Antarctossauro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaAntarctossauro
Antarctosaurus dinosaur.svg

Estado de conservação
Extinta (fóssil)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: Saurischia
Subordem: Sauropodomorpha
Infraordem: Sauropoda
Família: Titanosauridae
Género: Antarctosaurus
Espécies
  • A. wichmannianus von Huene, 1929 (tipo)
  • A. giganteus von Huene, 1929
  • "A." jaxartensis Riabinin, 1939
  • "A." brasiliensis Arid & Vizotto, 1971
Fêmur do Antarctosaurus wichmannianus

O antarctossauro foi uma espécie de dinossauro herbívoro e quadrúpede que viveu durante o período Cretáceo no continente que atualmente é a América do Sul. Era um animal gigantesco, mesmo para os padrões de um dinossauro. Muitos detalhes sobre a espécie são desconhecidos, pois não há um esqueleto completo.[1]

Antarctossauro não se refere ao continente antártico, pois os restos deste dinossauro foram primeiramente encontrados na Argentina, mas é um nome que deriva das mesmas palavras do grego antigo: αντι-, anti- que significa 'em oposto ao', αρκτός, arktos que significa 'norte' e σαυρος, sauros, que significa 'lagarto'. Portando, antarctossauro é um nome genérico que se refere à natureza reptiliana do animal e a sua localização geográfica em um continente do sul. A existência de restos deste dinossauro foi mencionada pela primeira vez em uma mídia impressa em 1916. Contudo, foi somente em 1929 que o paleontologista Friedrich von Huene publicou uma descrição completa deles.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

O antarctossauro foi um imenso quadrúpede herbívoro, com um longo pescoço e cauda. Como um esqueleto completo não existe, e comprimentos de cauda variam muito entre saurópodes, é difícil determinar o tamanho verdadeiro da espécie. Estima-se que ele media algo entre 18 e 30 metros de comprimento, com no mínimo 6 metros de altura e peso entre 35 e 60 toneladas, sendo um dos maiores animais terrestres já conhecidos.[1] Somente possuia dentes na parte frontal, o que era útil para retirar a matéria vegetal.

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

O Antarctosaurus brasiliensis viveu na América do Sul ou mais especificamente nas regiões que formam hoje o Brasil.[3] Outra espécie do gênero, o Antarctosaurus wichmannianus, viveu na Argentina, no Chile e no Uruguai.

Espécies[editar | editar código-fonte]

  • Antarctosaurus wichmannianus
  • Antarctosaurus giganteus
  • Antarctosaurus jaxartensis
  • Antarctosaurus brasiliensis

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Antarctosaurus. In: Dodson, Peter. The Age of Dinosaurs (em inglês). [S.l.]: Publications International, LTD., 1994. 192 pp. p. 125. ISBN 0-7853-0443-6
  2. von Huene, F.. (1929). "Los saurisquios y ornitisquios del Cretacéo Argentino" (em espanhol). Anales del Museo de La Plata 3 (3): 1-196.
  3. Arid, F.M., Vizotto, L.D.. (1971). "Antarctosaurus brasiliensis, um novo saurópode do Crétaceo superior do sul do Brasil". An. Cong. Bras. Geol.: 297–305.
Ícone de esboço Este artigo sobre animais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre dinossauros é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.