Seleção Brasileira de Basquetebol Feminino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brasil
Basquetebol Basketball pictogram.svg
Bandeira
Informações gerais
Federação Confederação Brasileira de Basketball
Treinador [[]]
Capitão [[]]
Jogos Olímpicos
Participações 7 (Primeira em 1992)
Melhor 2º lugar em (1996)
Última fase de grupos (2016)
Campeonato Mundial
Participações 15 (Primeira em 1953)
Melhor Campeã em (1994)
Última 11º lugar (2014)
[[ |]]
Participações 9 (Primeira em 1989)
Melhor (5 vezes)
Última (2013)
Kit body brasilbk16h.png
1º uniforme jersey
Kit shorts brasilbk16h.png
Team colours
1º uniforme
Kit body brasilbk16t.png
2º uniforme jersey
Kit shorts brasilbk16t.png
Team colours
2º uniforme


A Seleção Brasileira de Basquetebol Feminino é a equipe oficial de que representa o Brasil nas principais competições e torneios internacionais.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro resultado de destaque mundial aconteceu em 1971 no Mundial, realizado no Brasil, as brasileiras conquistaram a medalha de bronze ao fazer a terceira melhor campanha na fase final atrás de Tchecoslováquia (medalha de prata) e União Soviética (medalha de ouro).

Em Barcelona 1992, o basquete feminino do Brasil participou de sua primeira Olimpíada ficando em 7º lugar, desde então as brasileiras estiveram presentes em todos os Jogos Olímpicos seguintes.

Em 1994, no Mundial da Austrália, o Brasil treinado por Miguel Ângelo da Luz, tinha em seu time jogadoras com Janeth, Alessandra, Paula e Hortência e conquistou o primeiro (e até hoje o único) título mundial da modalidade, as vitórias sobre os Estados Unidos por 110 a 107 na semifinal e sobre a China por 96 a 87 na decisão valeram a medalha de ouro para o Brasil.

Em Atlanta 1996, o Brasil então campeão mundial chegou de forma invicta a grande final e teve como adversária na disputa pela medalha de ouro a seleção dos Estados Unidos que também chegou invicta a final. As norte-americanas venceram o jogo pelo placar de 111 a 87 e o Brasil conquistou a medalha de prata, a primeira medalha olímpica do Brasil no basquete feminino.

Em 1998, no Mundial realizado na Alemanha, as brasileiras tentaram defender o título conquistado em 1994 na Austrália, chegaram perto mas foram superadas pelos Estados Unidos por 93 a 79 na semifinal e na disputa pela medalha de bronze perderam para a Austrália por 72 a 67 e terminaram em quarto lugar.

Em Sydney 2000, as brasileiras fizeram uma campanha regular na fase de grupos, na semifinal perderam para a Austrália na semifinal por 64 a 52, mas garantiram um lugar no pódio ao derrotar a Coreia do Sul por 84 a 73 e conquistaram a medalha de bronze.

Em 2002, no Mundial realizado na China, as brasileiras fizeram uma boa campanha na primeira e na segunda fase perdendo apenas um dos seis jogos disputados, mas foram derrotadas pela Coreia do Sul nas quartas de final por 71 a 70 terminando em sétimo lugar. O Campeonato Mundial de 2002 foi o único grande torneio internacional em que o Brasil não figurou entre as quatro primeiras colocadas no período entre 1994 até 2006.

Em Atenas 2004, as brasileiras mais uma vez estiveram entre as quatro melhores seleções olímpicas, mas desta vez não conseguiu subir ao pódio: as derrotas para a Austrália por 88 a 75 na semifinal e para a Rússia por 71 a 62 na disputa pela medalha de bronze deixaram o Brasil na quarta colocação.

Em 2006, no Mundial disputado no Brasil, embora tenham feito uma campanha regular, as brasileiras mais uma vez chegaram no seleto grupo das quatro melhores seleções do mundo, o Brasil perdeu na semifinal para a Austrália por 88 a 76 e perdeu a disputa pela medalha de bronze para os Estados Unidos por 99 a 59, finalizando em quarto lugar, sendo este o mais recente resultado de destaque em competições a nível mundial até então.

Em Pequim 2008, o Brasil venceu apenas um jogo na fase de grupos, não conseguiu avançar à fase de quartas de final e terminou em 11º lugar.

Nos Mundiais de 2010 e de 2014, mesmo tendo avançado para a segunda fase, as brasileiras não conseguiram ficar entre as oito melhores seleções do mundo terminando respectivamente em 9º e 11º lugar.

Em Londres 2012, o Brasil fez a mesma campanha de 2008: venceu apenas uma das cinco partidas disputadas na fase de grupos e terminou em 9º lugar.

Em 2016, o Brasil participou de sua sétima Olimpíada. A exemplo de 2008 e 2012 foi eliminada ainda na primeira fase, mas desta vez sem conquistar nenhuma vitória.

Não participará do Campeonato Mundial em 2018 na Espanha por terminar a Copa América Feminina de 2017 em quarto lugar, sendo a segunda vez na história que o Brasil ficará de fora do Mundial Feminino de Basquete.

Conquistou três medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos, três títulos da Copa América Feminina, duas vezes campeã do Torneio Pré-Olímpico das Américas e é a maior vencedora do Campeonato Sul-Americano com 25 títulos conquistados.

Categorias de Base[editar | editar código-fonte]

O Brasil teve uma campanha de destaque entre as seleções de base: Em 2011 no Campeonato Mundial realizado no Chile, a Seleção Brasileira Feminina Sub-19 chegou a fase semifinal perdeu para os Estados Unidos por 82 a 66, na disputa pelo terceiro lugar derrotou a Austrália por 70 a 67 e conquistou a medalha de bronze.

Principais Títulos e Classificações[editar | editar código-fonte]

  • Prata: 1996.
  • Bronze: 2000.
  • Ouro: Austrália 1994.
  • Bronze: Brasil 1971.
  • Ouro: 1967, 1971 e 1991.
  • Prata: 1959, 1963, 1987 e 2007.
  • Bronze: 1955, 1983, 2003 e 2011.
  • Ouro: 1954, 1958, 1965, 1967, 1968, 1970, 1972, 1974, 1978, 1981, 1986, 1989, 1991, 1993, 1995, 1997, 1999, 2001, 2003, 2005, 2006, 2008, 2010, 2013, 2014 e 2016.
  • Prata: 1946, 1952, 1960, 1977 e 1984.
  • Bronze: 1956 e 1962.
  • Ouro: 1997, 2001, 2003*, 2009, e 2011*
  • Prata: 1989, 1993, 1999 e 2005
  • Bronze: 1992*, 2007* e 2013

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira Feminina de Basquetebol
Jogadoras Comissão Técnica
Pos. Núm. Nome Idade - Data de Nasc. Altura Clube País
Arm.
4
Adrianinha 37 - 6 de dezembro de 1978 1,65 m
UNINASSAU/América de Recife
Brasil
Arm.
5
Tainá 24 - 29 de novembro de 1991 1,71 m
UNINASSAU/América de Recife
Brasil
Ala
6
Joice 23 - 1 de abril de 1993 1,81 m
Corinthians/Americana
Brasil
Ala
7
Palmira 32 - 20 de maio de 1984 1,78 m
Sampaio Basquete
Brasil
Arm.
8
Izi 34 - 13 de março de 1982 1,81 m
Sampaio Basquete
Brasil
Ala
9
Isabela 22 - 23 de janeiro de 1994 1,79 m
São José/Colinas Shopping
Brasil
Ala
10
Tatiane 25 - 16 de outubro de 1990 1,80 m
UNINASSAU/América de Recife
Brasil
Pivô
11
Clarissa 28 - 10 de março de 1988 1,84 m
Chicago Sky
Estados Unidos
Pivô
12
Damiris 23 - 17 de novembro de 1992 1,90 m
Corinthians/Americana
Brasil
Pivô
13
Nádia 27 - 25 de fevereiro de 1989 1,92 m
Sampaio Basquete
Brasil
Pivô
14
Érika 34 - 9 de março de 1982 1,97 m
Chicago Sky
Estados Unidos
Ala
15
Kelly 36 - 10 de novembro de 1979 1,93 m
UNINASSAU/América de Recife
Brasil
Diretor Técnico
Assistente Técnico

Legenda
  • Clube – último clube
    antes da competição
  • Idade – em 11/08/2016


Maiores cestinhas[editar | editar código-fonte]

No. Nome Posição Período Pontos Jogos Média
1 Hortência Ala 1976-96 3.160 127 24,9
2 Paula Armadora 1976-98 2.537 150 16,9
3 Janeth Ala 1987-07 2.247 138 16,3
4 Helen Ala/armadora 1991-10 1.407 137 10,3
5 Marta Pivô 1980-00 1.404 105 13,4
6 Alessandra Pivô 1993-10 1.384 116 11,9

Obs.: Para efeito de estatísticas a Confederação Brasileira de Basquetebol considera apenas jogos oficiais, i.e., jogos válidos pelos seguintes torneios: Campeonato Mundial, Jogos Olímpicos, Jogos Pan-Americanos, Torneio Pré-Olímpico, Copa América e Campeonato Sul-Americano.

Jogadoras notáveis[editar | editar código-fonte]

Em negrito as jogadoras que ainda estão em atividade.

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

Links externos[editar | editar código-fonte]