Rio Iguaçu (Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rio Iguaçu
Rio Iguaçu, no Maciço do Tinguá, próximo a sua nascente, em Nova Iguaçu
Comprimento 43 km
Nascente Serra do Tinguá
Altitude da nascente 1 000 m
Foz Baía de Guanabara
Área da bacia 726 km²
Delta Não
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados, veja Iguaçu.

O Rio Iguaçu[1] é um rio do estado do Rio de Janeiro, no Brasil.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Iguaçu" é um nome originário da língua tupi, significando "rio grande", através da junção dos termos 'y (rio, água)[2] e gûasu (grande).

Características[editar | editar código-fonte]

Sua nascente é na Serra do Tinguá. Tem extensão de 43 km, desaguando na Baía da Guanabara. Seus principais afluentes são os rios Tinguá, Pati, Capivari (margem esquerda), Botas e Sarapuí (margem direita). Antigamente, havia ainda um afluente importante, o rio Pilar, hoje assoreado.

Esse rio foi de fundamental importância para o desenvolvimento da região da Baixada Fluminense, especialmente para a criação da cidade de Nova Iguaçu.

O porto de Iguaçu, que se localizava nesse rio, foi o segundo mais importante porto fluvial do Estado do Rio de Janeiro, especialmente entre 1830 e 1860. Exportava-se principalmente café, feijão, farinha e tapioca, além de outros produtos, produzidos no próprio município de Iguaçu (hoje Nova Iguaçu) e também nos municípios de Vassouras, Valença e Paraíba do Sul (que abrangiam os vários municípios atualmente existentes na região). A província de Minas Gerais também utilizava o porto, que ficava no final da Estrada Real do Comércio.

Contudo, com o tempo, o rio Iguaçu perdeu sua importância estratégica. A ocupação econômica da Baixada Fluminense derrubou as matas nativas, o que causou o assoreamento dos rios e a diminuição de sua vazão. Os rios assoreados facilitaram a propagação de mosquitos e endemias de malária no final do século XIX. Com isto, as antigas povoações ao lado de portos como os de Iguaçu e Pilar do Iguaçu ficam pouco povoadas, a tal ponto que até a cidade de Iguaçu mudou-se de seu antigo local perto do rio Iguaçu para um outro perto da Estrada de Ferro Dom Pedro II (atual Estrada de Ferro Central do Brasil), passando então a chamar-se cidade de Nova Iguaçu. Finalmente, a criação da Estrada de Ferro Dom Pedro II eliminou a utilização do rio Iguaçu como via de transporte. Em seu estuário, forma uma das últimas áreas de manguezais da Baía de Guanabara.

Referências

  1. Portal do Instituto Estadual do Ambiente. Disponível em http://www.inea.rj.gov.br/index/index.asp. Acesso em 14 de janeiro de 2013.
  2. NAVARRO, E. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. Terceira edição revista e aperfeiçoada. São Paulo. Global. 2005. p. 22.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]