The Skeleton Dance

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Skeleton Dance
A Dança dos Esqueletos (BR)
Cena de The Skeleton Dance
 Estados Unidos
1929 •  preto e branco •  6 min 
Direção Walt Disney
Produção Walt Disney
Gênero Animação
Música Carl W. Stalling
Edvard Grieg (The March of the Trolls)
Idioma inglês
Cronologia
El Terrible Toreador
Página no IMDb (em inglês)

The Skeleton Dance (A dança dos esqueletos no Brasil) é um curta-metragem de animação de 1929, o primeiro da série Silly Symphonies, dirigido e produzido por Walt Disney e animado por Ub Iwerks. No filme, quatro esqueletos humanos dançam e fazem música em torno de um assustador cemitério - um exemplo moderno de "dança macabra" medieval. A dança se tornou icônica e em 1994, o curta foi votado como 18º dos 50 Greatest Cartoons de todos os tempos pelos membros do campo da animação.

Produção[editar | editar código-fonte]

Enquanto muitos afirmam que a partitura musical foi adaptado da composição Danse Macabre de Saint-Saëns, Carl Stalling explicou, em uma entrevista 1969, que era na verdade um foxtrote definido em um tom menor. Stalling sugeriu a ideia para uma série de curtas animados musicais para a Disney em uma reunião em 1929.[1] Stalling também adaptou a "The March of the Trolls" de Edvard Grieg, para partes da música da dança dos esqueletos.

Os esqueletos dançam de várias maneiras e tocam instrumentos musicais improvisados. Em uma cena, um esqueleto puxa os ossos do outro para fora e toca o esqueleto como um xilofone. Um esqueleto também desempenha um contrabaixo, usando um arco e rabo do gato como as cordas. Um esqueleto dança parte de Charleston.

É notável por ser o primeiro desenho animado a não utilizar pós-sincronização de som. A animação a partir deste curta foi posteriormente reutilizada no curta de Mickey Mouse, Haunted House, em que Mickey vai se abrigar em uma casa mal assombrada, e é forçado a tocar música para os esqueletos dançantes.[2]

O desenho animado foi criado em preto e branco no padrão 1.33:1.35 milímetros. O filme teve um orçamento de $ 5,386 dólares.

Uso e referências contemporâneas[editar | editar código-fonte]

Em 1931, o cartum Hittin' the Trail for Hallelujah Land da Merrie Melodies, teve três esqueletos que se assemelham aos da Danças dos Esqueletos. Em 1982, A dança dos esqueletos foi destaque em uma versão colorida durante os créditos especias de Halloween para a televisão, em Disney's Halloween Treat e Disney's Greatest Villains. Clipes da versão em preto-e-branco original foram usados ​​no filme da Disney "DTV Monster Hits", especial de Halloween (1987). Ele foi incluído na fita de compilação da Disney, Scary Tales.

Foi usado no filme O Motoqueiro Fantasma (2007), como um desenho animado que Johnny Blaze (Nicolas Cage) não quer assistir sabendo que ele vai se tornar um esqueleto semelhante à noite, na presença do mal. A dança dos esqueletos também foi mencionada no o episódio "Hill Billy" de The Grim Adventures of Billy and Mandy, onde Grim, depois de ter sido transformado em um personagem silencioso na era de desenhos animados, dança com vários outros esqueletos e até mesmo imita suas ações. Uma coisa semelhante acontece durante a coreografia da música "Remains of the Day", de A Noiva Cadáver.

Ele também foi destaque no vídeo da música "Yang Yang" por Anika em 2010.

Os esqueletos bailarinos fazem várias aparições em episódios de House of Mouse. O desenho animado foi incluído como um bônus em Epic Mickey 2: The Power of Two . Ele também aparece nem vários níveis de transição.

O desenho animado foi destaque na canção, Ghosts 'n' Stuff de deadmau5.

A animação foi destaque no vídeo da música de Charli XCX : You're the One.

Em uma cena deletada de Hotel Transilvânia, Johnny leva uma música de hiphop com zumbis dançando a dança esqueleto no fundo.

Referências

  1. «Funnyworld Revisited: Carl Stalling» (em inglês). michaelbarrier.com. Consultado em 20 de Novembro de 2014. 
  2. «The Skeleton Dance» (em inglês). bcdb.com. Consultado em 20 de Novembro de 2014.