Seleção Brasileira de Voleibol Sentado Masculino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Seleção Brasileira de Voleibol Sentado Masculino

Flag of Brazil.svg

Associação Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes[1]
Confederação ParaVolley PanAmerica[2]
Patrocinador EcoRodovias[3]
Técnico Fernando Guimarães[4]
Capitão Levi Gomes[5]
Código World ParaVolley BRA
Ranking do World ParaVolley Estável 4708 pontos (em 28 de setembro de 2016)[6]
Seleção Brasileira de Voleibol Sentado Masculino
Informações pessoais
Medalhas
Campeonatos Mundiais
Prata Polônia 2014 Equipe
Jogos Parapan-Americanos
Ouro Rio de Janeiro 2007 Equipe
Ouro Guadalajara 2011 Equipe
Ouro Toronto 2015 Equipe
Prata Mar del Plata 2003 Equipe
Jogos Parapan-Americanos de Jovens
Bronze São Paulo 2017 Equipe

Seleção brasileira de voleibol sentado masculino é a seleção nacional de voleibol sentado adulta profissional brasileira, organizada e gerenciada pela Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes (CBVD). A estreia da seleção em competições internacionais foi nos Jogos Parapan-Americanos de 2003, realizados em Mar del Plata, na Argentina.[1] Os principais resultados em âmbito internacional são o vice campeonato mundial, em 2014,[7] e o tricampeonato nos Jogos Parapan-Americanos, em 2007,[8] 2011[9] e 2015.[10] Atualmente ocupa o segundo lugar geral do Ranking do World ParaVolley.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Seleção brasileira durante partida contra o Canadá nos Jogos Parapan-Americanos do Rio.

O vôlei sentado surgiu em 1956 e debutou nos Jogos Paraolímpicos na sexta edição do evento, realizada em 1980, em Arnhem, nos Países Baixos.[1][11] Apenas em 2002 a modalidade passou a ser praticada no Brasil, através de um torneio organizado pelo professor Ronaldo Gonçalves de Oliveira, disputado em Mogi das Cruzes.[1] Em 7 de abril de 2003, a Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes foi fundada e no mesmo ano a seleção brasileira foi formada, fazendo a estreia em campeonatos internacionais nos Jogos Parapan-Americanos de 2003, obtendo a medalha de prata.[1]

Nos jogos seguintes, a equipe brasileira surpreendeu o time americano, considerado favorito.[8] Após perder a partida da fase inicial por 3 sets a 0, o Brasil venceu a final por 3 a 2, conquistando uma inédita medalha de ouro, no Rio de Janeiro.[8] O título classificou o conjunto brasileiro para os Jogos Paralímpicos de 2008. Na primeira participação em Paraolimpíadas, a seleção brasileira terminou na sexta posição, com duas vitórias (sobre Japão e Iraque) e três derrotas (Egito, Irã e China).[12]

Em 2011, no Parapan de Guadalajara, a equipe brasileira estreou com derrota para os Estados Unidos por 3 sets a 2.[13] Enfrentando o conjunto americano novamente, na final, o time brasileiro venceu por 3 a 1, obtendo o bicampeonato parapan e a vaga nos Jogos Paralímpicos de Londres.[9] Nas Paraolimpíadas, o Brasil venceu duas partidas e perdeu duas na fase classificatória.[14] Vencida pela Rússia por 3 a 2 nas quartas de final, a equipe brasileira superou o Reino Unido e em seguida o Egito, para assegurar a quinta colocação, melhorando o resultado alcançado em Pequim 2008.[14]

Jogo entre Brasil e Egito nas Paraolimpíadas do Rio.

No Campeonato Mundial de 2014, o conjunto brasileiro avançou pela primeira vez a semifinal, após derrotar a Polônia nas oitavas de final e a Rússia nas quartas de final.[7] Com uma vitória sobre o Irã por 3 a 2, o time brasileiro classificou-se para a final, na qual perdeu para a Bósnia e Herzegovina por 3 a 1.[7] No ano posterior, em Toronto, o Brasil conquistou o tricampeonato nos Jogos Parapan-Americanos, perdendo apenas um set em toda a competição.[15] Considerada a favorita para vencer o torneio, a seleção brasileira derrotou a americana por 3 a 1 na primeira fase e por 3 a 0 na final.[15]

Nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, a equipe brasileira chegou pela primeira vez a semifinal após vencer os Estados Unidos,[16] perder para o Egito[17] e ganhar da Alemanha na fase inicial.[18] Derrotado na semi pelo Irã por 3 a 0,[19][20] o conjunto brasileiro foi novamente superado pelo Egito por 3 a 2 na disputa da medalha de bronze.[21] Apesar da derrota, o quarto lugar é o melhor resultado do Brasil nas Paraolimpíadas.[21]

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

O vôlei sentado estreou nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens na quarta edição do evento, realizada em 2017, em São Paulo.[22][23] Para o campeonato no Parapan de Jovens, o esporte foi adaptado e disputado com equipes de três jogadores,[22] com idade entre 14 e 20 anos.[24] A seleção brasileira conquistou a medalha de bronze ao vencer a República Dominicana por 3 sets a 0 na disputa do terceiro lugar.[25]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e «Institucional». CBVD. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  2. «Member Nations». Worldparavolley.org (em inglês). Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  3. «Patrocinador». CBVD. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  4. «Irmão de Zé Roberto quer manter tradição da família pelo vôlei do Parapan». IG. 11 de agosto de 2015. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  5. «Vice-campeão da Superliga é capitão pelo vôlei sentado e agora quer ouro». IG. 12 de agosto de 2015. Consultado em 19 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  6. a b «Sitting Volleyball». Worldparavolley.org (em inglês). 28 de setembro de 2016. Consultado em 30 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2016 
  7. a b c «Treinado pelo irmão de José Roberto, Brasil é 2º no Mundial de vôlei sentado». globoesporte.com. Grupo Globo. 22 de junho de 2014. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  8. a b c «Brasil vence EUA e leva o ouro». globoesporte.com. Grupo Globo. 19 de agosto de 2007. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  9. a b Rebello, Helena (19 de novembro de 2011). «No vôlei sentado, Brasil vira sobre os EUA, é bi e se garante em Londres». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  10. Rebello, Helena (14 de agosto de 2015). «Seleção recebe apoio da família, bate EUA e leva o tri no vôlei sentado». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  11. «Sitting Volleyball». Worldparavolley.org (em inglês). Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  12. «Brasil perde e fica em sexto no vôlei sentado». Terra. 13 de setembro de 2008. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  13. «Brasil perde para os EUA na estreia do vôlei masculino no Parapan». Terra. 14 de novembro de 2011. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  14. a b «Brasileiros vencem Egito e garantem 5º lugar no vôlei sentado». Terra. 8 de setembro de 2012. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  15. a b «Com ouro no masculino e prata no feminino, Brasil conquista resultado histórico no vôlei sentado». CPB. 14 de agosto de 2015. Consultado em 17 de agosto de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2015 
  16. «Vôlei sentado masculino do Brasil estreia com vitória sobre os EUA na Paralimpíada». Gazeta Press. ESPN. 9 de setembro de 2016. Consultado em 30 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2016 
  17. «Brasil perde para o Egito no vôlei sentado e agora tem de vencer a Alemanha». Agência Brasil. IG. 11 de setembro de 2016. Consultado em 30 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2016 
  18. «Brasil bate Alemanha e vai à semi inédita do vôlei sentado». Gazeta Esportiva. Terra. 13 de setembro de 2016. Consultado em 30 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2016 
  19. Guerra, Marcos (16 de setembro de 2016). «Iraniano de 2,46m faz a diferença, e Brasil cai na semifinal do vôlei sentado». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 30 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2016 
  20. Richard, Ivan; Fábio Massalli (16 de setembro de 2016). «Seleção brasileira masculina de voleibol sentado perde para Irã e disputa bronze». Agência Brasil. Consultado em 30 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2016 
  21. a b Guerra, Marcos (18 de setembro de 2016). «Em jogo de reviravoltas, Egito supera Brasil e leva o bronze no vôlei sentado». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 30 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2016 
  22. a b «Brasil abre campanha do vôlei sentado feminino com vitória sobre Venezuela». Saopaulo2017.com. Consultado em 17 de abril de 2017. Cópia arquivada em 17 de abril de 2017 
  23. Dilascio, Flávio (23 de março de 2017). «Sangue alvinegro: jovem que emocionou a Fiel tenta a sorte no vôlei paralímpico». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 17 de abril de 2017. Cópia arquivada em 17 de abril de 2017 
  24. «Vôlei sentado». Saopaulo2017.com. Consultado em 17 de abril de 2017. Cópia arquivada em 17 de abril de 2017 
  25. «Brasil bate os EUA no vôlei sentado feminino e fica com o ouro». Saopaulo2017.com. Consultado em 17 de abril de 2017. Cópia arquivada em 17 de abril de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]