Lita Ford

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lita Ford
Ford em um show em 1988 no "Olympiahalle" de Munique, na Alemanha.
Informação geral
Nome completo Lita Rosanna Ford
Nascimento 19 de setembro de 1958 (58 anos)
Local de nascimento
País  Reino Unido
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Instrumento(s)
Período em atividade
  • 1975—1995
  • 2008—presente
Gravadora(s)
Afiliação(ões)

Lita Rossanna Ford (Londres, 19 de setembro de 1958), é uma musicista, guitarrista e atriz inglesa, que alcançou popularidade na década de 1980.

Lita nasceu em Londres mas tem ascendência italiana. Ela se mudou com a família para os Estados Unidos ainda criança. Lita juntou-se à banda feminina The Runaways aos 16 anos de idade, e após o término do grupo em 1979 iniciou carreira solo. Seus dois primeiros álbuns tiveram um sucesso bastante discreto.

Em 1985 Lita foi indicada para o Grammy de "melhor performance feminina de rock" em Gotta Let Go, junto com Wendy O. Williams e Pia Zadora. Em 1988, com Sharon Osbourne como empresária, Lita alcançou seus maiores sucessos, Close My Eyes Forever (dueto com Ozzy Osbourne, marido de Sharon) e Kiss Me Deadly.

Lita foi casada com Chris Holmes (da banda W.A.S.P.) de 1986 a 1992 e esteve envolvida com Nikki Sixx (do Mötley Crüe) e Tony Iommi. Atualmente, ela é separada de Jim Gillette (da banda Nitro).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Lita Ford nasceu para um pai inglês e uma mãe italiana em Londres, Inglaterra. Quando ela estava no segundo grau, ela se mudou com sua família para os Estados Unidos, eventualmente estabelecendo-se em Long Beach, Califórnia.[1][2]

Inspirada pelo trabalho de Ritchie Blackmore no Deep Purple, ela começou a tocar violão aos 11 anos. Sua faixa vocal é mezzo-soprano.[3]

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

The Runaways (1975-1979)[editar | editar código-fonte]

Em 1975, aos 16 anos, Ford foi colocada pelo empresário Kim Fowley na banda de rock feminino que ele estava montando chamada The Runaways. A banda logo conseguiu um contrato de gravação e lançou seu primeiro álbum em 1976.[4] The Runaways obteve uma atenção significativa da mídia e a banda tornou-se um sucesso de gravação e turnê durante o auge do final dos anos 1970. A guitarra marcante de Ford tornou-se um elemento principal do som da banda até sua eventual separação em abril de 1979.

Em 1977, os conflitos internos estavam entrando se tornando constate dentro do The Runaways, que já havia atingido o produtor Fowley, a vocalista principal Cherie Currie e a baixista Jackie Fox. A vocalista e guitarrista Joan Jett queria que a banda mudasse para um som mais punk rock influenciada pelos Ramones, enquanto a Ford e a baterista Sandy West, queriam continuar a tocar as músicas de hard rock que a banda já tocava.[5] Sem nenhuma parte disposta ceder, a banda veio a terminar em abril de 1979.[5]

Carreira em solo (1980-1995)[editar | editar código-fonte]

Após a dissolução do The Runaways, Ford começou a lançar uma carreira solo. Seu álbum solo de estreia, intitulado Out for Blood, foi lançado em 1983 e foi um desapontamento comercial. Seu próximo lançamento, Dancin' on the Edge (1984) alcançou um sucesso moderado e a popularidade de Ford começou a aumentar. Dancin' on the Edge incluiu o single "Fire in My Heart", que atingiu o Top 10 em vários países fora dos Estados Unidos. O single de acompanhamento, "Gotta Let Go", melhorou, alcançando o número um nas tabelas da Mainstream Rock. Ford disse em uma entrevista que ela gravou um álbum inédito com a RCA Records e Tony Iommi não tocou nele.[1]

Ford assinou com a RCA Records e com a Sharon Osbourne Management, reapareceu com um som pop-metal mais amigável com o tocado nas rádios. Em 1988, ela lançou seu álbum mais comercialmente bem-sucedido, o Lita produzido a si própria. O álbum apresentou vários singles, incluindo "Kiss Me Deadly", "Back to the Cave", "Close My Eyes Forever" e "Falling In and Out of Love", uma música co-escrita por Nikki Sixx do Mötley Crüe. A balada "Close My Eyes Forever", um dueto com Ozzy Osbourne, continua sendo sua canção mais bem sucedida, alcançando o número 8, no Billboard Hot 100 dos EUA.

Ford seguiu o sucesso de Lita com o álbum Stiletto (1990). Stiletto apresentou os singles "Hungry" e "Lisa" (uma música dedicada a sua mãe). No entanto, o álbum não conseguiu igualar o sucesso de sua versão anterior. O próximo lançamento de Ford foi Dangerous Curves (1991), que contou com a sua última posição nas paradas até hoje, "Shot of Poison". O último álbum de Ford antes de um longo hiato de gravação foi Black lançada pela gravadora alemã ZYX Records.

Hiato (1996-2007)[editar | editar código-fonte]

Ford tocando em 27 de junho de 2009.

Em meados da década de 1990, a Ford colocou uma prioridade reduzida em sua carreira musical, quando voltou sua atenção para criar seus dois jovens filhos. Após o lançamento de Black em 1995, Ford não lançou material novo, até o álbum Wicked Wonderland quase quinze anos depois.

Retorno aos palcos (2008-presente)[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2008, Ford ressurgiu com uma nova banda com Stet Howland (WASP) na bateria, tocando vários shows de aqucimento sob o apelido Kiss Me Deadly, antes do Rocklahoma na área de Nova York.[6] Em junho de 2009, ela percorreu os Estados Unidos e a Europa com uma nova formação em seus últimos 14 shows, composto pelo ex-guitarrista do Guns N' Roses, Ron "Bumblefoot" Thal, pelo baterista Dennis Leeflang e pelo baixista do Deepfield, PJ Farley.[7][8]

Após um longo hiato de gravação, Ford lançou o novo álbum Wicked Wonderland em 6 de outubro de 2009, pela gravadora JLRG Entertainment.[9] Em uma entrevista para o ExclusiveMagazine.com, Ford falou sobre seu novo material: "Eu só queria chutar a bunda! Eu não sei o que é popular, ou o sabor do dia. Eu só quero que a música arrase! As letras são muito pessoais e é isso. Eu não iria sair com sandálias, ou com axilas peludas!".[10]

Em maio de 2011, Ford prometeu lançar um "álbum de retorno" no final do ano, com a baterista Chuck Spradlin, dizendo que o país das maravilhas. Inspirado em nu metal, foi um projeto coletivo com o seu ex-marido Jim Gillette. "Muitas pessoas me disseram que queriam um verdadeiro álbum da Lita Ford e eu sei o que isso significa e eles terão".[11]

O álbum Living Like a Runaway foi lançado em junho de 2012 pela SPV GmbH. Fiel a sua palavra, o álbum estava muito mais pesado do que o trabalho anterior. O título também é comemorativo, já que a Ford havia resolvido as diferenças com as ex-colegas de banda do Runaways.[12] Em 2013, Lita foi premiada pela revista Guitar Player com o The Certified Guitar Legend Award.[13] Em 2016, a Ford lançou o álbum Time Capsule; Uma coleção de músicas que ela descobriu em antigas fitas analógicas dos anos 80, com gravações com as quais ela havia feito com Billy Sheehan, Gene Simmons, Bruce Kulick, Robin Zander, Rick Nielsen, Dave Navarro, Rodger Carter e Jeff Scott Soto.[14]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em meados dos anos 80, Ford teve um breve envolvimento amoroso com o guitarrista Tony Iommi, do Black Sabbath.[15][16]

Iommi co-produziu o álbum The Bride Wore Black, um álbum que nunca foi lançado. Ford disse em uma entrevista de 1989, para a revista Kerrang!, que "há uma certa relação ruim entre Tony (Iommi) e eu". Ford foi casada com W.A.S.P., O guitarrista Chris Holmes no início dos anos 90, por um curto período de tempo; O casal se divorciou e Ford começou a namorar o ex-vocalista do Nitro, Jim Gillette, em 1994. O casal se casou depois de se conhecer, por apenas duas semanas. Eles têm dois filhos, James e Rocco Gillette. A família mudou-se para Ilhas Turcas e Caicos, onde Gillette administrava um pequeno prédio e negócios de desenvolvimento imobiliário.[17]

Em uma entrevista de rádio em fevereiro de 2011, Ford assumiu que ela e Gillette, estavam se divorciando.[18] A família estava em negociações para um reality show, titulado de The Gillettes: An Extreme American Family no TLC. O iminente divórcio do casal, encerrou os planos para o programa de televisão. Em março de 2011, em entrevista no site Classic Rock Revisited, Ford alegou que ela havia feito uma viagem de negócios a Los Angeles para discutir o reality show com os executivos da TLC e voltou para casa para encontrar seu marido e os filhos.

Ela afirmou que seus filhos a atacaram fisicamente, encorajados por Gillette, após isso, ela decidiu divorcia-se.[19] Em 2013, Ford referiu-se a seu ex-marido como um "louco e descontrolado" e comentou que Gillette havia feito os filhos ficarem contra ela, depois que ela havia feito uma viagem para falar com os executivos da TLC, sobre o iminente acordo do reality show. Ela afirmou que, porque ela tinha assumido o controle das negociações, Gillette transformou os filhos do casal contra ela, alegando que Ford queria prejudica-los.[20] Devido a isso, Ford tornou-se defensora da consciência da alienação parental.

Em 2016 a Ford publicou sua autobiografia "Living Like A Runaway, Memoir" através da Dey Street Books. A Rolling Stone chamou o livro " Fearless. ... Um relato vívido da vida como "o único pontinho de guitarristas que poderia destruir como eu fiz." ... Uma leitura acelerada ... e inspiradora".[21]

Outras atividades[editar | editar código-fonte]

Ford tocando com Patrick Kennison

Durante sua carreira solo, Ford aprovou a fabricante de instrumentos musicais B.C. Rich e exclusivamente usado várias das guitarras da marca. Ford teve um pequeno papel no filme de terror e comédia de 1992, Highway to Hell, interpretando uma personagem chamada "The Hitchhiker". Ford também foi convidada pelo VH1, para se juntar ao elenco da sétima temporada do programa de televisão de realidade The Surreal Life em 2007, Porém ela perdeu.

Ford contribuiu com sua imagem e voz para o jogo de Xbox 360 e PlayStation 3 Brütal Legend. Ela aparece como a personagem Rima, ao lado de Jack Black, Tim Curry, Ozzy Osbourne, Rob Halford e Lemmy Kilmister. Sua música "Betrayal" também é uma das mais de 100 músicas, que aparecem no jogo.

Em 2010, foi produzido um grande filme de Hollywood que narra a carreira da primeira banda de Ford, O The Runaways. Ford foi interpretada pela atriz Scout Taylor-Compton no filme intitulado The Runaways. Ford é destacada no documentário Edgeplay: A Film About the Runaways, de 2005, na qual ela falou francamente sobre seu tempo na banda. Entre outras coisas, ela alude ao abuso verbal e sexual sofrido pelas integrantes da banda nas mãos do empresário Kim Fowley.

Em 2013, Ford reuniu-se com a sua ex-companheira de banda Cherie Currie, para gravar um single de natal.[22] O single é em solidariedade a Toys for Tots, uma instituição de caridade administrada pelo Corpo de Fuzileiras Navais dos EUA, que dá brinquedos nas férias para as crianças necessitadas.

Lita apareceu na capa de maio/junho de 2013 da Making Music Magazine, para falar sobre sua vida e carreira.[23]

Lita competiu no reality show de cozinheiros Chopped, com a esperança de aumentar US $10.000, para sua instituição de caridade.[24] Ford passou pela a primeira rodada, mas foi eliminada na segunda. Lita lançou sua autobiografia Living Like A Runaway em junho de 2016.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Com o The Runaways[editar | editar código-fonte]

Carreira Solo[editar | editar código-fonte]

Álbuns de Estúdio[editar | editar código-fonte]

Ano Detalhes do Álbum Posição nas Paradas Musicais Certificação
UK
[25]
US
[26]
US Indie
[27]
NZ
[28]
SWE
[29]
SWI
[30]
1983 Out for Blood
1984 Dancin' on the Edge
  • Data de lançamento: 1984
  • Gravadora: Mercury Records
96 66
1988 Lita
  • Data de lançamento: Fevereiro de 1988
  • Gravadora: RCA Records
58 29 45
1990 Stiletto 66 52 36 26
1991 Dangerous Curves
  • Data de lançamento: Outubro de 1991
  • Gravadora: Spitfire Records
51 132
1995 Black
  • Data de lançamento: 14 de fevereiro de 1995 (1995-02-14)
  • Gravadora: ZYX Records
2009 Wicked Wonderland
  • Data de lançamento: 6 de outubro de 2009 (2009-10-06)
  • Gravadora: JLRG Entertainment
38
2012 Living Like a Runaway
  • Data de lançamento: 19 de junho de 2012 (2012-06-19)
  • Gravadora: SPV / Steamhammer Records
"—" significa que não entrou nas paradas ou não foi lançado neste país.

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

  • Greatest Hits Live! (2000)

Álbuns Compilatórios[editar | editar código-fonte]

  • The Best of Lita Ford (1992)
  • Greatest Hits (1999)
  • Platinum and Gold Collection - The Best of Lita Ford (2004)

Outras participações[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Single Posição nas Paradas Musicais Certificação
(sales threshold)
Álbum
US
[33]
US Main
[34]
NZ
[35]
UK
[25]
SWE
[36]
1983 "Out for Blood" Out for Blood
"Dressed to Kill" Dancin' on the Edge
1984 "Fire In My Heart"
"Gotta Let Go" 94
1988 "Kiss Me Deadly" 12 40 21 75 Lita
"Back to the Cave" 22
1989 "Close My Eyes Forever" (dueto com Ozzy Osbourne) 8 25 16 47 14
"Falling In and Out of Love" 37
1990 "Hungry" 98 14 76 Stiletto
"Lisa"
1991 "Shot of Poison" 45 21 63 Dangerous Curves
1992 "Playing with Fire"
"Larger Than Life"
1995 "Killin' Kind" Black
2009 "Crave" Wicked Wonderland
2012 "Living Like A Runaway" Living Like A Runaway
"—" significa que não entrou nas paradas ou não foi lançado neste país.

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum / "Canção" Prêmio (Indicação) Resultado Ref.
1985 Dancin' on the Edge Grammy Awards: (Best Rock Vocal Performance - Female) Indicado [38]
1988 "Kiss Me Deadly" MTV Video Music Awards: (Best Female Video) Indicado [38]
1993 "Shot of Poison" Grammy Awards: (Best Rock Vocal Performance - Female) Indicado [38]

Referências

  1. a b Eddie Trunk. «ET- Lita Ford - The Eddie Trunk Podcast». Podcastone.com. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  2. Ramirez, Carlos (20 de novembro de 2016). «Lita Ford on Her Wild Teenage Days in '70s Southern California». Noisecreep. AOL Inc. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  3. Martin, Bill (2002). Pro Secrets Of Heavy Rock Singing. [S.l.]: Sanctuary Publishing. p. 9. ISBN 1-86074-437-0 
  4. «The Runaways - Television Tropes & Idioms». Tvtropes.org. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  5. a b Sherman, Dale. 20th Century Rock And Roll: Women In Rock. Collector's Guide Publishing, inc, p53
  6. «Eddie Trunk». EddieTrunk.com. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  7. «Guns N' Roses Guitarist Bumblefoot To Tour With Lita Ford». Blabbermouth.net. 20 de novembro de 2016. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  8. «Lita Ford Tour History from 2008-16: Lita Ford Past Tour Dates». Bandsintown.com. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  9. Price, Jason (20 de novembro de 2016). «Lita Ford: The Next Chapter In Her Rockin' History». Live-Metal.net. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  10. Russell A. Trunk. «Desert Island Diva!». Exclusive Magazine. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  11. «Lita Ford: New Video Interview Posted Online». Roadrunnerrecords.com. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  12. Greg Prato (20 de novembro de 2016). «Album Premiere: Lita Ford, 'Living Like a Runaway'». Rolling Stone. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  13. «Guitar Player Magazine's Certified Guitar Legend - Lita Ford». Playing-with-chaos.com. 20 de novembro de 2016. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  14. «Lita Ford Is Bringing Back The '80s with 'Time Capsule'». Blabbermouth.net. Consultado em 8 de maio de 2017 
  15. «Tony Iommi profile». IMDb. Consultado em 8 de maio de 2017 
  16. «Lita Ford History: Sleaze Roxx». Consultado em 8 de maio de 2017. Arquivado do original em 8 de maio de 2017 
  17. «Colonies and Territories». Outpostmagazine.com. 8 de maio de 2017. Consultado em 8 de maio de 2017 
  18. «Lita Ford interview». Ultimate-guitar.com. 8 de maio de 2017. Consultado em 8 de maio de 2017 
  19. «Lita Ford interview». Classicrockrevisited.com. Consultado em 8 de maio de 2017 
  20. «Lita Ford Plays Wikipedia: Fact or Fiction?». Loudwire.com. Consultado em 8 de maio de 2017 
  21. Ford, Lita (23 de fevereiro de 2016). Living Like a Runaway: A Memoir (em English) First Edition edition ed. [S.l.]: Dey Street Books. ISBN 9780062270641 
  22. Lita Ford & Cherie Currie - 2013 Christmas single, theguardian.com, 27 August 2013.
  23. «Lita Ford: Rock and Roll Moms». 23 de fevereiro de 2016. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  24. «Rock Stars: Chopped». Food Network. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  25. a b «Chart Stats - Lita Ford». chartstats.com. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  26. «Lita Ford Album & Song Chart History - Billboard 200». Billboard. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  27. «Lita Ford Album & Song Chart History - Independent Albums». Billboard. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  28. «charts.org.nz - New Zealand charts portal». charts.org.nz. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  29. «swedishcharts.com - Swedish charts portal». swedishcharts.com. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  30. «Die Offizielle Schweizer Hitparade und Music Community». hitparade.ch. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  31. «RIAA - Gold & Platinum - September 17, 2010: Lita Ford certified albums». Recording Industry Association of America. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  32. «Canadian Recording Industry Association (CRIA): Gold & Platinum». Canadian Recording Industry Association. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  33. «Lita Ford Album & Song Chart History - Hot 100». Billboard. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  34. «allmusic ((( Lita Ford > Charts & Awards > Billboard Singles )))». Allmusic. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  35. «charts.org.nz - New Zealand charts portal». charts.org.nz. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  36. «swedishcharts.com - Swedish charts portal». swedishcharts.com. Consultado em 17 de setembro de 2010 
  37. «RIAA - Gold & Platinum - September 18, 2010: Lita Ford certified singles». Recording Industry Association of America. Consultado em 18 de setembro de 2010 
  38. a b c aceshowbiz.com/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Informações