Rota da Seda: Corredor Chang'an-Tianshan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Rota da Seda: a Rede de Rotas do Corredor Chang'an-Tianshan *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Silk route copy.jpg
A Rota da Seda estendendo-se da Europa à Ásia
País  China
Cazaquistão
 Quirguistão
Tipo Cultural
Critérios ii, iii, v, vi
Referência 1442
Região** Ásia
Coordenadas 34° 18' 16" N 108° 51' 26" E
Histórico de inscrição
Inscrição 2014  (38ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

A Rota da Seda: Corredor Chang'an-Tianshan são seções da antiga Rota da Seda bem como locais próximos à rota (num total de 33), que foram designados pela UNESCO como Patrimônio Mundial. Este corredor passa por três países: China, Cazaquistão e Quirguistão. A própria UNESCO acredita que novos locais devam ser inseridos em anos seguintes.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1988, a UNESCO iniciou um estudo sobre a Rota da Seda a fim de entender a difusão cultural através da Eurásia e proteger seu patrimônio cultural.[1] Em agosto de 2006 a UNESCO e a Administração do Patrimônio Cultural da China co-patrocinaram uma conferência em Turpan, Xinjiang a fim de coordenar a indicação da Rota da Seda como Patrimônio Mundial[1] Nesta conferência, a China e cinco repúblicas centro-asiáticas, Cazaquistão, Quirguistão, Tajiquistão e Turcomenistão concordaram em se unir à indicação em 2010.[1] Os seis países formaram um comitê coordenado em 2009 a fim de preparar-se para tal indicação.[1]

Em 28 de março de 2008, a China submeteu uma lista de 48 locais da Rota da Seda para apreciação da UNESCO, como patrimônio cultural. Estes locais foram divididos em terrestres: Henan, Shaanxi, Qinghai, Província de Gansu , Região autônoma de Ningxia Hui e marítimos: Ningbo, Província de Zhejiang, Quanzhou e Província de Fujian.[2] Em 2 de maio de 2008, o Irã submeteu uma indicação à Rota da Seda da Província de Khorasan. Em 3 de janeiro de 2010 o Turcomenistão enviou uma lista de 29 locais ao longo de 11 segmentos da Rota da Seda.[3] Em 20 de janeiro de 2010 a Índia enviou uma lista dividida em 12 componentes.[4] Em 19 de fevereiro de 2010 o Quirguistão submeteu uma lista de seis locais e o Uzbequistão, outra lista com 18.[5][6] Kazakhstan's tentative list was submitted on May 3, 2012.[7]

No final de 2001, a UNESCO propôs que, devido à enormidade do projeto Rota da Seda que a indicação seria dividida em corredores.[1] Em dezembro de 2001 a CHina, Cazaquistão e Quirguistão concordaram em se juntar para a formação de um corredor, da China central através do Desfiladeiro de Tianshan e cada país nomeou um oficial, um arqueólogo e um comitê nacional. Tajiquistão, Uzbequistão e Turcomenistão se prepararam para indicar outro corredor.[1] Em 2013 a indicação do Corredor Chang'an-Tianshan foi finalizada e oficialmente submetida pelo Quirguistão.[1] A lista contem 22 locais na CHina, 8 no Cazaquistão e 3 no Quirguistão. Cada país-membro da UNESCO pode submeter uma indicação por ano e a China submeteu a indicação do Grande Canal da China.[1] Os locais originais propostos pela China foram substancialmente revisados.[1] Locais em Ningxia Hui e relacionados à rota marítima foram removidos.[8] Os organizadores chineses disseram que muitos locais mantidos fora da indicação poderão ser submetidos no futuro.[1]

Em 22 de junho de 2014, no 38° encontro anual do Comitê, em Doha, Qatar, o Corredor Chang'an-Tianshan foi aprovado.[1]

Corredor Chang'an-Tianshan[editar | editar código-fonte]

A Rota da Seda: Corredor Chang'an-Tianshan, que foi aprovada pela UNESCO, consiste de 33 locais na China, Cazaquistão e Quirguistão. Os locais incluem cidades, complexos de palácios de vários impérios e reinos, locais de assentamento, cavernas-templos budistas, trilhas antigas, postos de correio, passagens por entre montanhas, partes da Grande Muralha da China, fortificações, tumbas e construções religiosas.[9]

Os locais são divididos em quatro regiões ao longo da Rota, a fimd e facilitar a sua inscrição: [10][11]

1. China Central - capitais imperiais antigas no Planalto Central da China e na Planície de Guanzhong.

2. Corredor Hexi na Província de Gansu.

3. Norte e Sul das Montanhas Tianshan em Xinjiang Uyghur

4. Região de Zhetysu dos Vales Ili e Talas do Cazaquistão e do Vale Chuy do Quirguistão

  • Kayalyk, Província de Almaty, Cazaquistão
  • Karamergen, Província de Almaty, Cazaquistão
  • Talgar, Província de Almaty, Cazaquistão
  • Aktobe, Província de Jambyl, Cazaquistão
  • Kulan, Província de Jambyl, Cazaquistão
  • Akyrtas, Província de Jambyl, Cazaquistão
  • Ornek, Província de Jambyl, Cazaquistão
  • Kostobe, Província de Jambyl, Cazaquistão
  • Suyab, Província de Chuy, Quirguistão
  • Cidade de Balasagun, Província de Chuy, Quirguistão
  • Cidade de Nevaket, Província de Chuy, Quirguistão

UNESCO[editar | editar código-fonte]

As Rotas da Seda foram incluídas na lista de patrimônio Mundial da UNESCO por "ligar múltiplas civilizações e facilitar o intercâmbio de atividades no comércio, religião, ciência, inovações tecnológicas, práticas culturais e artes"[13]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]