Osùn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Adosun no centro da cabeça do Iaô, feito de Osùn - candomblé.

Osùn, ossun ou pó de ierosun como é chamado pelo povo do santo e pelos babalawos, são feitos de dois tipos de árvores a Baphia nitida que tem uma cor vermelha e Pterocarpus osun que tem uma cor amarela.[1]

Utilidades[editar | editar código-fonte]

O pó da Baphia nitida que tem a cor vermelha é utilizado em vários rituais do candomblé, na construção de assentamentos de orixá igba orixá, nas pinturas sagradas da iniciação ketu, principalmente na construção do adosun (um cone que fica no centro da cabeça do iaô) com a função de transmitir o poder espiritual chamado de axé e livra-lo do infortúnio gerado por uma das Iyami-Ajé.

O pó da Pterocarpus osun que tem a cor amarela é utilizado nos rituais sagrados de Ifá, Orumilá, Oduduwa, alguns orixá nla e orixá funfun, muito utilizado para formar os gráficos de odu no Opon-Ifá e na preparação do merindilogun.

Referências

  1. Dicionário Yorubá (Nagô) Português. Eduardo Fonseca Júnior. Civilização Brasileira. 1983 - 1988.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]