Rodrigo Delfim Pereira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rodrigo Delfim Pereira aos 53 anos de idade, 1876

Rodrigo Delfim Pereira ComCComA (Rio de Janeiro, 4 de Novembro de 1823Lisboa, 31 de Janeiro de 1891) foi um diplomata brasileiro.

Família[editar | editar código-fonte]

Foi sempre considerado como filho ilegítimo de D. Pedro I do Brasil, futuro D. Pedro IV de Portugal e Duque de Bragança, fruto de uma relação extra-conjugal com Maria Benedita de Castro Canto e Melo, 1.ª Baronesa de Sorocaba pelo seu casamento com Boaventura Delfim Pereira, 1.º Barão de Sorocaba, e a confirmação deste facto foi dada pelo Testamento do Imperador (feito em Paris a 21 de Janeiro de 1832, no Notário Público Noel Lecour, na Rue de la Paix), o qual, deixando a terça aos seus filhos ilegítimos, ali o mencionar, e recomenda, com a sua proteção e amparo, a Amélia de Leuchtenberg, Imperatriz do Brasil e Duquesa de Bragança.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ministro do Brasil em Berlim, Paris, Hamburgo, etc.[3]

1.º Senhor da Quinta das Murtas, na Freguesia de Santa Maria e São Miguel, Sintra.[1]

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou-se no Rio de Janeiro a 14 de Janeiro/Junho/Novembro de 1851 com Carolina Maria Bregaro (Rio de Janeiro, 14 de Janeiro de 1836 - Lisboa, Santos-o-Velho, 30 de Dezembro de 1915), filha de Manuel Maria Bregaro, natural do Brasil, e de sua mulher Célestine Clémence Amyot, nascida em Paris a 24 de Junho de 1814, com quem teve três filhos:[3][4][5]

  • D. Carolina Maria de Castro Pereira (Berlim, 16 de Agosto de 1854 - Lisboa, 5 de Dezembro de 1878), casada em Lisboa a 24 de Janeiro de 1876 com Pedro Maurício Correia Henriques, 2.º Visconde de Seisal e 2.º Conde de Seisal, de quem foi primeira mulher, com geração
  • Dr. D. Manuel Rodrigo de Castro Pereira (Paris, Saint-Philippe-du-Roule, 1 de Maio de 1858 - Lisboa, 15 de Fevereiro de 1921), Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, 2.º Senhor da Quinta das Murtas, na Freguesia de Santa Maria e São Miguel, Sintra, casado em Lisboa a 18 de Maio de 1885 com Cecília Maria van Zeller (Lisboa, São Paulo, 26 de Dezembro de 1867 / 25 de Dezembro de 1868 - Lisboa, Santos-o-Velho, 21 de Janeiro de 1959), filha de Eduardo van Zeller (Porto, Vitória, 29 de Novembro de 1819 - Sintra, Santa Maria e São Miguel, 5 de Agosto de 1889) e de sua mulher Isabel Eugénia Cairns (c. 1820 - 17 de Novembro de 1902), de quem teve doze filhos e filhas, uma delas mãe de Francisco José Pereira Pinto Balsemão
  • D. Maria Germana de Castro Pereira (Hamburgo, 19 de Junho de 1860 - Sintra, 5 de Novembro de 1954), Dama Camarista da Rainha D. Amélia de Orleães, casada em Lisboa a 28 de Abril de 1884 com seu cunhado Pedro Maurício Correia Henriques, 2.º Visconde de Seisal e 2.º Conde de Seisal, de quem foi segunda mulher, com geração extinta

Teve um filho natural:

  • D. Pedro Rodrigues Pereira (Lisboa, 1844 - San Juan, 1866), solteiro e sem geração

Ascendência[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e "Anuário da Nobreza de Portugal - 1985", Direção de Manuel de Mello Corrêa, Instituto Português de Heráldica, 1.ª Edição, Lisboa, 1985, Tomo II, p. 535
  2. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zuquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Primeiro, p. 749
  3. a b c d e "Costados", D. Gonçalo de Mesquita da Silveira de Vasconcelos e Sousa, Livraria Esquina, 1.ª Edição, Porto, 1997, N.º 85
  4. "Anuário da Nobreza de Portugal - 1985", Direção de Manuel de Mello Corrêa, Instituto Português de Heráldica, 1.ª Edição, Lisboa, 1985, Tomo I, pp. 535, 536 e 539
  5. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zuquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Terceiro, p. 749