Anamã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Anamã
"Princesinha do Amazonas"
Bandeira desconhecida
Brasão de Anamã
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 02 de Julho
Fundação 1981
Gentílico anamaense
Lema Reconstruindo para todos
Prefeito(a) Jecimar Pinheiro Matos (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Anamã
Localização de Anamã no Amazonas
Anamã está localizado em: Brasil
Anamã
Localização de Anamã no Brasil
03° 34' 48" S 61° 24' 14" O03° 34' 48" S 61° 24' 14" O
Unidade federativa  Amazonas
Mesorregião Centro Amazonense IBGE/2008[1]
Microrregião Coari IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Manacapuru, Anori e Beruri
Distância até a capital 129 km
Características geográficas
Área 2 453,934 km² (BR: 619º)[2]
População 11 636 hab. (AM: 57º) –  IBGE/2013[3]
Densidade 4,74 hab./km²
Clima equatorial
Fuso horário UTC-4
Indicadores
IDH-M 0,594 (AM: 17º) – baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 41 736 mil (AM: 56º) – IBGE/2009[5]
PIB per capita R$ 4 812,18 IBGE/2009[5]
Página oficial

Anamã é um município brasileiro no interior do estado do Amazonas. Pertencente à Mesorregião do Centro Amazonense e Microrregião de Coari, localiza-se a oeste de Manaus, capital do estado, distando desta cerca de 129 quilômetros.

Ocupa uma área de 2 453,934 km²[2] e sua população, estimada pelo IBGE em 2012, era de 11 636 habitantes,[3] sendo assim o quinquagésimo sétimo município mais populoso do estado do Amazonas e o menos populoso de sua microrregião.

História[editar | editar código-fonte]

Certamente, em busca de terras férteis e de seringais é que chegariam as primeiras pessoas que iriam formar os agregados humanos iniciantes. O local foi rota de seringueiros e aventureiros.

Há, também, a história de estabelecimento de fazendeiros, na região e anterior ao ano de 1843.

Fundação e povoamento[editar | editar código-fonte]

O povoamento da localidade teve início por volta de 1936 com a penetração de antigos seringueiros vindos do Acre. Em 1968, o povoado foi levado a distrito. Em 1976, através do decreto-lei nº 177 de 21 de Junho, Anori, um distrito próximo, é elevado à categoria de município e Anamã torna-se distrito de Anori.

Emancipação[editar | editar código-fonte]

Em 1940, o distrito torna-se muito conhecido por seus seringais. Adota o nome, popularmente, de Alto Seringal, porém esse nome não é reconhecido pelo governo.

Moradores do local migram, em direção à Manaus, em 1957, pela péssima condição de vida humana no local. Em 1965, o local passa a ser conhecido como Princesa de Anori por populares.

Somente no ano de 1981, pela Emenda Constitucional nº12, conseguida em Brasilia pelo então vereador de anori Sebastião Pacheco Teles, o distrito de Anamã foi desmembrado de Anori, e passou a constituir o novo município de Anamã. Em 1982, aconteceram as eleições municipais. vencidas pelo próprio Sebastião Pacheco Teles.

A escolha do nome[editar | editar código-fonte]

Os moradores do povoado acreditavam que o distrito deveria ter um nome que espelhasse a dimensão futura da cidade, e Anamã, que segundo as versões mais aceitas significa “Jóia do Rio” ou “onde a terra é grande” era, fruto de indecisão entre a pequena população de menos de 2.000 habitantes do local. A junção do termo tupi “Ãnn,” que quer dizer "Jóia, esmeralda" e a palavra “Mã,” quer dizer: Rio, grande, muito cheio, muita coisa. Os moradores muito insistiram pela mudança do nome, porém, com o passar do tempo, essa excruciante proposta foi abandonada por eles e adotaram o nome Anamã, que passou a ser adotado de forma dogmática.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Anamã pertence a microrregião de Coari, localizando-se entre o paralelo 17º 46' 48" e os meridianos 49º 10' 00" e 50º 18' 00" de longitude oeste. A sede do município localiza-se à 18º 00' 48" de latitude sul por 49º 21' 30" longitude oeste.

Limites[editar | editar código-fonte]

Limita-se ao norte e oeste com o município de Anori; ao sul, com o município de Beruri; e a leste, com Manacapuru.

Área[editar | editar código-fonte]

O município conta atualmente com 22 comunidades, cujas principais são: Arixi; Cuia; Novo Brasil; Mato rosso; Nossa Senhora de nazaré e as indígenas São José e Eware (Tikunas), Bom Jesus, Nova Esperança e Santa Luzia (Kokamas) na Ilha do Camaleão .

Clima e temperatura[editar | editar código-fonte]

O clima do município é tipicamente equatorial quente e úmido, apresentando nitidamente as estações secas e chuvosas. Altas altitudes não provocam modificações marcantes nas médias térmicas. Outubro é o mês quente, com temperaturas médias de 33°C; junho geralmente é o mês mais frio, apresentando uma temperatura média de 24°C. As máximas absolutas dificilmente ultrapassam 38°C, isso nos meses mais quentes (setembro, outubro, novembro). Já no inverno, o que caracteriza é uma temperatura amena, apesar de estar sujeito às temperaturas baixas.

Os meses de novembro à março são responsáveis por 85% da precipitação anual.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia da cidade é baseada na agricultura e na pesca.

Serviços[editar | editar código-fonte]

Internet: A cidade de Anamã dispõe de provedor de acesso a Internet;

Telefonia: A cidade é coberta pela OI como telefonia fixa, Outra operadora também atua na cidade como a VIVO(telefonia movel). Na cidade existem torres de transmissão dessas operadoras.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. a b IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. a b Estimativa Populacional 2013 (PDF) Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Página visitada em 29 de agosto de 2012.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil (PDF) Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 3 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 18 de junho de 2012.