Qualquer Coisa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Qualquer Coisa
Álbum de estúdio de Caetano Veloso
Lançamento julho de 1975 (1975-07)[1]
Gênero(s) MPB; Tropicália
Duração 40:59
Gravadora(s) Philips
Cronologia de Caetano Veloso
Joia
(1975)
Bicho
(1977)

Qualquer Coisa é um álbum de estúdio de cantor Caetano Veloso, lançado em julho de 1975.[1]

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Qualquer Coisa" (Caetano Veloso)
  2. "Da Maior Importância" (Caetano Veloso)
  3. "Samba e Amor" (Chico Buarque)
  4. "Madrugada e Amor" (José Messias)
  5. "A tua presença morena" (Caetano Veloso)
  6. "Drume Negrinha" (Drume negrita) (Ernesto Grenet)
  7. "Jorge de Capadócia" (Jorge Ben)
  8. "Eleanor Rigby" (McCartney, Lennon)
  9. "For No One" (McCartney, Lennon)
  10. "Lady Madonna" (McCartney, Lennon)
  11. "La flor de la canela" (Chabuca Granda)
  12. "Nicinha" (Caetano Veloso)
Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 4.5 de 5 estrelas. link

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O álbum foi lançado juntamente com o Jóia, sendo inicialmente pensado como álbum duplo.[2] Em uma entrevista cedida ao Jornal do Brasil, em 16 de maio de 1991, quando sua discografia foi relançada em CD, Caetano comenta sobre os dois álbuns:

"Ia ser um álbum duplo, porque eu tinha muito material. Aí resolvi fazer dois discos, cada um com um título. O Jóia era a minha relação com o trabalho limpo, pequenas peças bem acabadas, com a liberdade de Araçá Azul. Não tem nem bateria no Jóia, um instrumento do qual eu não gostava. Cada faixa era uma jóia. Qualquer coisa era o vale tudo, bateria, confusão. O manifesto do Jóia e o manifesto do Qualquer Coisa, lidos juntos, tem um batimento engraçado. O Jóia foi o único que reouvi em CD. Soa tão bonito... Adoro o silêncio do CD. Gosto de Na Asa do Vento e em Minha Mulher é maravilhoso o relaxamento meu e de Gil ao violão, que não encontro em outra faixa de Jóia. Qualquer Coisa é que era relaxado. Gosto da faixa Qualquer Coisa, mas na gravação a canção ficou presa. O Roberto Carlos reclamou que eu não tinha dado pra ele Qualquer Coisa. Devia ter dado. Ia cantar tão lindo, tão profissional. É curioso. A letra mais abstrata do Brasil, cheia de referências, um título de filme de Rogério Sganzerla, todo mundo cantou. Qualquer Coisa vendeu muito mais que Jóia. Uma coisa assim de 60.000 contra 30.000."

Catálogos[editar | editar código-fonte]

  • Philips - LP 6349 142

Referências

  1. a b MILLARCH, Aramis. "Qualquer Coisa" sobre as músicas "Jóia" de Caetano. Publicado em O Estado do Paraná, seção "Música", p. 27, em 17 de agosto de 1975.
  2. «Jornal do Brasil - Pesquisa no arquivo do Google Notícias». news.google.com. Consultado em 11 de abril de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Caetano Veloso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.