Willy Gonser

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Willy Gonser
Nome completo Willy Fritz Gonser
Nascimento 13 de outubro de 1936[1]
Curitiba, PR
Morte 22 de agosto de 2017 (80 anos)
Belo Horizonte, MG
Nacionalidade brasileiro
Filho(a)(s) Guilherme Gonser (repórter esportivo), Iracema Schmitz Gonser (médica), Cláudio Luiz Schmitz Gonser
Ocupação narrador esportivo, comentarista esportivo

Willy Fritz Gonser (Curitiba, 13 de outubro de 1936 - Belo Horizonte, 22 de agosto de 2017) foi um narrador e comentarista esportivo brasileiro. Cobriu onze Copas do Mundo, tem como apelido "o mais completo do Brasil", por narrar variados esportes e também foi apelidado de "Alemão", pelo fato de ser descendente de alemães (o pai de Willy era alemão)

Carreira[editar | editar código-fonte]

Willy Gonser já trabalhou na Rádio Nacional, Jovem Pan, Gaúcha, Clube, Marumby e Curitibana e nas TVs Gaúcha e Paranaense. Trabalhou na Rádio Itatiaia de 1979 a 2009 como locutor que fazia a cobertura exclusiva de jogos do Atlético Mineiro onde era ovacionado pela torcida do Galo. Com a idade avançada o locutor estava com problemas crônicos de voz e foi afastado da emissora. Em 5 de setembro de 2009 decidiu desligar-se da Itatiaia. Até os dias atuais a massa do Galo sente a sua falta na cobertura dos jogos pela emoção que o locutor transmitia em suas narrações. Durante seu longo período na Rádio Itatiaia dividia o posto de primeiro locutor da emissora com Alberto Rodrigues, que transmite os jogos do Cruzeiro.

Willy Gonser anunciou oficialmente sua aposentadoria no dia 8 de dezembro de 2009 durante o programa Jogada de Classe, na TV Horizonte. Ele atuava como comentarista esportivo no programa, tendo um comentário que abria o programa. Ele está no Guiness World Record, como o narrador que mais narrou copas do mundo, tendo narrado 11 (1962, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002 e 2006).

No dia 6 de Junho de 2015, Willy voltou a trabalhar em rádio, só que agora como comentarista, estreando em um clássico Atlético x Cruzeiro, na Rádio Inconfidência. Na mesma emissora, Gonser também era diretor de esportes e apresentador do programa Observatório do Esporte. No mesmo ano, Willy anuncia sua saída da rádio, apenas 6 meses após sua contratação.[2][3]

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 26 de abril de 2009. Arquivado do original em 5 de março de 2009 
  2. TEMPO, O (22 de agosto de 2017). «Morre Willy Gonser, uma das vozes mais marcantes do rádio brasileiro». SuperFC 
  3. Superesportes (22 de agosto de 2017). «Morre, aos 80 anos, narrador Willy Gonser». Superesportes 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]