École des hautes études en sciences sociales

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
École des hautes études en sciences sociales
EHESS
Fundação 23 de janeiro de 1975
Tipo de instituição Pública
Localização Paris
Marselha
Toulouse
Lyon,  França
Funcionários 450
Total de Estudantes 3000
Campus Urbano
Afiliações Paris Universitas
Orçamento anual 40 milhões (2009)
Página oficial EHESS


A École des hautes études en sciences sociales (Escola de Estudos Avançados em Ciências Sociais) ou EHESS é uma instituição francesa de ensino superior e pesquisa em ciências sociais do tipo grand établissement ("grande estabelecimento"), isto é, um estabelecimento público de caráter científico, cultural e profissional voltado para o ensino superior (essencialmente de pós-graduação) e a pesquisa.

A EHESS foi criada por decreto do governo francês, de janeiro de 1975, que tornou autônoma a seção de Ciências Econômicas e Sociais da École pratique des hautes études (EPHE). Está situada no boulevard Raspail, 6ème. arrondissement de Paris, embora conte com alguns centros de pesquisa em Marselha, Lyon e Toulouse.

É um dos mais prestigiosos estabelecimentos de ensino superior e pesquisa em ciências sociais, oferecendo as seguintes áreas de especialização: história, linguística, filosofia, filologia, sociologia, anthropologia, economia, ciencia cognitiva, demografia, geografia, arqueologia, psicologia, direito e matemática - embora a prioridade da instituição seja a pesquisa interdisciplinar nesses campos.

História[editar | editar código-fonte]

A criação de uma seção dedicada à pesquisa em ciências sociais dentro da École pratique des hautes études teve apoio da Fundação Rockefeller desde o início do século XX. Após a Segunda Guerra Mundial, a Fundação aumentou a destinação de fundos para estudos sociológicos não marxistas. Assim foi criada a VI seção, futura EHESS, em 1947, sob a chefia do historiador Lucien Febvre, preferido a Georges Gurvitch. Logo a EHESS tornou-se uma das matrizes da historiografia contemporânea, graças à contribuição de grandes estudiosos como Fernand Braudel, Jacques Le Goff e François Furet. Braudel sucedeu Febvre em 1962. Nessa época a Escola contou com o financiamento da Fundação Ford.

Atualmente a EHESS admite somente estudantes de pós-graduação (mestrado e doutorado), totalizando 2800 alunos. Mais de 200 teses são defendidas anualmente.

Estão ou estiveram ligados à EHESS, como alunos, professores ou pesquisadores:

Centros de pesquisa[editar | editar código-fonte]

A EHESS conta com os seguintes institutos e grupos de pesquisa:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]