Seventh Star

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Seventh Star
Álbum de estúdio de Black Sabbath
Lançamento 28 de janeiro de 1986
Gravação "Cheshire Sound Studios", Atlanta, Estados Unidos, 1985
Gênero(s) Heavy metal, hard rock, blues-rock
Duração 34:46
Gravadora(s) Vertigo Reino Unido
CASS Estados Unidos
Castle
Sanctuary
Produção Jeff Glixman
Cronologia de Black Sabbath
Born Again
(1983)
The Eternal Idol
(1987)
Singles de Seventh Star
  1. "No Stranger to Love"
    Lançamento: 1986

Seventh Star é o décimo segundo álbum de estúdio da banda britânica Black Sabbath, lançado em janeiro de 1986. Foi o primeiro lançamento do grupo sem o baixista Geezer Butler, que havia saído em 1984 após o fim da turnê Born Again. Originalmente, Seventh Star foi composto e gravado para ser o primeiro disco solo de Tony Iommi, como evidenciado pela experimentações musicais apresentadas. Contudo, devido à pressão feita pela  Warner Bros. Records e pelo manager da banda, Don Arden, o álbum acabou sendo publicado como Black Sabbath featuring Tony Iommi. Versões posteriores foram publicadas simplesmente como Black Sabbath.

O lançamento veio em um período difícil da banda, já que eles haviam finalizado uma turnê conturbada, após um ano de inúmeras mudanças de integrantes. Tony Iommi, que era o guitarrista, compositor e único membro original que havia restado, chamou Geoff NichollsEric Singer, Dave Spitz e Glenn Hughes para gravar o disco. Musicalmente, Seventh Star é mais eclético e segue um estilo de hard rock mais puro, afastando-se do heavy metal tradicional do grupo. Adicionalmente, foi o primeiro álbum do Black Sabbath como quinteto, já que Geoff Nicholls havia sido confirmado como membro oficial no ano anterior.

Apesar dos problemas envolvidos em sua produção, Seventh Star obteve considerável sucesso comercial, chegando ao 27º lugar nas paradas musicais do Reino Unido e 78º lugar na Billboard 200.

Concepção e produção[editar | editar código-fonte]

Após a turnê de divulgação do álbum Born Again (1983-1984), a banda passou por diversas mudanças na formação: saíram o baixista Geezer Butler e o baterista Bill Ward, ambos membros originais, e também o cantor Ian Gillan, que foi a para a reunião do Deep Purple. Entre 1984 e 1985, passaram brevemente pelo grupo os vocalistas Ron Keel, Jeff Fenholt e David Donato. Após tanta instabilidade, a banda pausou as atividades por alguns meses.

Com a inatividade da banda, Iommi decide lançar um álbum solo. Enquanto Iommi trabalhava no projeto, já na fase da gravação das demos ele chama Eric Singer e Gordon Copley, respectivamente o baterista e o baixista da banda da sua namorada Lita Ford. Como eles precisavam de um vocalista, o escolhido foi Glenn Hughes, ex-baixista e vocalista do Deep Purple. Copley gravou "No Stranger To Love" e foi substituído por Dave Spitz, que gravou o restante das canções.

Embora Iommi quisesse lançar o álbum como artista solo, a gravadora Warner Bros pressionou para que ele lance o álbum o nome Black Sabbath para que, assim, pudesse chamar mais a atenção do público e vender mais cópias. Desse modo, Iommi adquiriu os direitos do Sabbath e lançou o álbum com o nome da banda. Por causa disso, há uma perceptível e intencional mudança sonora neste álbum, em contraste com o conhecido estilo do Sabbath. O disco, como um todo, tem uma sonoridade bem hard rock, enquanto algumas partes tem influências de blues. Seventh Star foi o primeiro álbum a contar com o tecladista de longa data Geoff Nicholls como membro oficial.

O single promocional e o videoclipe de "No Stranger to Love" tem harmonias vocais adicionais de Glenn Hughes, adicionadas para dar um tom mais "comercial". A atriz Denise Crosby, que fez Tasha Yar em Star Trek: The Next Generation, faz uma participação no videoclipe.

Hughes participou apenas dos cinco primeiros shows da turnê de divulgação, sendo logo demitido por causa de seu vício de drogas. Ele substituído por Ray Gillen, que completou as partes americana e europeia da tour, apesar de várias apresentações nos EUA terem sido canceladas. W.A.S.P. e Anthrax foram as bandas de abertura nos shows norte-americanos.

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
allmusic 3 de 5 estrelas. [1]
Symbol unlikely.svg Esta tabela precisa de ser acompanhada por texto em prosa. Consulte o guia.

Lista de canções[editar | editar código-fonte]

Músicas compostas por Tony Iommi. Letras escritas por Tony Iommi, Glenn Hughes, Geoff Nicholls e Jeff Glixman.

N.º Título Duração
1. "In for the Kill"   3:40
2. "No Stranger to Love"   4:28
3. "Turn to Stone"   3:28
4. "Sphinx (The Guardian)"   1:11
5. "Seventh Star"   5:20
6. "Danger Zone"   4:23
7. "Heart Like a Wheel"   6:35
8. "Angry Heart"   3:06
9. "In Memory..."   2:35

Versão de luxo 2010 - Disco 2[editar | editar código-fonte]

Gravado no Hammersmith Odeon em Londres em 2 de junho de 1986, com Ray Gillen nos vocais.

  1. "The Mob Rules"
  2. "Danger Zone"
  3. "War Pigs"
  4. "Seventh Star"
  5. "Die Young"
  6. "Black Sabbath"
  7. "N.I.B."
  8. "Neon Knights"
  9. "Paranoid"

Créditos[editar | editar código-fonte]

Catálogos[editar | editar código-fonte]

  • CASS Warner Bros 4-25337 (US 1986)
  • LP Vertigo VERH 29 (UK 1986)
  • LP Vertigo 826 704-1 (NL 1986)
  • MC Vertigo VERHC 29 (UK 1986)
  • MC Vertigo 826 704-4 (1986)
  • CD Vertigo 826 704-2 (UK 1986)
  • CD Essential/Castle ESMCD335 (UK 1996) - Remasterizado
  • CD Sanctuary SMRCD076 (UK 2004)

Desempenho nas paradas[editar | editar código-fonte]

Ano Posições
UK
[2]
NOR
[3]
SWE
[4]
US
[5]
FIN
GER
AUS
1986 27 17 11 78 12 51 88

Referências

  1. Avaliação no allmusic
  2. «UK Music charts». EveryHit.com. Consultado em 14 de fevereiro de 2008 
  3. «Discography Black Sabbath» (em Norwegian). VG-lista. Consultado em 14 de fevereiro de 2008 
  4. «Discography Black Sabbath» (em Swedish). VG-lista. Consultado em 14 de fevereiro de 2008 
  5. «Billboard charts». Billboard. Consultado em 14 de fevereiro de 2008