Nieuport 11

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido (desde maio de 2014). Ajude e colabore com a tradução.
Uma réplica do Nieuport 11 nas cores italianas.

O Nieuport 11, apelidado de Bébé, foi um avião de caça biplano, monomotor francês de um só lugar em configuração de tração, utilizado na Primeira Guerra Mundial. Projetado por Gustave Delage.[1] Ele adquiriu fama como um dos aviões que ajudou a encerrar o período conhecido como "Flagelo Fokker" em 1916.[2]

Esse modelo foi utilizado em serviço por várias forças aéreas aliadas, e deu origem a série de caças Nieuport com a estrutura que interligava as asas no formato de um "V". Esse modelo permaneceu em serviço até o fim da Guerra, assumindo o papel de avião de treinamento quando modelos mais novos foram lançados.[3]

Projeto e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O Nieuport 11 era basicamente, uma versão menor e mais simples do Nieuport 10 - projetado especificamente como um avião de caça monoposto. Assim como o "10", o "11" era um sesquiplano, um biplano com uma asa superior maior e uma asa inferior menor e muito mais estreita (corda menor). Os montantes que interligavam as asas tinham a forma de um "V". O layout de sesquiplano apresenta um menor arrasto e uma maior razão de subida, assim como uma melhor visibilidade da cabine, as asas inferiores mais curtas, tendem a tremer e torcer sob estresse, especialmente quando em alta velocidade. Isto era um problema com os Nieuports de estrutura em "V", assim como nos Albatros D.III e V alemães, que adotaram um desenho de asa semelhante.[4]

Um Nieuport 11 C.1 em serviço na Bélgica.

Os Nieuport 11 foram fornecidos à Aéronautique Militaire, ao Royal Naval Air Service, Bélgica, Rússia e Itália. 646 foram produzidos pela companhia Macchi italiana sob licença.[3] [4]

Nieuport 16[editar | editar código-fonte]

Em 1916, uma versão melhorada surgiu, identificada como Nieuport 16, sendo basicamente uma versão reforçada do Nieuport 11, equipada com um motor giratório Le Rhône 9J de 110 hp.[2] Diferenças visíveis incluiam uma maior abertura frontal da cobertura do motor e um descanso para a cabeça do piloto.[4] Versões posteriores foram equipadas com uma metralhadora Vickers sincronizada, mas nessa configuração, o conjunto motor - metralhadora se mostrou muito pesado comprometendo a manobrabilidade.[4] A próxima variante, ligeiramente maior, o Nieuport 17 C.1, corrigiu esse problema do centro de massa, e melhorou a performance.[5]

Histórico operacional[editar | editar código-fonte]

Um Nieuport 11 do Royal Naval Air Service.
Um Nieuport 16 com foguetes Le Prieur.

O Nieuport 11 chegou à frente de batalha francesa em Janeiro de 1916, e noventa estavam em serviço no mês seguinte.

Esse pequeno e leve sesquiplano superou o Fokker Eindecker em todos os aspectos. Entre outros, ele tinha ailerons para controle lateral ao invés do sistema de arqueamento de asas - e seu profundor estava montado num plano de cauda convencional diferente do "tipo Morane" usado nos Fokker que era todo móvel. Essas duas características o tornavam muito mais fácil de voar de forma precisa. O sucesso dos Fokker se deveu em muito ao uso da metralhadora sincronizada que disparava para a frente através do arco da sua hélice sem atingi-la. Na época, os aliados não tinham um sistema equivalente, e a metralhadora Lewis do Nieuport 11 era montada para atirar por sobre o arco da hélice, obtendo resultados semelhantes. Corrigir problemas de "engasgos", e substituir os tambores de munição em voo eram tarefas difíceis, e os tambores limitavam a quantidade de munição. Isso foi eventualmente resolvido pelos franceses aplicando o sistema de sincronização Alkan-Hamy nos caças Nieuport 17 em diante. Os britânicos, na falta de um sistema de sincronização satisfatório, mantiveram o sistema antigo da metralhadora Lewis, agora usando o suporte Foster, e empregando o novo tambor "duplo", com capacidade de 98 tiros.[5]

Durante a Batalha de Verdun em Fevereiro de 1916, o Nieuport 11 restabeleceu a superioridade aérea francesa, forçando uma mudança radical nas táticas alemãs.[3]

Alguns Nieuport 11 e 16 foram modificados em serviço para disparar foguetes Le Prieur montados na lateral da fuselagem. A intenção era usar essas armas para atacar balões de observação e dirigíveis.[4]

Em Março de 1916, o Bébé estava sendo substituído pelo Nieuport 17,[3] alguns exemplares fabricados na Itália, permaneceram em serviço por mais tempo. Daí por diante, esse modelo continuou sendo largamente utilizado como avião de treinamento.[4]

Variantes[editar | editar código-fonte]

Nieuport 11
Versão básica do biplano. Conhecido também como Nieuport Scout e Nieuport Bebe.
Nieuport 16
Versão melhorada. Utilizando um motor Le Rhone 9J giratório de 110 hp.

Usuários[editar | editar código-fonte]

Maior ás da aviação italiano da Primeira Guerra, Francesco Baracca com seu Nieuport 11.

Especificação (Nie 11)[editar | editar código-fonte]

Esquema em três vistas do Nieuport 11.
Esquema em três vistas do Nieuport 16.

Estas são as características do Nieuport 11 (Nie 11)[2]

  • Características gerais:
    • Tripulação: um
    • Comprimento: 5,8 m
    • Envergadura: 7,55 m
    • Altura: 2,4 m
    • Área da asa: 13 m²
    • Peso vazio: 344 kg
    • Peso máximo na decolagem: 480 kg
    • Motor: 1 x Le Rhone 9C, giratório de 9 cilindros radial, refrigerado à ar, de 80 hp.
  • Performance:
    • Velocidade máxima: 156 km/h
    • Alcance: 330 km
    • Teto de serviço: 4.600 m
    • Tempo de subida: 3.000 m em 15 minutos
    • Razão peso/potência: 1,49 kW/kg

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Нијепор 11
  2. a b c Chant & Taylor 2007, p. 14.
  3. a b c d Angelucci 1983, p. 53.
  4. a b c d e f Fitzsimons 1967/1969, p. 1989.
  5. a b Cheeseman 1960, p. 92.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Angelucci, Enzio, ed. The Rand McNally Encyclopedia of Military Aircraft. New York: The Military Press, 1983. ISBN 0-517-41021-4.
  • Apostolo, Giorgio. Aermacchi - from Nieuports to AMX, Giorgio Apostolo Editore (GAE), Milan, Italy, 1991
  • Bruce, J.M. The Aeroplanes of the Royal Flying Corps (Military Wing). London: Putnam, 1982. ISBN 0-370-30084-X.
  • Bruce, J.M. Nieuport Aircraft of World War One (Vintage Warbirds No 10), Arms and Armour Press, London, 1988 ISBN 0-85368-934-2
  • Chant, Christopher and Michael J.H. Taylor. The World's Greatest Aircraft. Edison, NJ: Cartwell Books Inc., 2007. ISBN 0-7858-2010-8.
  • Cheesman E.F., ed. Fighter Aircraft of the 1914-1918 War. Letchworth, UK: Harleyford Publications, 1960. ISBN 978-0-8306-8350-5.
  • Christienne, Charles, and Pierre Lissarrague. A History of French Military Aviation. Washington, D.C.: Smithsonian Institution Press, 1986. ISBN 0-87474-310-9.
  • Cooksley, Peter. Nieuport Fighters in Action. Carrollton, Texas: Squadron/Signal Publications, 1997. ISBN 0-89747-377-9.
  • Davilla, Dr. James J.; Soltan, Arthur. French Aircraft of the First World War. Mountain View California: Flying Machines Press, 1997. ISBN 0-9637110-4-0
  • Fitzsimons, Bernard, ed. The Illustrated Encyclopedia of the 20th Century Weapons and Warfare. London: Purnell & Sons Ltd., 1967/1969. ISBN 0-8393-6175-0.
  • Franks, Norman. Nieuport Aces of World War 1 - Osprey Aircraft of the Aces 33, Osprey Publishing, Oxford, 2000, ISBN 1-85532-961-1
  • Guttman, Jon. "Nieuport 11/16 Bébé vs Fokker Eindecker - Western Front 1916 (Osprey Duel ; 59)", Osprey Publishing, Oxford, 2014, ISBN 978-1-78200-353-3
  • Janić Č, Petrović O, Short History of Aviation in Serbia, Beograd, Aerokomunikacije, 2011. ISBN 978-86-913973-2-6.
  • Kowalski, Tomasz J. Nieuport 1-27, Kagero, Lublin, 2003, ISBN 83-89088-09-6
  • Longoni, Maurizio. Nieuport Macchi 11 & 17, Intergest, Milan, 1976
  • Rimell, Ray. World War One Survivors. Bourne End, UK: Aston Publications, 1990. ISBN 0-946627-44-4.
  • Rosenthal, Léonard; Marchand, Alain; Borget, Michel; Bénichou, Michel. Nieuport 1909-1950 Collection Docavia Volume 38. Clichy Cedex, France: Editions Lariviere, 1997. ISBN 2-84890-071-7
  • Sanger, Ray. Nieuport Aircraft of World War One, Crowood Press, Wiltshire, 2002 ISBN 1-86126-447-X
  • Thetford, Owen. British Naval Aircraft since 1912. London: Putnam, Fourth edition 1978. ISBN 0-370-30021-1.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Nieuport 11
Ícone de esboço Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.