The Stone Roses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
The Stone Roses
Stone Roses durante um concerto em Milão, 2012
Informação geral
Origem Manchester, Inglaterra
País Reino Unido
Gênero(s)
Período em atividade
  • 1983–1996
  • 2011–2017
Gravadora(s)
Afiliação(ões)
Ex-integrantes Ian Brown
John Squire
Mani
Reni
Pete Garner
Andy Couzens
Simon Wolstencroft
Rob Hampson
Robbie Maddix
Nigel Ipinson
Aziz Ibrahim
Página oficial thestoneroses.org

The Stone Roses foi uma banda britânica formada em Manchester em 1983. Um dos grupos pioneiros do movimento conhecido como madchester do fim da década de 1980 e início da década de 1990, a clássica e mais popular formação da banda consistia do vocalista Ian Brown, o guitarrista John Squire, o baixista Mani e do baterista Reni.

Lançaram seu álbum de estreia, The Stone Roses, em 1989. Foi um sucesso imediato e aclamado pela crítica, amplamente considerado um dos melhores álbuns da história da música britânica. Neste ponto, o grupo decidiu ampliar sua visibilidade mudando-se para uma grande gravadora. O selo deles à época, Silvertone Records, não quis encerrar o contrato, o que levou a uma grande batalha judicial que culminou na banda assinando com a Geffen Records em 1991.

Os Stone Roses então lançaram seu segundo álbum, Second Coming, em 1994, que recebeu críticas mistas.[2] O grupo chegou ao fim após várias mudanças na formação para turnês, que começou com a saída Reni no começo de 1995, seguido por Squire em abril de 1996. Brown e Mani finalizaram a banda em outubro de 1996 logo após uma apresentação no Festival de Reading.

Após muita especulação da mídia, os Stone Roses anunciaram em uma coletiva de imprensa em 18 de outubro de 2011 que iriam se reunir para uma turnê mundial em 2012, com três grandes apresentações já marcadas no Heaton Park, Manchester.[3][4][5] Planos para gravar um terceiro álbum estavam em aberto mas apenas três singles foram lançados.[6][7][8] Em junho de 2013, um documentário sobre a reunião da banda dirigido por Shane Meadows e intitulado The Stone Roses: Made of Stone foi lançado.[9]

Em 2016, lançaram seu primeiro material novo em mais de duas décadas. Eles continuaram se apresentando até 2017, quando Brown indicou que a banda teria acabado novamente, o que só foi confirmado em 2019 por Squire.[10]

História[editar | editar código-fonte]

A banda lançou seu primeiro álbum, The Stone Roses, em 1989. O álbum trouxe sucesso e exposição para a banda. Nesse momento, o Stone Roses decidiu capitalizar seu êxito, assinando com uma grande gravadora, no entanto, sua atual gravadora Silvertone os impediu por causa de seu contrato, o que levou a uma longa batalha legal que culminou com a assinatura de banda com Geffen Records em 1991 para, finalmente, lançar seu segundo álbum, Second Coming, 1994. O grupo se desfez logo após diversas mudanças na formação ao longo da turnê de promocional, que começou com a saída de Reni, seguido por Squire.

Em 1995, a Silvertone lançou a compilação The Complete Stone Roses, com singles e b-sides de músicas do grupo, muito elogiada pela critica e por fãs, a coletânea passou por um processo de re-engenharia de som feito pelo selo, de forma que as versões das músicas do CD são ligeiramente diferentes (no aspecto sonoro) das lançadas originalmente em LP.

Em Outubro de 2011, 15 anos depois de se terem separado, a banda anunciou o regresso aos palcos, com duas datas de concertos agendadas para 2012 e a possibilidade de um terceiro álbum.[11]

Estilo musical e influências[editar | editar código-fonte]

Entre as influências dos Stone Roses incluem-se os gêneros garage rock, electronic dance music, krautrock, northern soul, punk rock, reggae, soul e artistas como The Beatles,[12][13] The Rolling Stones, Simon and Garfunkel, The Smiths, The Byrds,[14] Jimi Hendrix,[14] Led Zeppelin,[15] The Jesus and Mary Chain, Sex Pistols e The Clash.[16]

A banda surgiu em meio à cena musical conhecida como madchester,[17] que misturava os estilos rock alternativo, rock psicodélico e electronic dance music.[18][19]

Eles próprios foram grande influência para muitos artistas, mais notavelmente para o grupo Oasis, o qual seu líder, o guitarrista e vocalista Noel Gallagher, comentou em uma entrevista "quando ouvi 'Sally Cinnamon' pela primeira vez, tive certeza do que seria no futuro".[20] O vocalista do Oasis e irmão de Noel, Liam Gallagher, comentou que os Stone Roses foram a primeira banda que ele viu ao vivo e que este acontecimento o influenciou fortemente a virar músico.[21]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Ian Brown – vocal, percussão, bongôs (1983–1996, 2011–2017)
  • John Squire – guitarra, vocal de apoio (1983–1996, 2011–2017)
  • Mani (Gary Mounfield) – baixo (1987–1996, 2011–2017)
  • Reni (Alan Wren) – bateria, percussão, vocal de apoio (1984–1995, 2011–2017)
  • Pete Garner – baixo (1983–1987)
  • Andy Couzens – guitarra rítmica, vocal de apoio (1983–1986)
  • Simon Wolstencroft – bateria (1983–1984)
  • Rob Hampson – baixo (1987)
  • Robbie Maddix – bateria, vocal de apoio (1995–1996)
  • Nigel Ippinson – teclado, vocal de apoio (1995–1996)
  • Aziz Ibrahim – guitarra (1996)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Ano Detalhes Melhor posição nas paradas musicais Certificações
GBR
[22]
AUS
[23]
AUT
[24]
CAN
[25][26]
ALE
[27]
IRL
[28]
JPN
[29]
HOL
[30]
NZL
[31]
NOR
[32]
SUE
[33]
SUI
[34]
EUA
[35]
1989 The Stone Roses 5 36 62 3 82 44 11 12 30 86
1994 Second Coming
  • Gravadora: Geffen
  • Lançamento: 5 de dezembro de 1994[42]
  • Formato: CD, cassete, LP
4 17 35 24 57 53 24 61 38 26 35 47
  • BPI: 2× platina[41]

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

Ano Detalhes Melhor posição nas paradas musicais Certificações
GBR
[22]
AUS
[23]
IRL
[28]
1992 Turns Into Stone
  • Gravadora: Silvertone
  • Lançamento: 20 de julho de 1992
  • Formato: CD, cassete, LP, 2xLP
32 189
1995 The Complete Stone Roses
  • Gravadora: Silvertone
  • Lançamento: 15 de maio de 1995
  • Formato: CD, 2xCD, cassete, 2xLP
4 109
1996 Garage Flower
  • Gravadora: Garage Flower Records
  • Lançamento: 25 de novembro de 1996
  • Formato: CD, cassete, LP
58
2000 The Remixes
  • Gravadora: Silvertone
  • Lançamento: 21 de novembro de 2000
  • Formato: CD, 2xLP
41 236
2002 The Very Best of The Stone Roses
  • Gravadora: Silvertone
  • Lançamento: 4 de novembro de 2002
  • Formato: CD, 2xLP
13 275 9
  • BPI: 3× platina[41]
2010 Collection
  • Gravadora: Sony Music
  • Lançamento: 30 de agosto de 2010
  • Formato: CD

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Título Melhor posição nas paradas musicais Certificações Álbum
GBR
[22]
AUS
[23]
CAN
[43]
IRL
[44]
HOL
[45]
NZL
[46]
SUE
[47]
EUA Alt.
[48]
1985 "So Young/Tell Me" Singles sem álbum
1987 "Sally Cinnamon"
1988 "Elephant Stone"
1989 "Made of Stone" 90 The Stone Roses
"She Bangs the Drums" 34 128 37 9
"I Wanna Be Adored" 18
"Fools Gold/What the World Is Waiting For" 8 13 9 10 5 Singles sem álbum
1990 "Sally Cinnamon" (relançamento) 46
"Elephant Stone" (relançamento) 8 86 4
"Made of Stone" (relançamento) 20 12 The Stone Roses
"One Love" 4 79 6 65 28 9 Single sem álbum
1991 "I Wanna Be Adored" (relançamento) 20 141 21 The Stone Roses
"Waterfall" 27 The Stone Roses
1992 "I Am the Resurrection" 33
"Fools Gold" (relançamento) 73 lançado junto de
Turns Into Stone
1994 "Love Spreads" 2 36 67 8 23 13 2 Second Coming
1995 "Ten Storey Love Song" 11 103
Fools Gold '95 25 lançado junto de
The Complete Stone Roses
"Begging You" 15 111 30 Second Coming
1996 Crimson Tonight (EP ao vivo) 152 versões originais em
Second Coming
1999 "Fools Gold" (remix) 25 87 lançado junto de
The Remixes
2016 "All for One" 17 264 49 Singles sem álbum
"Beautiful Thing" 21 61

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Em 1990, foram indicados como Melhor Revelação Britânica nos Brit Awards. No ano seguinte, foram indicados a Melhor Grupo Britânico na mesma premiação.[49][50] Em 2010, receberam um prêmio especial nos MOJO Awards.[51] Ganharam no total seis Prêmios NME, incluindo nas categorias Melhor Revelação, Banda do Ano, Single do Ano e Álbum do Ano.[52][53] Foram indicados quatro vezes aos Q Awards.[54][55][56]

O álbum de estreia da banda foi muitas vezes listados entre os melhores de todos os tempos e/ou do Reino Unido:

  • Em 2003 a NME elegeu o disco como o melhor de todos os tempos;[57]
  • Em junho de 2004 o jornal britânico The Observer o escolheu como o melhor disco britânico de todos os tempos, à frente de The Beatles e Rolling Stones, em uma enquete realizada entre jornalistas e músicos;[58]
  • Em 2006 a NME escolheu o disco como o melhor álbum britânico de todos os tempos.[57]

Referências

  1. Kaufman, Gil (31 de janeiro de 1998). «Ex-Stone Roses Singer Not Just Monkeying Around on New LP». MTV. Viacom. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  2. Johnson, Johnny (Fevereiro de 1995). «Coming Out» (print). Vox. p. 14–19. Consultado em 25 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 12 de março de 2010 
  3. «Ian Brown on the Stone Roses reunion: 'It's happening'». NME. 17 de outubro de 2011. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  4. Topping, Alexandra (18 de outubro de 2011). «Stone Roses announce comeback gigs in Manchester with world tour in pipeline». The Guardian. Londres: Guardian News and Media. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  5. «The Stone Roses to reunite for tour». BBC News. 18 de outubro de 2011. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  6. «Stone Roses Reunion Tour and New Album is Happening». Spacelab. 18 de outubro de 2011. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  7. «Stone Roses Have Recorded New Material». SSG Music. 2012 
  8. «The Stone Roses have at least three or four new tracks recorded». NME. 2012 
  9. «The Stone Roses: Made Of Stone». Film4. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  10. «John Squire: 'I don't think I'm a very good guitar player – or painter'». The Guardian. Consultado em 23 de março de 2020 
  11. "Os Stone Roses vão voltar aos palcos 15 anos depois". 21 de Outubro de 2011. Público. Acesso 2011-10-22
  12. Hann, Michael (27 de junho de 2012). «Stone Roses reunion weekend sold-out». The Guardian. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  13. Glassman, Julie (30 de novembro de 2001). «The Beatles' musical footprints». BBC. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  14. a b Raphael, Amy (20 de junho de 2004). «The Stone Roses, The Stone Roses». The Observer. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  15. Douglas, Richard (7 de fevereiro de 2008). «Reviewe of The Stone Roses». BBC. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  16. Stanley, Carl (16 de outubro de 2011). «Ian Tilton: The Man Who Shot The Stone Roses». Sabotage Times. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  17. Sennett, Sean; Groth, Simon (2010). Off the Record: 25 Years of Music Street Press. [S.l.]: University of Queensland Press. p. 64. ISBN 978-0-7022-4653-1 
  18. Echard, William (2017). Psychedelic Popular Music: A History through Musical Topic Theory. [S.l.]: Indiana University Press. p. 244–246. ISBN 9780253026590 
  19. Gerard, Chris (1 de outubro de 2015). «The 100 Greatest Alternative Singles of the '80s». PopMatters. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  20. «Noel Gallagher about Stone Roses». YouTube. 6 de fevereiro de 2011. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  21. «Liam Gallagher: Stone Roses inspired me». BBC News (em inglês). 21 de outubro de 2011. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  22. a b c «Official Charts > Stone Roses». The Official UK Charts Company. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  23. a b c Melhores posições na Austrália:
  24. «Search for: The Stone Roses». AustrianCharts.at. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  25. «The Stone Roses Canadian position». RPM. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Arquivado do original em 2 de julho de 2012 
  26. «Second Coming Canadian position». RPM. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Arquivado do original em 2 de julho de 2012 
  27. «German album positions». musicline.de. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Arquivado do original em 2 de julho de 2012 
  28. a b «Irish chart positions». irish-charts.com. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  29. «Search for: Stone Roses». oricon.co.jp. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  30. «Search for: The Stone Roses». DutchCharts.nl. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  31. «New Zealand album positions». charts.nz. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  32. «Search for: The Stone Roses». NorwegianCharts.com. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  33. «Search for: The Stone Roses». SwedishCharts.com. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  34. «Suche nach: The Stone Roses». HitParade.ch. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  35. «The Stone Roses Chart History: Billboard 200». Billboard. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  36. Kane, Peter (Fevereiro de 1990). «Space Invaders» (print). Q. Consultado em 24 de janeiro de 2021. But it was the important first album, released last April, which has confirmed them as the band most likely to 
  37. «The Stone Roses». Melody Maker. 9 de dezembro de 1989. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 21 de outubro de 2002. When The Stone Roses delivered their debut LP at the end of April, all hell was let loose. 
  38. Wilde, Jon (Julho de 1990). «The Stone Roses: Are these men really the future of rock and roll?» (print). Sky. p. 98. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  39. Stanley, Bob (1990). «The Stone Roses special supplement» (print). Melody Maker. p. 15. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 13 de maio de 2008 
  40. Lawrence, Sara (14 de julho de 1990). «The Ian Brown Interview, part one». Number One. p. 9. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  41. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u «UK certificates: searchable database». BPI. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Arquivado do original em 4 de junho de 2011 
  42. Johnson, Johnny (Fevereiro de 1995). «Coming Out» (print). Vox. p. 14–19. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 12 de março de 2010 
  43. «Canadian singles positions». Consultado em 24 de janeiro de 2021. Arquivado do original em 2 de julho de 2012 
  44. «Irish Chart History 1962–present». Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  45. «Dutch single positions». Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  46. «New Zealand single positions». Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  47. «Swedish single positions». Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  48. «The Stone Roses Chart History: Alternative Songs». Billboard. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  49. British Phonographic Industry. «Brit Awards 1990». Brit Awards. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  50. British Phonographic Industry. «Brit Awards - 1991 | Winners & Nominees». Brit Awards. Consultado em 24 de janeiro de 2021 – via Awards and Winners 
  51. Mojo (Junho de 2010). «The Mojo Honours List 2010». MOJO Awards. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Arquivado do original em 13 de junho de 2010 
  52. NME (28 de fevereiro de 1989). «NME Awards History – 1989». NME Awards (em inglês). Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  53. «NME Awards: Florence & the Machine vencem 2 prémios». TVI24. 1 de março de 2012. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  54. «Adele wins two Q awards but ill health forces her to miss the ceremony». Daily Telegraph. 23 de outubro de 2011. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  55. «Muse, Pulp and Blur win Q Awards». BBC News. 22 de outubro de 2012. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  56. Q (21 de outubro de 2013). «Q Awards 2013 - the winners!». Q Awards. Consultado em 25 de janeiro de 2021. Arquivado do original em 24 de outubro de 2013 
  57. a b NME. «NME's 100 Best Albums» (em inglês). Rocklist. Consultado em 24 de janeiro de 2021 
  58. The Observer (20 de junho de 2004). «The Stone Roses, The Stone Roses» (em inglês). The Guardian. Consultado em 24 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]