat similar ao dos caramujos Littorinidae, incluindo estuários, mangues e rochas na zona entremarés; com os gêneros Clithon, Clypeolum, Neripteron, Neritina, Puperita, Septaria, Theodoxus e Vittina em água doce e principalmente salobra.[1][3][4][8][9][10] Eles podem armazenar água dentro de suas conchas e, portanto, são capazes de resistir a períodos sem umidade, com a ajuda de um opérculo calcário[7]; podendo, assim, habitar o ponto máximo da faixa de marés.[11]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Compreende espécies herbívoras com animais de uma só brânquia; de conchas sem madrepérola ou umbílico, esféricas ou semiesféricas de base chata; pequenas - em sua maioria com menos de 5 centímetros - e com sua espiral baixa ou moderadamente elevada; formadas por poucas voltas que se prolongam até um lábio externo circular, frequentemente engrossado, por vezes expandido (em Clypeolum), e com uma abertura em forma de semicírculo, com margem geralmente denticulada, podendo ter dentes em sua columela em forma de placa lisa, pustulosa ou plicada. Geralmente as espécies marinhas (como Nerita) apresentam conchas duras, muitas com relevo de cordões ou estrias espirais, enquanto espécies de estuários (como Neritina) apresentam conchas mais frágeis, lisas, brilhantes e variavelmente coloridas. Algumas espécies de Theodoxus e Clithon apresentam projeções alongadas, partindo de suas conchas.[1][3][4][7][8][11]

Classificação de Neritidae: subfamílias e gêneros viventes[editar | editar código-fonte]

De acordo com o World Register of Marine Species, suprimidos os sinônimos e gêneros extintos.[2]

Subfamília Neritinae Rafinesque, 1815
Mienerita Dekker, 2000
Nerita Linnaeus, 1758
Subfamília Neritininae Poey, 1852
Clithon Montfort, 1810
Clypeolum Récluz, 1842
Fluvinerita Pilsbry, 1932
Nereina de Cristofori & Jan, 1832
Neripteron Lesson, 1831
Neritina Lamarck, 1816
Neritodryas von Martens, 1869
Neritona Martens, 1869
Puperita Gray, 1857
Septaria Férussac, 1807
Theodoxus Montfort, 1810
Vitta Mörch, 1852
Vittina H. B. Baker, 1924
Subfamília Smaragdiinae H. B. Baker, 1923
Smaragdia Issel, 1869

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 52-56. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  2. a b c d e f «Neritidae Rafinesque, 1815» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  3. a b c LINDNER, Gert (1983). Moluscos y Caracoles de los Mares del Mundo (em espanhol). Barcelona, Espanha: Omega. p. 42-43. 256 páginas. ISBN 84-282-0308-3 
  4. a b c d FERRARIO, Marco (1992). Guia del Coleccionista de Conchas (em espanhol). Barcelona, Espanha: Editorial de Vecchi. p. 67-68. 220 páginas. ISBN 84-315-1972-X 
  5. «Septaria luzonica (Souleyet, 1841)» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  6. «Vittina waigiensis (Lesson, 1831)» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  7. a b c d WYE, Kenneth R. (1989). The Mitchell Beazley Pocket Guide to Shells of the World (em inglês). London: Mitchell Beazley Publishers. p. 37. 192 páginas. ISBN 0-85533-738-9 
  8. a b SABELLI, Bruno; FEINBERG, Harold S. (1980). Simon & Schuster's Guide to Shells. An Easy-to-Use Field Guide, With More Than 1230 Illustrations (em inglês). New York: Simon & Schuster. p. 459. 512 páginas. ISBN 0-671-25320-4 
  9. Monks, Neale (2007). «Fresh and brackish water Nerites» (em inglês). WetWebMedia. 1 páginas. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  10. «Family: Neritidae (Nerites)» (em inglês). Natural History Museum at Washington State University. 1 páginas. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  11. a b «Neritidae». Conquiliologistas do Brasil: CdB. 1 páginas. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  12. «Nerita signata Lamarck, 1822» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  13. «Clithon diadema (Récluz, 1841)» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 25 de fevereiro de 2019