Ramon Novarro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Jose Ramón Gil Samaniego (6 de fevereiro de 1899   – 30 de outubro de 1968), conhecido profissionalmente como Ramón Novarro, foi um ator de cinema, teatro e televisão dos Estados Unidos, nascido no México, que iniciou sua carreira em filmes mudos em 1917 e acabou se tornando uma das principais atrações de bilheteria de década de 1920 e início da década de 1930. Novarro foi divulgado pela MGM como um "amante latino" e ficou conhecido como um símbolo sexual após a morte de Rodolfo Valentino .

Início[editar | editar código-fonte]

Novarro nasceu José Ramón Gil Samaniego em 6 de fevereiro de 1899 na cidade de Durango, Durango, noroeste do México, filho de Dr. Mariano N. Samaniego e sua esposa Leonor (Gavilan). [1] A família mudou-se para Los Angeles, Califórnia, para escapar da Revolução Mexicana em 1913. [2]

Allan Ellenberger, biógrafo de Novarro, escreve:

[...] os Samaniegos eram uma família influente e respeitada no México. Muitos Samaniegos tinham posições de destaque nos assuntos do estado e eram muito apreciados pelo presidente. O avô de Ramon, Mariano Samaniego, era um médico conhecido em Juarez . Conhecido como um homem caridoso e extrovertido, ele foi governador interino do Estado de Chihuahua e foi o primeiro vereador de El Paso, Texas . . . O pai de Ramon, Dr. Mariano N. Samaniego, nasceu em Juarez e cursou o ensino médio em Las Cruces, Novo México . Depois de se formar em odontologia na Universidade da Pensilvânia, mudou-se para Durango, no México, e ali começou a trabalhar. Em 1891, casou-se com Leonor Pérez-Gavilán, filha de um próspero proprietário de terras.

A propriedade da família foi chamada de " Jardim do Éden ". Treze crianças nasceram lá: Emilio; Guadalupe; Rosa; Ramon; Leonor; Mariano; Luz; Antonio; Jose; um filho natimorto; Carmen; Ángel e Eduardo. [3] Na época da revolução no México, a família mudou-se de Durango para a Cidade do México e depois voltou para Durango. Três das irmãs de Ramón, Guadalupe, Rosa e Leonor, tornaram-se freiras. [4] Ele era primo em segundo grau das atrizes mexicanas Dolores del Río [5] e Andrea Palma .

Carreira[editar | editar código-fonte]

Cinema Mudo[editar | editar código-fonte]

Novarro com Greta Garbo em Mata Hari (1931)

Ele começou no cinema em 1917, atuando em pequenos papéis. Complementava a sua renda trabalhando como garçom cantor. Seus amigos, o ator e diretor Rex Ingram e sua esposa, a atriz Alice Terry, começaram a promovê-lo como rival de Rudolph Valentino, e Ingram sugeriu que ele mudasse seu nome para "Novarro". A partir de 1923, ele começou a desempenhar papéis mais importantes. Seu papel em "Scaramouche" (1923) trouxe seu primeiro grande sucesso.

Em 1925, Novarro alcançou seu maior sucesso em Ben-Hur . Ele foi elevado à elite de Hollywood. [6] Com a morte de Valentino em 1926, Novarro se tornou o principal ator latino da tela, embora no ranking MGM, tenha ficado atrás de outro protagonista, John Gilbert. Era popular em papéis de ação e considerado um dos grandes atores românticos de sua época. Novarro atuou com Norma Shearer em "The Student Prince In Old Heidelberg (1927) e com Joan Crawford em "Across To Singapore" (1928).

Cinema Falado[editar | editar código-fonte]

Novarro com Joan Crawford em Across to Singapore (1928)

Seu primeiro filme falado, estrelando como soldado francês foi em "Davil-May-Care" (1929). Estrelou com Dorothy Janis em "The Pagan" (1929), com Greta Garbo em "Mata Hari" (1931), com Myrna Loy em "The Barbarian" (1933) e ao lado de Lupe Vélez em "Laughing Boy" (1934).

Quando seu contrato com a MGM Studios expirou em 1935 e o estúdio não o renovou. Novarro continuou a atuar esporadicamente, aparecendo em filmes da Republic Pictures (um drama religioso mexicano e uma comédia francesa). Na década de 1940, teve vários pequenos papéis em filmes americanos, incluindo "We Were Strangers" (1949), dirigido por John Huston e estrelado por Jennifer Jones e John Garfield . Em 1958, foi considerado para um papel na série de televisão "The Green Peacock" com Howard Duff e Ida Lupino, após seu seriado de televisão da CBS "Mr Adams and Eve" (1957-1958). O projeto, no entanto, nunca se materializou. Um teste da Broadway foi abortado na década de 1960. Novarro continuou ocupado na televisão, aparecendo em "The High Chaparral" , da NBC, em 1968.

No auge de seu sucesso no final da década de 1920 e início da década de 1930, Ramón Novarro ganhava mais de US $ 100.000 por filme. Ele investiu parte de sua renda em imóveis, e sua residência em Hollywood Hills é um dos projetos mais renomados (1927) de Lloyd Wright, filho de Frank Lloyd Wright . [7] Quando sua carreira terminou, ele ainda conseguia manter um estilo de vida confortável.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Novarro com Lupe Vélez em Laughing Boy (1934)

Novarro foi perturbado a vida inteira por seus sentimentos conflitantes em relação à religião católica romana e à homossexualidade . [8] Sua luta ao longo da vida contra o alcoolismo costuma ser atribuída a esses problemas. [9] [10] [11] No início da década de 1920, Novarro teve um relacionamento romântico com o compositor Harry Partch, que trabalhava na Filarmônica de Los Angeles na época, mas Novarro interrompeu o caso quando sua carreira de ator começou a decolar. [12] . [13] Ele estava envolvido romanticamente com o jornalista de Hollywood Herbert Howe, que também era seu publicitário no final da década de 1920 [14] e com um homem rico de São Francisco, Noël Sullivan . [15]

Juntamente com Dolores del Río, Lupe Vélez e James Cagney, Novarro foi acusado de promover o comunismo na Califórnia depois de assistir a uma exibição especial do filme "Que Viva Mexico!" do famoso cineasta russo Sergei M. Eisenstein .

Assassinato[editar | editar código-fonte]

Novarro foi assassinado em 30 de outubro de 1968 pelos irmãos Paul e Tom Ferguson, de 22 e 17 anos, que lhe ofereceram seus serviços sexuais.

De acordo com a acusação no caso de assassinato, os dois jovens acreditavam que havia uma grande quantia de dinheiro escondida na casa de Novarro. A promotoria acusou os irmãos de torturar Novarro por várias horas para forçá-lo a revelar onde estava escondido o dinheiro inexistente. Eles deixaram a casa com US $ 20 que tiraram do bolso do roupão. Novarro morreu como resultado de asfixia, tendo morrido sufocado com o próprio sangue depois de ser espancado. [16] Os dois autores foram presos e condenados a longas penas de prisão, mas libertados em liberdade condicional em meados da década de 1970. Ambos foram presos novamente por crimes não relacionados, pelos quais cumpriram penas mais longas do que pelo assassinato de Novarro. [17] Em uma entrevista de 1998, Paul Ferguson finalmente assumiu a culpa pela morte de Novarro. [18]

Ramón Novarro está enterrado no Calvary Cemetery, leste de Los Angeles, Califórnia. [19] A estrela de Ramón Novarro na Calçada da Fama de Hollywood fica em Hollywood Boulevard 6350 .

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Imagem de Ramón Novarro.

O assassinato de Novarro serviu de base para o conto de Charles Bukowski chamado "The Murder of Ramon Vasquez", bem como para a música "Tango", de Jerry Leiber e Mike Stoller, gravada por Peggy Lee em seu álbum "Mirrors" .

O assassinato de Novarro está entre os muitos fatos lembrados no ensaio meditativo de Joan Didion, "California Zeitgeist", "The White Album .

O assassinato de Novarro também é brevemente mencionado na sexta temporada do episódio Sopranos "Cold Stones", após o assassinato violento de um personagem homossexual.

No final de 2005, o Wings Theatre, em Nova York, apresentou a estréia mundial de "Though a Naked Lens", de George Barthel. A peça combinava fatos e ficção para representar a ascensão à fama de Ramon Novarro e seu relacionamento com o jornalista de Hollywood Herbert Howe.

Em 2015, o assassinato de Ramon Novarro foi abordado na série de televisão "Aquarius", no episódio "Cease to Resist".

O relacionamento de Novarro com Herbert Howe é discutido em duas biografias: Ramón Novarro, de Allan R. Ellenberger, e Beyond Paradise: The Life of Ramón Novarro, de André Soares .

O dramaturgo grego Pavlos Matesis, escreveu uma peça em duas partes intitulada "The Gost of Mr. Ramon Novarro", que foi encenada pela primeira vez no Teatro Nacional da Grécia em 1973. [20]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Film
Ano Filme Papel Notas
1916 Joan the Woman Camponês Sem Créditos
1917 The Jaguar's Claws Bandido Sem Créditos
1917 The Little American Soldado ferido Sem Créditos
1917 The Hostage Sem Créditos
1917 The Woman God Forgot Homem asteca Sem Créditos
1918 The Goat Sem Créditos
1921 A Small Town Idol Dançarino Ramón Samaniego
1921 The Concert Pastor Dançarino Sem Créditos
1921 The Four Horsemen of the Apocalypse Extra Sem Créditos
1921 Man-Woman-Marriage Dançarino Sem Créditos
1922 Mr. Barnes of New York Antonio Ramon Samaniego
1922 The Prisoner of Zenda Rupert of Hentzau RamonSamaniego
1922 Trifling Women Henri / Ivan de Maupin
1923 Where the Pavement Ends Motauri
1923 Scaramouche André-Louis Moreau, Quintin's Godson
1924 Thy Name Is Woman Juan Ricardo
1924 The Arab Jamil Abdullah Azam
1924 The Red Lily Jean Leonnec
1925 A Lover's Oath Ben Ali
1925 The Midshipman Dick Randall
1925 Ben-Hur: A Tale of the Christ Judah Ben-Hur
1927 Lovers José
1927 The Student Prince in Old Heidelberg Crown Prince Karl Heinrich
1927 The Road to Romance José Armando
1928 Across to Singapore Joel Shore
1928 A Certain Young Man Lord Gerald Brinsley
1928 Forbidden Hours His Majesty, Michael IV
1929 The Flying Fleet Ens. / Ltjg Tommy Winslow
1929 The Pagan Henry Shoesmith, Jr.
1929 Devil-May-Care Armand de Treville
1930 In Gay Madrid Ricardo
1930 The March of Time Ele mesmo Filme não concluído
1930 Call of the Flesh Juan de Dios
1930 Sevilla de mis amores Juan de Dios Carbajal Versão espanhola de Call of the Flesh
1931 Le chanteur de Séville Juan Versão francesa de Call of the Flesh
1931 Daybreak Willi Kasder
1931 Son of India Karim
1931 Mata Hari Lt. Alexis Rosanoff
1931 Wir schalten um auf Hollywood Ele mesmo
1932 Huddle Antonio "Tony" Amatto
1932 The Son-Daughter Tom Lee / Prince Chun
1933 The Barbarian Jamil El Shehab
1934 The Cat and the Fiddle Victor Florescu
1934 Laughing Boy Laughing Boy
1935 The Night Is Young Archduke Paul "Gustl" Gustave
1936 Against the Current
Diretor, escritor
1937 The Sheik Steps Out Ahmed Ben Nesib
1938 A Desperate Adventure André Friezan Título Alternativo: It Happened in Paris
1940 La comédie du bonheur Félix
1940 Ecco la felicità Felice Ciatti Versão italiana deLa comédie du bonheur
1942 The Saint Who Forged a Country Juan Diego
1949 We Were Strangers Chief
1949 The Big Steal Inspetor Geral Ortega
1950 The Outriders Don Antonio Chaves
1950 Crisis Colonel Adragon
1960 Heller in Pink Tights De Leon
Televisão
Ano Título Função Notas
1958 Disney´s Wonderful Wolrd Don Esteban Miranda 2 episódios
1962 Thriller Maestro Giuliano Episódio: "La Strega"
1964 Dr. Kildare Gaspero Paolini 3 episódios
1964-1965 Combat! Charles Gireaux



</br> Conde De Roy
2 episódios "Silver Service" e "Finest Hour"
1965 Bonanza Jose Ortega Episódio: "The Brass Box"
1967 The Wild Wild West Don Tomas Episódio: "A Noite do Assassino"
1968 The High Chaparral Padre Guillermo Episódio: "A Joyful Noise", (aparência final)

Referências[editar | editar código-fonte]

2

  1. https://www.findagrave.com/memorial/134131014
  2. Meier, Matt S.; Gutiérrez, Margo. The Mexican American Experience: An Encyclopedia. [S.l.: s.n.] ISBN 0-313-31643-0 
  3. Ellenberger, Allan R. Ramon Novarro: A Biography of the Silent Film Idol, 1899-1968; with a Filmography. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-7864-4676-6 
  4. (Ellenberger 2009, pp. 8–9)
  5. Monush, Barry. Screen World Presents the Encyclopedia of Hollywood Film Actors: From the Silent Era to 1965. [S.l.: s.n.] ISBN 1-557-83551-9 
  6. «The early years - the portrayal of minorities in Hollywood film industry». Black Issues In Higher Education 
  7. «Lloyd Wright (1890–1978)» [ligação inativa] 
  8. (Ellenberger 2009, p. 148)
  9. Soares, André (19 April 2010). Beyond Paradise: The Life of Ramon Novarro. [S.l.: s.n.]  Verifique data em: |data= (ajuda)
  10. Mann, William. Behind the Screen: How Gays and Lesbians Shaped Hollywood. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0142001141 
  11. «Ramon Navarro [sic [ligação inativa] 
  12. Gilmore, Bob. Harry Partch: A Biography. [S.l.: s.n.] ISBN 0-300-06521-3 
  13. «Novarro, Ramon (1899–1968)». glbtq.com [ligação inativa] 
  14. Slide, Anthony (26 February 2010). Inside the Hollywood Fan Magazine. [S.l.: s.n.] ISBN 978-1604734133  Verifique data em: |data= (ajuda)
  15. «Finding Aid to the Noël Sullivan papers, [ca. 1911-1956], [ca. 1911-1956]» (PDF) 
  16. (Ellenberger 2009, pp. 182,187)
  17. (Ellenberger 2009, p. 196)
  18. «'Beyond Paradise: The Life of Ramon Navarro' by Andre Soares». Lambda Literary 
  19. Wilson, Scott (14 August 2016). Resting Places: The Burial Sites of More Than 14,000 Famous Persons. [S.l.: s.n.] ISBN 9781476625997. OCLC 948561021  Verifique data em: |data= (ajuda)
  20. «Archives of the Greek National Theatre». NT Archiver (em grego) 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ramírez, Gabriel. Crónica del cine mudo mexicano. [S.l.: s.n.] ISBN 968-805-416-X 
  • Orozco, Federico. Albores del cine mexicano. [S.l.: s.n.] ISBN 968-6932-45-3 
  • Ellenberger, Allan R. Ramon Novarro: A Biography of the Silent Film Idol, 1899-1968, with a Filmography. [S.l.: s.n.] ISBN 0-5331-3396-3 
  • Soares, André. Beyond Paradise: A Biography of Ramón Novarro. [S.l.: s.n.] 

Links Externos[editar | editar código-fonte]