Three Imaginary Boys

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Three Imaginary Boys
Álbum de estúdio de The Cure
Lançamento Junho de 1979
Gravação 1978-1979 no Morgan Studios
Londres, Inglaterra
Gênero(s) Pós-punk
Duração 33:44
Gravadora(s) Fiction
Produção Chris Parry
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de The Cure
Último
Último
Seventeen Seconds
(1980)
Próximo
Próximo

Three Imaginary Boys é o álbum de estreia da banda Inglesa de rock alternativo The Cure, tendo sido lançado em 1979. Sua formação com Robert Smith na guitarra e no vocal, Laurence Tolhurst na bateria e Michael Dempsey no baixo, o disco contém 13 faixas.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

A gravadora decidiu quais músicas foram colocadas no álbum, assim como a arte da capa, sem o consentimento de Robert Smith. Para todos os álbuns do Cure, Smith assegurou a ele o total controle criativo sobre o produto final antes de ir à venda. [1]

O cover de "Foxy Lady", com vocais cantados por Michael Dempsey, não deveria estar no álbum, e foi removido para o lançamento americano. Smith afirmou que "canções como 'Object' e 'World War e o nosso cover de "Foxy Lady foram escolha de Chris Parry". [2]

Capa[editar | editar código-fonte]

A capa minimal, que descreve três aparelhos em um fundo rosa (uma luminária, uma geladeira e um aspirador de pó), foi concebido pelo produtor Chris Parry e projetado por Bill Smith (autor da capa do single Killing An Arab).

Robert Smith sempre disse que ele nunca gostou da arte criada para o disco, chegando a chamá-lo de "um grande pedaço de merda", em 2000.[3]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Three Imaginary Boys foi lançado em 8 de maio de 1979 pela gravadora Fiction.

O álbum foi relançado em 29 de Novembro de 2004 e contou com um segundo disco de material inédito, incluindo músicas gravadas sobre o nome "Easy Cure" com Porl Thompson.

Ele era para ser lançado no início de 2004, juntamente com os próximos três álbuns de estúdio da banda (Seventeen Seconds, Faith e Pornography), mas foi adiado várias vezes antes de ser liberado por si só no final de 2004. Uma vez que apresenta uma variedade de canções antigas, é a única edição de luxo pela banda que não possuem uma versão alternativa de todas as músicas do primeiro disco.

Recepção da Crítica[editar | editar código-fonte]

Apesar do desagrado de Smith com o registro, Three Imaginary Boys foi bem recebido criticamente na época de seu lançamento. [4]

Dave McCullough elogiou-o em uma avaliação de cinco estrelas e observou: "The Cure está indo para algum lugar diferente, em cada faixa, as idéias são surpreendentes". McCullough observou a variedade do material e qualificou como uma "parada brusca", como uma "canção pop que faz você lembrar dos Isley Brothers ou os Buzzcocks" .[5] Red Starr, escrevendo na Smash Hits, descreveu o álbum como um "brilhante, atraente debut ". [6]

Chris True do AllMusic retrospectivamente o batizou de "uma estréia muito forte" [7] . Nitsuh Abebe da Pitchfork chamou de "tão original como um registro de qualquer outra coisa por fora da extremidade da cauda do punk".[8]

Performances ao vivo[editar | editar código-fonte]

A banda já se apresentou como um encore de  "Three Imaginary Boys", "Fire in Cairo", "Boys Don't Cry", "Jumping Someone Else's Train", "Grinding Halt", "10:15 Saturday Night" e "Killing An Arab "(cantada como" Killing Another") na turnê 4Tour de 2007-2008 (os singles "Boys Don't Cry", "Jumping Someone Else's Train"e "Killing An Arab" estavam na versão americana).

Em 2011, The Cure tocou o álbum na íntegra em locais de eventos em Sydney, Nova York e Los Angeles.[9] Estes shows, anunciado como The Cure:."Reflections", foram filmados para a liberação em DVD.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Edição Original de 1979[editar | editar código-fonte]

  1. "10:15 Saturday Night" - 3:42
  2. "Accuracy" – 2:17
  3. "Grinding Halt" – 2:49
  4. "Another Day" – 3:44
  5. "Object" – 3:03
  6. "Subway Song" – 2:00
  7. "Foxy Lady" (Jimi Hendrix) – 2:29
  8. "Meathook" – 2:17
  9. "So What" – 2:37
  10. "Fire in Cairo" – 3:23
  11. "It's Not You" – 2:49
  12. "Three Imaginary Boys" – 3:17
  13. Untitled (a.k.a. "The Weedy Burton", faixa escondida) – 1:04

Deluxe Edition de 2004[editar | editar código-fonte]

Disco 1[editar | editar código-fonte]

  1. "10:15 Saturday Night" – 3:42
  2. "Accuracy" – 2:17
  3. "Grinding Halt" – 2:49
  4. "Another Day" – 3:44
  5. "Object" – 3:03
  6. "Subway Song" – 2:00
  7. "Foxy Lady" (Jimi Hendrix) – 2:29
  8. "Meathook" – 2:17
  9. "So What" – 2:39
  10. "Fire in Cairo" – 3:23
  11. "It's Not You" – 2:52
  12. "Three Imaginary Boys" – 3:32
  13. "The Weedy Burton" – 0:53

Disco 2[editar | editar código-fonte]

O segundo cd contém raridades de 1977 a 1979.

  1. "I Want to Be Old" (SAV studio demo, October 1977, previously unreleased) – 2:36
  2. "I'm Cold" (SAV studio demo, November 1977) – 3:21
  3. "Heroin Face" (live in The Rocket, Crawley, December 1977, previously available on Curiosity) – 2:40
  4. "I Just Need Myself" (PSL studio demo, January 1978, previously unreleased) – 2:14
  5. "10:15 Saturday Night" (Robert Smith home demo, February 1978) – 4:36
  6. "The Cocktail Party" (group home demo, March 1978, previously unreleased) – 4:17
  7. "Grinding Halt" (group home demo, April 1978) – 3:31
  8. "Boys Don't Cry" (Chestnut studio demo, May 1978, previously available on Curiosity) – 2:45
  9. "It's Not You" (Chestnut studio demo, May 1978) – 3:16
  10. "10:15 Saturday Night" (Chestnut studio demo, May 1978) – 3:41
  11. "Fire in Cairo" (Chestnut studio demo, May 1978) – 3:42
  12. "Winter" ('TIB' studio out-take, October 1978, previously unreleased) – 3:46
  13. "Faded Smiles" (aka "I Don't Know") ('TIB' studio out-take, October 1978, previously unreleased) – 2:16
  14. "Play with Me" ('TIB' studio out-take, October 1978, previously unreleased) – 3:30
  15. "World War" (on early copies of Boys Don't Cry) – 2:38
  16. "Boys Don't Cry" (also on Boys Don't Cry) – 2:37
  17. "Jumping Someone Else's Train" (also on Boys Don't Cry) – 2:59
  18. "Subway Song" (live in Nottingham, October 1979, previously available on Curiosity) – 2:27
  19. "Accuracy" (live in Nottingham, October 1979) – 2:36
  20. "10:15 Saturday Night" (live in Nottingham, October 1979) – 4:38

Pessoal[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Apter, Jeff. Never Enough: The Story of The Cure. [S.l.]: Omnibus Press, 5 November 2009.
  2. (August 2004) "[Article on The Cure]".
  3. Apter, Jeff. The Cure - Disintegration - Una favola dark, Arcana, 2006, pag. 109,ISBN 88-7966-424-7
  4. Apter, Jeff (5 November 2009). Never Enough: The Story of The Cure. Omnibus Press
  5. McCullough, Dave (12 December 1979). "Cure Pop for Now People". Sounds
  6. Starr, Red (28 June 1979). "Albums". Smash Hits: 25
  7. "True, Chris. "Three Imaginary Boys – The Cure | Songs, Reviews, Credits, Awards | AllMusic". AllMusic. Retrieved 28 January2013
  8. Abebe, Nitsuh (14 December 2004). "The Cure: Three Imaginary Boys [Deluxe Edition] | Album Reviews | Pitchfork". Pitchfork
  9. Wener, Ben (23 November 2011). "Live Review: The Cure's Reflections at the Panteges – Soundcheck : The Orange County Register". ocregister.com. Retrieved 20 October 2012


Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de The Cure é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.