Presidente Médici (Rondônia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Presidente Médici
Bandeira de Presidente Médici
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Fundação 16 de junho de 1981 (35 anos)
Gentílico mediciense
Prefeito(a) Maria de Lourdes Dantas Alves (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Presidente Médici
Localização de Presidente Médici em Rondônia
Presidente Médici está localizado em: Brasil
Presidente Médici
Localização de Presidente Médici no Brasil
11° 10' 33" S 61° 54' 03" O11° 10' 33" S 61° 54' 03" O
Unidade federativa  Rondônia
Mesorregião Leste Rondoniense IBGE/2008[1]
Microrregião Ji-Paraná IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Ji-Paraná (N), Ministro Andreazza (L), Alvorada d'Oeste (O), Castanheiras e Nova Brasilândia d'Oeste (S).
Distância até a capital 346 km
Características geográficas
Área 1 758,461 km² [2]
População 24 083 hab. IBGE/2014[3]
Densidade 13,7 hab./km²
Altitude 185 m
Clima equatorial Am
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,694 (RO: 15º) – médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 217 461,124 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 497,78 IBGE/2008[5]
Página oficial

Presidente Médici é um município brasileiro do interior do estado de Rondônia. Localiza-se a uma latitude 11º10'33" sul e a uma longitude 61º54'03" oeste, estando a uma altitude de 185 metros em relação ao nível do mar. Sua população, estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2014, era de 24 083 habitantes.[3] Possui uma área territorial de 1.758 km².

História[editar | editar código-fonte]

O município de Presidente Médici localiza-se no interior do Estado de Rondônia. Suas terras originariamente foram doadas a migrantes oriundos das regiões centro e sul do país, que aí se estabeleceram a partir de 1970, contra a vontade do senhor Milton de Andrade Rios, que os tinha como invasores das terras que considerava serem de sua propriedade. Estas terras foram adquiridas pelo senhor Milton do senhor Luiz Mário Pereira de Almeida, como parte integrante da fazenda Presidente Hermes, situada entre os igarapés Preto e Leitão.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Os primeiros colonos chegaram ao local na margem da BR-364, na década de 1960, e instalaram-se em apenas quatro barracas no meio do lamaçal, dando-lhe o nome de Trinta e Três, por distar 33 quilômetros da Vila de Rondônia, atual cidade de Ji-Paraná. Seus moradores, todos agricultores, socorriam de alguma forma os motoristas e passageiros dos ônibus que ficavam retidos em um imenso atoleiro conhecido por Muqui, nas proximidades do rio com este nome.

O lugarejo cresceu em número de habitantes e casas com a chegada de novos colonos que nele se estabeleceram, apesar de haverem litígios envolvendo a posse de terras rurais. No primeiro semestre de 1972, sua população atingia mais de 800 habitantes e os ônibus que ligavam Cuiabá a Porto Velho, faziam ponto de parada no local, agora com aspecto de Vila e com dois nomes (Nova Jerusalém e Nova Canaã), ostentados em placas distintas colocadas pelos líderes de cada grupo de agricultores em frente de suas respectivas casas.

Devido à estagnação econômica e à falta de investimentos, houve evasão populacional a partir do início dos anos 2000. A falta de empregos e de mais opções de cursos superiores tem afugentado os jovens, que procuram outras cidades para trabalhar e estudar.

Emancipações[editar | editar código-fonte]

Em 1972, os colonos realizaram eleição para escolher um único nome para a localidade, sendo lançados para votação os dois supracitados e mais Getúlio Vargas, Fátima do Norte, Cruzeiro do Sul e Presidente Médici, havendo sido escolhido esse último. Tal nome foi oficializado em 1973, ocasião em que o local foi elevado à categoria de subdistrito pelo Coronel do Exército Theodorico Gahiva, na época Governador do Território Federal de Rondônia. Rondônia somente foi elevada à categoria de Estado Federado em 20/12/1981, tendo o governo estadual sido instalado em 04/01/1982.

Em decorrência de seu desenvolvimento socioeconômico, o distrito de Presidente Médici foi elevado a município em 1981. O nome "Presidente Médici" é uma homenagem ao então Presidente da República Emílio Garrastazu Médici (1969/1974).

Bairros[editar | editar código-fonte]

Atualmente, Presidente Médici está divida em 5 bairros e 5 conjuntos habitacionais

Bairros: Centro, Hernandes Gonçalves, Cunha e Silva, Lino Alves Teixeira e Colina.

Conjuntos Habitacionais: Por-do-Sol, Cohab, BNH ,Vitória-Régia e São Lucas.

Vilas e Distritos[editar | editar código-fonte]

Estrela de Rondônia, Novo Riachuelo, Bandeira Branca,Vila Camargo, e Santo Antônio.


Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. a b «Estimativa populacional 2014 IBGE». Estimativa populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 3 de agosto de 2013. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios de Rondônia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.