Praia de Jericoacoara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Praia de Jericoacoara
Anderps 067.JPG
Localização
Coordenadas
Endereço
Descrição
Tipo de praia

Jericoacoara [nota 1] é uma praia localizada no município de Jijoca de Jericoacoara, no estado do Ceará, no Brasil. Está localizada a 300 km a oeste da capital do estado, Fortaleza. Foi eleita em 1994 pelo jornal estadunidense The Washington Post uma das dez praias mais bonitas do planeta. [1] Em 2014, foi eleita pelo Huffington Post a quarta melhor praia da Terra. [2] É um dos locais mais frequentados por praticantes de windsurfe no país. [3] A praia é parte integrante do Parque Nacional de Jericoacoara.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Jericoaquara" é um termo da língua tupi e significa "toca das tartarugas-marinhas", por meio da junção dos termos îurukûá (tartaruga-marinha) e kûara (toca). [4] [5]

História[editar | editar código-fonte]

Mapa do Ceará de 1629, que mostra a "Toca das Tartarugas" ou "Iuracoaquara", antiga denominação do local.

A praia foi registrada no mapa do Ceará de João Teixeira Albernaz, o Velho, de 1629. Até 1985, a praia era habitada somente por pescadores e era isolada do resto do mundo. A partir de então, foi descoberta pelo turismo. Em 1994, foi eleita pelo jornal The Washington Post como uma das dez mais bonitas do mundo. Em 1997, foi cenário para o internacionalmente premiado A Ostra e o Vento. Em 1998 foi cenário da novela global Meu Bem Querer [6]

Atrações[editar | editar código-fonte]

  • Pedra Furada
  • Duna do Pôr do Sol
  • Igreja Nossa Senhora da Consolação
  • Serrote
  • Farol de Jericoacoara
  • Campo das dunas

Galeria[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Pelas normas ortográficas em vigor, o nome dessa praia deveria ser grafado Jeriquaquara.

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 17 de outubro de 2011. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2012 
  2. Huffington Post (12 de agosto de 2014). «The 40 Best Beaches on Earth (em inglês)». Consultado em 13 de setembro de 2014 
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 17 de outubro de 2011. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2012 
  4. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. Terceira edição. São Paulo. Global. 2005. p. 287-288.
  5. «Cópia arquivada». Consultado em 17 de outubro de 2011. Arquivado do original em 27 de setembro de 2009 
  6. «Cópia arquivada». Consultado em 17 de outubro de 2011. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]